domingo, 13 de novembro de 2011

III Trilhos de Casainhos

Presenças Run 4 Fun
  • Gerardo Atienza
  • Hilário Torres
  • César Moreira
  • Ruben Silva
  • Teodoro Trindade
  • Jorge Esteves
  • Joao Ralha
  • Alfredo Falcão
Hoje houve festa em Casaínhos e 8 de nós estiveram lá. A prova chama-se Trilhos de Casaínhos e vai na sua terceira edição. É uma prova de montanha, vertente da corrida que tenho experimentado sempre que surgem oportunidades e quando considero as distancias ao meu alcance. Já há um grupinho dos Run 4 Fun que frequenta estas provas, e eu que antes das corridas praticava BTT, fiquei sempre com o gosto de andar pelos trilhos.

Quando cheguei a Casaínhos parecia que estava no campo, mas na verdade andei calmamente cerca de meia hora de carro (25km). É por isso o campo mesmo às portas de Lisboa.

O dia estava sombrio ameaçando chover, mas a temperatura estava agradável.

A partida era no campo de futebol do Sporting Clube de Casainhos (gostei deste toque verde da prova!). Os carros arrumavam-se facilmente dentro do recinto. Ao meu lado arrumou o Jorge Esteves que trazia o carro cheio. Quando saímos dos carros e nos preparávamos o João Ralha, que vinha com o Teodoro,cumprimentou a Célia Azenha, que nos contou um bocadinho das suas aventuras de 333 quilómetros em 147 horas a mais de 2500 metros de altitude (espero não estar a cometer nenhuma incorrecção nos detalhes, mas estou a dizer de memória). Claro que tirámos umas fotografias com tão extraordinária atleta.

Enquanto esperávamos pela partida, que foi pontual, começou a chover, mas não foi mais do que umas gotas grossas que pararam em poucos minutos. Dada a partida, o grupo de 120 corredores saiu ordeiramente do campo e num instante entrámos nos trilhos. Sendo uma prova de montanha, começámos logo a subir. Ainda íamos todos juntos mas a subida encarregou-se de ir dilatando a dimensão do pelotão. Desta parte lembro-me que os 3 primeiros quilómetros demoraram muito a passar, talvez por serem sempre a subir. Quando entro nestas subidas esforço-me por não olhar para a sua dimensão, para não ter nenhum momento de fraqueza e começar a andar, até porque quanto mais andar mais tempo demoro a chegar ao fim e eu quero é chegar ao fim. Mas nestas provas há subidas com grande declive e essas são obrigatoriamente feitas a andar, mas não é por isso que a prova fica mais fácil, até fica mais difícil, é melhor correr a direito do que andar a subir.


Fiz a corrida sempre com pessoas atrás ou à frente. Tive as minhas disputas, a primeira adversária que identifiquei no meu andamento não consegui acompanhar, passei uma vez e depois fui passado, durante muito tempo não vi esta senhora de cabelo curto grisalho, mais ou menos da minha idade.Passados uns quilómetros (não sei quantos foram) voltei a avistá-la. Íamos a descer e eu estava com alguma velocidade e fui-me aproximando. Enquanto isto acontecia passou-me pela cabeça que na corrida as ultrapassagens nunca surpreendem, são sempre momentos lentos e consentidos ou conquistados, dá sempre tempo para reagir, haja pernas! E assim foi, lentamente aproximei-me e ultrapassei. Entretanto tinha sentido nas costas uma outra atleta, que se aproximou. Tive tempo para reagir, apanhei uma descida e acelerei, devíamos estar no quilómetro 10. Assim fui até que, no quilometro 12, nos aproximamos de uma parede com 150 metros de altura. O piso estava empapado e escorregadio. Nem queria acreditar, os atletas que conseguia avistar perto do topo pareciam uns bonecos, de tão pequenos que a distancia os fazia. Procurei afastar a realidade dos meus pensamentos e atirei-me à subida, naturalmente foi toda feita a andar,à velocidade que se conseguia, mas fui-me aproximando do grupo de meia dúzia de atletas que seguiam à minha frente. Mesmo atrás vinha a senhora que haveria de me passar a meio da subida. Mas quando chegámos ao topo, bebi dois golos de água e puxei pelas pernas, voltei a ultrapassar a senhora mas passados poucos metros ela retomou a sua passada, mais certa e mais rápida que a minha e deixei de a conseguir acompanhar, fui vendo à distancia a atleta a aproximar-se de outros e a ultrapassar, que ritmo! A minha primeira rival vinha mesmo atrás de mim. Ainda me apanhou e ameaçou deixar-me para trás. Quando tentei reagir senti uma caimbra e dei um grito. Consegui controlar e mantive o andamento, tentando mentalmente descontrair o gémeo direito, enquanto alongava o passo reforçar o efeito. Funcionou, lentamente o músculo foi deixando de ameaçar contracções involuntárias e eu consegui manter a minha posição, não fui ultrapassado. Não é que os lugares sejam muito importantes, mas para mim estas pequenas disputas são uma forma de motivação. Perco umas e ganho outras, mas acabo sempre acorrer melhor.

Enquanto geria o meu esforço fui-me afastando da minha rival, apesar de a sentir sempre nas minhas costas, ainda subimos e descemos,ainda enfiei as sapatilhas na lama mais mole até que começamos a descer para Casainhos, já com mais do que os anunciados 14kms. A prova terminou no ponto de partida e o meu GPS marcava 15,5kms que percorri em 1h44m. Fiquei classificado no 72º lugar da classificação masculina, com 103 atletas a terminar a prova.Em termos relativos já tenho feito melhor mas fiquei satisfeito com o resultado.

Depois fui ver chegar os outros corredores e tirar a fotografia da praxe, antes de ir para o banho. Como não preparei convenientemente as coisas nem gel trouxe, que alguém me emprestou a custo, porque estava a acabar (hehehe). Seguiu-se o almoço, bem servido e saboroso e a entrega dos prémios.

Sem dúvida que foi uma das manhãs mais bem passadas a correr dos últimos tempos.

Mais fotografias tiradas pelo João Ralha e Teodoro Trindade aqui e aqui.

13 comentários:

Carlos Melo disse...

Parabéns Alfredo e restantes trailers nesta prova. O gráfico de altimetria mostra que não é fácil. Com o piso molhado das últimas chuvas terá sido ainda mis dificil?

Grande companhia ao lado da Ultríssima Trailer Célia Azenha.

Tenho estes Trilhos de Casaínhos nos meus planos, mas ainda não foi esta ano. Neste fim de semana a seguir ao Porto quis fazer algo simples.

Bons treinos e até à próxima.
LunaRun?

RunAbrços.

João Ralha disse...

Excelente relato, Alfredo.

Foi a 2ª vez que fiz esta prova e este ano o trajeto ainda foi mais bonito e seletivo, do que no ano passado.

Muito bem organizada, com o apoio dos escuteiros e com vistas belíssimas que tive oportunidade de desfrutar, principalmente nas duas subidas empinadas, aos 5 e 12 km, onde fui a andar. Não dava para mais ..ehehhehehe

Depois da corrida, o banho com água quente, o que nem sempre acontece e um agradável almoço na companhia dos nossos amigos "Run 4 Fun".

Este ano a prova teve mais participantes do que no ano passado, o que revela a sua qualidade. ...a não perder em 2012.

Runabraços

Gerardo Atienza disse...

Na subida dos 12 Kms pensei que estava numa prova de alpinismo. Foi brutal.
No final, depois do duche quentinho, fui recompensado com uma massagem a 4 mãos.
Foi Funtástico
Apesar das dificuldades ainda deixei 7 atletas atrás de mim.
Cada vez gosto mais de corridas em montanha, sem o stress dos tempos do ritmo dos Kms que custam a passar.
Foi mesmo uma corrida Funtástica,

46 disse...

Alfredo, parabéns pelo excelente relato e pelo teu espírito competitivo.

A todos os Run 4 Fun, parabéns pela prova, que pelo relato não deve ter sido nada fácil.

AC

Teodoro Trindade disse...

Obrigado pelo relato Alfredo. Ele evidencia um salutar espirito competitivo no qual me revejo em muitos pontos.

Este tipo de provas é inequivocamente diferente das normais corridas de estrada. São as minhas preferidas e é com satisfação que tenho visto uma crescente adesão.
No próximo ano vamos tentar duplicar o número de presenças R4F.

Bom descanso a todos.

Ndda disse...

Fantástica crónica !

Deve ter sido uma dura prova seguido de um optimo almoço.

Parabéns a todos,

RunAbraços,

NDA

nemagiev disse...

Parabens a esta malta que não lhes chega correr a direito...a ver se um dia experimento...mas com outro treino e de preferência para primeiro um não tão puxado

Nuno Sentieiro Marques disse...

Belo relato Alfredo.

Obrigado pela magnifica partilha.

Parabéns à fantástica armada presente e aos resultados alcançados em prova seguramente de dificuldade elevada.

Runabraços

Jorge Duarte Pinheiro disse...

Belo relato! Parabéns aos trailers trepadores. Não obstante ter sido duro, parece ter sido divertido-

Cesar Moreira disse...

Alfredo, tendo sido um dos R4F que participou só posso dizer que o relato é muito fiel ao que passamos..

Sem duvida que o que teve de Belo foi proporcional à dureza da prova, mas reconfortante por termos chegado ao fim..

Para o ano lá estaremos

Muitos Parabéns pelo resultado

RunAbraço

Cesar Moreira

Joao Fialho disse...

Obrigado pelo teu relato da prova Alfredo.

Também gostei do toque verde da prova! Verde combina bem com laranja.

As corridas em trilhos permitem introduzir dificuldades acrescidas e paisagens extraordinárias.

Parabéns a todos os atletas nesta já célebre presença do Run 4 Fun.

Paulo Marcos disse...

O relato deixou-nos com água na boca...gostei apenas um pouco menos da cor verde...

E recomendo os trilhos como forma de quebrar a monotona do alcatrão, conhecer gentes e locais menos urbanos...e prevenir as lesões de repetição.

Estimo recomeçar em breve e poder-me juntar a vós! Por enquanto, e neste interlúdio, o cross-country tem sido mais de bicicleta!

Sérgio Caiado disse...

Excelente leitura Alfredo. Também estive lá e mesmo com mau tempo achei a prova espectacular. Lançou o meu interesse por trails :) Grande parede de facto... mas incrível a sensação de chegar ao topo eheheh