segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

A minha primeira maratona

Concretizei um sonho, efectuar a minha primeira maratona.

A minha adrenalina começou na véspera, jantei um prato cheio de massas, preparei com muito cuidado todo o equipamento e coloquei o despertador para as 6,50.

Eram 23 horas quando me fui deitar, escusado será de dizer que não dormi nada. Eram 2 da manhã e nada de adormecer e quanto mais pensava que tinha que descansar mais desperto ficava, por fim lá adormeci.

6,45 o despertador não precisava de tocar porque a pestana já estava aberta.

Chego ao Estádio 1º de Maio já a excitação estava ao rubro. Procurei o João Ralha que me tinha feito o favor de levar o meu dorsal. Dirigi-me ao pavilhão multi-usos e entreguei o saco com a minha roupa.

Juntei-me aos meus companheiros na zona da partida, que iam fazer a maratona a meia-maratona e estafetas, para as trocas de impressões, objectivos, tácticas e dicas para efectuar a prova.

9 horas é indescritível a adrenalina que estava no ar, ouvimos as últimas dicas dos nossos companheiros já experientes nestas correrias, concentramo-nos, e, eis que se houve o tiro de partida.

Juntei-me a um grupo de companheiros uns estreantes como eu, Miguel Dias e o António Serafim, e os mais experientes o Miguel San-Payo e Jorge Pinheiro.

Km 10, o Jorge Pinheiro desapareceu e foi substituído pelo César Moreira, fiquei eu mais o Miguel San-Payo, Miguel Dias, António Serafim e o César Moreira.

Km 14, perto de Sete-Rios avanço e sigo sozinho à procura do Jorge Pinheiro.

Km 18, juntei-me ao João Pedro Palmela e fui com ele pela Avenida da Liberdade, Restauradores, Rossio, Rua do Ouro, Praça do Comércio que estava bastante animada com bombos e muitos espanhóis que faziam uma grande algazarra, mais parecia que estávamos a fazer a maratona de Madrid.

Km 24, Avenida 24 de Julho o o João Pedro Palmela desaparece e junta-se a mim de novo o grupo inicial: Miguel San-Payo, Miguel Dias, António Serafim e o José Magalhães.

Km 31, ainda na Avenida 24 de Julho, Miguel San-Payo, Miguel Dias e António Serafim arrancam e fico para trás e o José Magalhães ainda um pouco mais para trás.

Km 34, encontro o Jorge Pinheiro ao chegar ao Caís do Sodré (andava o Gerardo Atienza a fazer de reboque) e sigo juntamente com ele até à Praça do Comércio, Rua da Prata, Praça da Figueira, Martim Moniz e começamos a fazer a fatídica Almirante Reis.

Km 38, eu e o Jorge Pinheiro juntamo-nos ao Miguel Dias, e passa por nós a Luísa Ralha, dando-nos indicações para irmos com calma porque já faltava pouco para terminar.

Km 39, Jorge Pinheiro e Miguel Dias seguem e fico para trás. Foi o momento mais emotivo que tive porque tive que gerir uma série de conflitos dentro da minha cabeça, e comecei a emocionar-me bastante, certamente derivado ao esforço, as lá consegui arrumar a cabeça concentrar-me na prova com um único pensamento “já falta pouco”.

Km 40, Rotunda do Areeiro, abastecimento com fruta e agua, ai parei e as pernas já não respondiam, aproveitei para comer uma laranja, beber agua e fui a andar pela Avenida João XXI.

Km 41, Entro na Avenida de Roma e começo a correr e vejo ao fundo cerca de 400 metros à minha frente o Miguel Dias, ganhei de novo animo e foi sempre atrás dele, embora mantendo sempre a mesma distância, porque as pernas não davam para mais.

Km 42, entro na Avenida Rio de Janeiro, e cruzo-me com a minha família que saltava, gesticulava e gritava palavras de incentivo, confesso que me contive para que as lágrimas não me caíssem pela cara abaixo (não é que seja vergonha chorar, mas bolas, era a minha primeira maratona não podia dar parte fraca).

Km 42,196, a META, desculpem-me mas não consigo descrever a sensação que tive, é uma mistura de júbilo, excitação, euforia e mais uma série de adjectivos difíceis de empregar, mas uma coisa é certa, é uma experiência única cortar a linha da meta ao fim de 42,196Km.

Na linha da meta encontro o Jorge Pinheiro e o Miguel Dias, cumprimentamo-nos e felicitamo-nos pela concretização da maratona.

Nas bancadas do Estádio 1º Maio encontro uma enorme onda laranja, que era em grande parte os que fizeram a Maratona a Meia-Maratona e Estafetas, que nos felicitavam por chegarmos ao fim.

Quero deixar aqui um grande agradecimento à Minha Família que me apoio em todo o processo de treino e concretização da prova.

Agradeço a todos os companheiros corredores, rebocadores, fotógrafos e apoiantes, (peço desculpa por não mencionar os nomes, porque são tantos que correria o risco de me falhar alguma pessoa).

Não posso deixar de agradecer todos os companheiros que comigo fizeram o trabalho de casa, que foi treinar, sem esse treino nada se conseguiria.

RunAbraços,

Jorge Paulo

17 comentários:

Alfredo Falcão disse...

Espectacular descrição Jorge Paulo, o dificil, o facil, o grupo, a gestão da cabeça, a emoção ... está cá tudo! Parabéns e que seja a primeira de muitas!

José Magalhães disse...

Grande Jorge Paulo. Km a Km, conseguiste decorar tudo. Grande prova. Sempre com um bom ritmo e com uma grande alegria.
Parabéns

Ndda disse...

Parabéns Jorge!

Obrigado pela partilha... corri contigo nestes ultimos kms.

Sabia que estavas capaz dado demonstrares muita determinação nos treinos.

A partir de ontem nunca mais serás o mesmo.

RunAbraços

Muitos Parabéns

46 disse...

Pois é Jorge Paulo,

está feito.

Quando fizeste o trail da Arrábida com os R4F pela primeira vez, nunca te passou pela cabeça fazeres uma Maratona, pois não?

Muitos parabéns pela tua vitória e que continues a conquistá-las.

AC

Jorge Esteves disse...

Parabéns Jorge Paulo!

És maratonista!

Grande relato cheio de intensidade, que revela bem o que se sente durante a maratona e o que faz com que seja uma prova especial!

Runabraços

horticasa disse...

Ó pá você fez-me chorar!...
Parabéns, bj eugénia

Cesar Moreira disse...

Caro Jorge, ao ler o teu relato revivi alguns sentimentos/ emoções que senti durante a corrida, parabéns porque foste um heroi...

Quando descolei de vocês podias ter dito que ias cmg, que eu levava-te ao Jorge Duarte Pinheiro, ainda vi que durante algum tempo ias atras de mim, mas depois deixei de ver, desculpa podia ter-te rebocado

Foi a primeira de muitas, Parabéns

RunAbraço

João Ralha disse...

Fantástico como no meio de tanto esforço e tanta emoção ainda conseguiste fixar todos estes detalhes.

É uma notável descrição do que se sente durante uma maratona. A primeira é sempre única e nunca mais se esquece.

Parabéns Jorge Paulo, pela tua determinação em conseguir algo que só muitos poucos conseguem. Mais ainda, pelo fato de seres o mais experiente de nós a fazê-lo.

O Jorge Paulo não parece, mas já ultrapassou as cinco dezenas de anos e como tal, é um exemplo para todos os mais jovens, que às vezes julgam que já são muito velhos para se abalançarem a tamanho empreendimento.

Mais uma vez parabéns e que venha a próxima.......

Runabraços

Maria João Coutinho Rebelo disse...

Jorge, gostei muito do teu relato da prova! Obrigada por partilhares todas as tuas emoções!
Ao ler o teu relato consegui sentir um pouco do que sentiste, o que me fez ambicionar a objectivos mais fortes.
Muitos parabéns e segue para a próxima!

Nuno Sentieiro Marques disse...

Caro Amigo,

Muitos parabéns. Pelo relato e pela proeza.

Sinceramente falando, durante os treinos que efectuámos em conjunto, nunca duvidei de que o conseguirias (tal como os demais 5).

Confesso pela primeira vez que as minhas dúvidas recaiam em mim e no Cesar.
Estava demasiado ansioso e preocupado com as minhas pernas, após os 35Kms (e realmente elas deram sinal...mas voltaram ao sitio :-) ) e relativamente ao Cesar porque não o conhecias e sabia que estava a treinar à relativamente pouco tempo.

O que é um facto é que terminámos todos....e bem.

Obrigado pela emocionante partilha...eu também me recordo perfeitamente de todos os Kms que percorri...foi a primeira e a primeira é sempre a primeira.

Runabraços

Paulo Marcos disse...

Parabéns Jorge. Tocante relato. Agora fazes parte dos 1.000 (sensivelmente) portugueses que correm ou correram recentemente uma Maratona!

A few choosen ones...diria alguém muito famoso...!

Manuel Romano disse...

Com a determinação e empenho que colocaste nos treinos, estava claro que terminarias mais ou menos à vontade esta prova. Parabéns pela excelente prova e pelo magnifico relato.

Joao Fialho disse...

Emocionante relato Jorge.
Fantástica prova que fizeste de superação individual.

Um objectivo, uma enorme dificuldade e um desafio superado.

Muitos Parabéns!
E felicitações extensíveis à tua família.
O apoio deles é fundamental, essencial e extremamente motivador!

Carlos Melo disse...

Muitos Parabéns Jorge Paulo!

Emocionante relato.
Está feita! És Maratonista.

A preparação de uma prova destas, a ansiedade e a esperança que criamos em nós próprios antes e no decorrer da Maratona são muito marcantes.

Agora nada melhor do que é melhor começar já a preparar a próxima.

RunAbraços.

Jorge Duarte Pinheiro disse...

Relato arrepiante, Jorge Paulo. Também tu passaste além da dor.
Runabraços

Teodoro Trindade disse...

Grande descrição Jorge, obrigado.

Sem dúvida que foi uma enorme vitória e que também por isso ela será inesquecivel.

Parabéns.

Orlando Ferreira disse...

Parabéns Jorge Paulo.
Que nível de detalhe! Com a experiência, no futuro vais comentar só de 5 em 5Kms e depois já só conta depois dos 30...