sábado, 30 de abril de 2011

XI Grande Prémio Rui Silva - Cartaxo



Na tarde de hoje muito chuvosa, a chuva fez um intervalo no Cartaxo no decorrer do GP Rui Silva, organização da Câmara Municipal do Cartaxo de homenagem ao atleta do Sporting, campeão português de meio fundo (na foto) com uma carreira brilhante incluindo campeão da Europa, campeão do Mundo e medalhado olímpico.

Corrida de 10 km integrada na festa do vinho da região, partiu no exterior do Estádio Municipal, deu 2 voltas num circuito urbano no Cartaxo (menos voltas que em 2010). Na passagem pelo centro do Cartaxo havia uma boa moldura humana popular de apoio à corrida. Terminou com uma volta na pista de atletismo do Estádio. O anfitrião Rui Silva venceu ao sprint esta prova.

Uma proposta diferente na véspera de uma prova em Lisboa muito concorrida, talvez por isso o GP Rui Silva não teve tantos atletas.

RunAbraços.

100 km entre Tejo e Atlântico

Os nossos amigos do Clube do Stress, António Carlos Teixeira Duarte e Tiago Dionísio vão fazer uma Ultra Maratona de 100 km, no próximo dia 14 de maio, Sábado, com início no Pavilhão de Portugal, na Expo, às 6:00 da manhã (.... pela fresquinha.....) e final previsto, na Ericeira, às 18:30.

O percurso é sempre junto à água. No início, junto ao Rio Tejo e depois, paralelo ao Atlântico.

É um grande desafio e aqui fica a informação para quem quiser , numa qualquer parte do percurso, acompanhar estes bravos e experientes corredores. O Tiago faz parte de um restrito grupo de corredores que completaram 10 vezes a mítica Comrades, na África do Sul.

São ambos muito simpáticos e as fotos mostram duas ocasiões em que participámos nas mesmas corridas. No caso do António Carlos, foi a Corrida da Árvore de 2010 e no caso do Tiago Dionísio, foi na Maratona Carlos Lopes de 2009, na qual 5 dos nossos companheiros fizeram a sua 1ª Maratona, quatro dos quais na foto. O quinto foi o Eduardo Correia, que está na outra foto.

Runabraços

XXII Meia-Maratona de Setúbal

Aproveito a sugestão do João Ralha e renovo o convite para a Meia-Maratona de Setúbal.

Terá lugar no próximo dia 08 de Maio de 2011, às 10h00, a XXII edição da Meia Maratona Internacional de Setúbal-Costa Azul.

A partida e a chegada serão no Largo José Afonso. A organização técnica ficará a cargo da Xistarca.
O valor da inscrição é de 8€ e pode ser feita através da Xistarca (indicar 730 - Run 4 Fun na equipa).
Existe também uma mini-maratona das famílias na extensão de 4 Kms.
Mais informações através dos números de telefone 213 616 060, 963 444 476 e 265 235 370.

Esta é também uma corrida solidária a favor do Banco Alimentar Contra a Fome.
Em todas as inscrições 1€ reverte a favor do Banco Alimentar.

Vamos correr por uma causa: contra a fome!

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Os bravos de "Sierra Madre"

Caros Amigos,

Eu, cada dia que passa, mais prazer tenho em correr convosco, mais ganas sinto para conseguir ultrapassar os meus limites e definir outros objectivos a alcançar.

A corrida e estas brincadeiras a que chamamos de "provas" e que partilhamos em conjunto quase todos os fins de semana (o Zé Carlos Melo, seguramente que todos os fins de semana e às vezes mais que uma vez por fim de semana :-) fantástico exemplo), têm servido de autentico escape aos permanentes "stres's" do dia à dia.

Um grande bem haja a todos e a que consigamos manter aceso este espirito R4F que foi criado e que tanta boa disposição nos tem dado.

Já é tarde(está na hora de ir dormir :-) ) e não vos quero maçar com mais dissertações filosóficas, já chega de introducção para o que Vos trago hoje.

Apresento-vos os super atletas de Sierra Madre e Sua História.
É mais um exemplo de que os limites...são quase ilimitados (não sei se estes "Indios" também colocam a folha de coca na boca..."privet joke" relativa ao almoço do passado sábado :-) )

http://www.youtube.com/watch?v=YIyEvomUz14

O video está em Inglês...peço desculpa pela falta de tradução...apesar de as imagens falarem quase só por si, para que façam mais sentido para quem tenha mais dificuldade como Inglês, encontrei este texto na Net que explica um pouco a História destes "Super Indios".

Runabraços

**********************************************************
Christopher McDougall passou dias a vasculhar a Sierra Madre, no México, em busca de um homem que julgava ser inventado: o Cavallo Branco. Uns diziam que era um fugitivo, outros afirmavam que era um pugilista que tinha espancado um homem até à morte no ringue e tinha procurado aquelas ravinas para redimir culpas. "Tenham cuidado com ele. Já ouvi falar desse Cavallo. Era um lutador que ficou loco. Morreu-lhe um homem e virou loco. Pode matar-vos com as mãos nuas. E além disso - acrescentou, caso nos tivéssemos esquecido - é loco." Uns diziam que era "engraçado e simpático", outros descreviam-no como "esquisito e gigantesco". Não se sabia nome, nem idade, nem onde teria nascido. E ao fim de dias ao ouvir as histórias mais inverosímeis sobre o vagabundo solitário que teria abandonado a civilização para passar os dias a correr nas montanhas, o americano Christopher McDougall achou que estava no meio de um fiasco. "A história parecia boa demais para ser verdade", escreveu, e resignou-se.

O Cavallo Branco nem sequer tinha sido o pretexto para McDougall perseguir a história que resultou no livro "Nascidos para Correr". Tudo tinha partido de uma simples pergunta: "Por que me dói o pé?" O jornalista da "Men''s Health" e corredor nas horas livres tinha consultado os melhores especialistas em medicina desportiva e ouvido sempre as mesmas respostas: o seu problema é correr; um corpanzil como o seu, de 1,93 metros e 104 quilos, não foi feito para andar "aos pinotes contra o chão". Em 2004, em reportagem no México, cruzou-se com uma revista de viagem com uma foto de um homem que confundiu com Jesus. Não era mas tinha 55 anos, uma túnica, sandálias e era capaz de sprintar 160 quilómetros pelas montanhas.

"Nunca tinha ouvido falar de ninguém que conseguisse essa proeza, e quando descobri que ele fazia parte de uma tribo que conseguia correr as mais longas distâncias, fiquei em pulgas para descobrir todos os seus segredos", contou ao ao i, por email, o autor e ex-correspondente da Associated Press em Lisboa.

Na condição de jornalista e "corredor aleijado" partiu para a terra dos Tarahumara: um lugar remoto do México, impossível de aceder por estrada, patrulhado por atiradores furtivos e controlado pelos cartéis de droga. "Tive sorte porque encontrei um homem que me pôde guiar pelos canyons. Era um caminho longo e difícil e mais perigoso do que esperava. Nunca imaginei que teria de atravessar um território controlado pelos cartéis de droga", recorda McDougall, que ali passou quatro temporadas durante dois anos.

Os Tarahumara são "uma pequena tribo que vive da mesma maneira desde 1600, quando se esconderam nos Canyons para escapar dos Conquistadores", explica o jornalista e escritor. Entre eles, não existe crime, nem assaltos, nem obesidade, diabetes ou depressões. Vivem em casas camufladas e usam como moeda de troca grandes baldes de cerveja de milho. Os homens de 50 anos correm como adolescentes, os velhos de 90 correm distâncias de maratona. Se um aventureiro demora dez horas a subir de mula uma montanha das Ravinas do Cobre, um corredor tarahumara demora apenas 90 minutos a fazer o mesmo percurso. A alcunha dita-lhes o perfil. São conhecidos como "Rarámuri" - O Povo Corredor. Não é ficção e existe mesmo um povo assim, que quase nunca ninguém viu.

No início da década de 90, o fotógrafo Rick Fisher descobriu as capacidades atléticas da tribo e convenceu alguns a participar na corrida de Leadville, a cidade mais elevada da América do Norte. Durante dois anos, foram um fenómeno. Ninguém acreditava naqueles homens parados na linha de partida com faixas de borracha de pneu transformadas em sandálias, até os verem correr como relâmpagos. Ann, uma maluca da competição que chegara a correr uma ultramaratona por mês, não conseguiu travar o espanto ao ser ultrapassada por um deles: "Nem parecia cansado! Era como se estivesse só... a divertir-se." E os sapatos Rockport tornaram-se apoiantes oficiais da única equipa de corrida do mundo que detestava sapatilhas e que demonstrava não precisar delas para nada. A revelação durou pouco: o agente Fisher endoideceu, cegou com loucuras publicitárias e os Tarahumara voltaram para o seu canyon. Desde então recusam sair do seu último refúgio no fim do mundo.

O Cavallo Branco, que afinal não era um mito, é americano e participou na corrida de Leadville, foi atrás da tribo secreta, em busca da sua arte. Não se veste nem fala como os tarahumaras mas há dez anos que é um deles. Christopher McDougall passou dias a tentar encontrá-lo. E o Cavallo também queria encontrar o jornalista. O discípulo da arte Tarahumara tinha um plano e precisava de um estrangeiro influente para o concretizar: organizar uma corrida entre alguns dos melhores ultramaratonistas e os índios tarahumara. Um desafio secreto, num percurso de 80 quilómetros só palmilhados pela tribo. "Que vencedor de ultramaratonas é que se vai meter numa corrida com índios, em montanhas perigosas?". Nove meses depois a corrida entre os Tarahumara e os "Mas Locos" aconteceu. Cavallo Branco teve a oferta de um patrocinador, mas recusou. McDougall não voltou a ter notícias. "Eles não têm telefones, nem computadores, nem email."

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Challenge de Corrida do Algarve / Meia Maratona de Castro Marim

Neste fim de semana o RUN 4 FUN também participou na 6ª Meia Maratona de Castro Marim e no 2º Challenge de Corrida do Algarve. Evento com 3 corridas em 3 dias seguidos, efectuadas em 3 pisos diferentes, o Challenge de Corrida do Algarve é organizado pelo Clube Recreativo Alturense e a C.M. de Castro Marim.

A 6ª feira iniciou-se com uma prova de 5 voltas num circuito de corta-mato em Castro Marim com pouco menos de 1 km cada volta (estavam previstas 8 voltas, mas a organização decidiu reduzir para 5 voltas devido às condições meteorológicas). O piso do circuito de corta-mato estava molhado, mas não se encontrava enlameado como eu receava. Com tanta volta, às tantas perdi a conta e eu acabei por fazer 6 voltas (foi a minha estreia numa prova de corta-mato).

No Sábado, uma corrida de 5 km em areia na praia de Altura. Foi feito na maré baixa em piso molhado, em boas condições para a prática de corrida. No final, uma banhoca no Oceano Atlântico, composto de atletas a refrescarem os músculos.

No Domingo, a Meia Maratona de Castro Marim teve mais participantes que as outras provas. Neste dia, participaram mais do dobro dos participantes das restantes provas. A Meia Maratona iniciou-se em Altura, frente ao CR Alturense, foi até Castro Marim e voltou para Altura. Não é um percurso plano mas não tem declives significativos. Em termos de condições meteorológicas, o 3º dia da Meia Maratona foi o pior, mais seco e mais quente que os anteriores. O Teodoro Trindade participou na Meia Maratona e eu no Challenge.

Organização técnica da Xistarca com as provas bem organizadas, foram disponibilizados pacotes com alojamento e transporte, a preços competitivos.Uma escapadinha de um fim de semana com 3 corridas naquele cantinho de Portugal, de que gostei bastante. Um fim de semana bem passado.

Fotos Aqui.

RunAbraços.

domingo, 24 de abril de 2011

Um PBT por acaso

Caros amigos,

Na corrida do GP de Constância, ontem realizada bati, por mero acaso, o meu PBT dos 10 km, que era de 2008.

A razão para participar na corrida foi conhecer a cidade que vi quando fizemos os "Trilhos de Almourol", aqui há algumas semanas. Quando passei em frente pareceu-me muito bonita, apesar do cansaço que já tinha, na altura. A ideia de irmos à prova foi da Luisa. Uma razão adicional foi o Nuno Marques se ter oferecido para organizar o almoço que criou grande expetativa, quanto às "fataças" grelhadas.

Estou há 12 semanas a treinar para a Maratona de Estocolmo que espero fazer no próximo dia 28 de maio. Neste período de tempo fiz 54 treinos, num total de perto de 620 km, sendo 7 corridas, das quais 3 foram "trails" (Sicó, Pastor e Trilhos de Almourol). Nos "trails" as subidas são feitas em regra, a andar, pelo que sentia que estava relativamente "lento". A corrida em Constância seria um treino de "ritmo" algo pequeno, pois no meu plano, para esse dia, estava previsto um treino de 22,5 km de extensão.

Começámos a corrida com uma pequena rampa onde, por me sentir bem, começei a andar relativamente rápido. Isto porque passei, logo no princípio, o Zé Magalhães que ia junto com o Nuno Tempera. O Zé costuma começar as corridas num ritmo mais elevado do que o meu.

Não uso GPS.....ainda estou na idade da pedra....:-), apenas um Timex que permite tempos parciais. Aos 3 km vi que tinha 14;20 ou seja, ia rápido para o meu normal mas estava a sentir-me bem. Aos 5 km tinha 23:40, quando vi novamente o parcial. A partir daí, começei a controlar o tempo, km a km. E fui fazendo 4:32 ou 4:33/km até ao 8º km. No final do 7º km já me estava a sentir cansado, mas sentia que podia fazer um bom tempo.

Desde para aí, os 3/4 km eu vinha atrás de uma atleta chamada Sílvia Sobreira do CDUL, que já tinha referenciado em anteriores provas e que era o meu "alvo", ou seja, o meu objetivo passou a ser conseguir ultrapassá-la. E ela esteve sempre visível na minha frente, umas vezes mais perto, outras mais longe. Embora eu não a conheça, tenho que agradecer-lhe por ter mantido sempre um bom ritmo.

Nos dois últimos km, todo "roto", tive que puxar pelas reservas mentais, tanto que nem sequer vi a passagem do 9º km. Fiz um sub-total de 8:49, ou seja uma média de 4:25/km. E no final não consegui passar a Sílvia Sobreira, que ficou à minha frente por seis segundos, ou seja perto de 20 metros. Fiz 46:08 e bati o meu anterior PBT que era de 47: 26 na corrida dos 60 anos do Metro em Dezembro de 2008, que começou em Sete Rios e terminou nos Restauradores, sempre a descer, desde o Saldanha. Esta foi praticamente plana.

E assim bati eu o meu PBT, nesta corrida especial não apenas para mim pois, pelo menos, o Nuno Almeida, o Jorge Pinheiro e o Nuno Tempera também bateram os seus PBT´s em 10 km.

Deve ter sido do ar do campo (???!!!), da proximidade do rio Zêzere (???!!!!), do tempo que estava muito bom para correr.!!!!!!! ou da beleza da paisagem, mas foi por acaso, sem planeamento especial para a ocasião, o que talvez também não seja mau, pois não havia qualquer "stress".

Contem também algumas histórias dos vossos PBT´s...... para podermos aprender....

Em cima, foto com a maior parte dos participantes Run 4 Fun

Runabraços

24º GP Páscoa - Constância

Num dia propício para a corrida, sem Sol, tempo fresco, com alguma humidade, reunimo-nos na bela cidade de Constância, na altura das festas da Nossa Senhora da Boa Viagem. Uma cidade bonita, bem conservada, com muitas casas para venda, com uma vista soberba sobre o Zêzere.

"Numa pequena colina, na confluência do Zêzere com o Tejo, está Constância, também conhecida por Vila Poema, por causa da sua ligação a diversos poetas. Mas para muitos outros, a vila torna-se ela mesma em poesia em Abril, durante as Festas da Boa Viagem, quando toda a vila é decorada com flores de papel. .......Há quem defenda arreigadamente que Luís de Camões viveu em Constância durante algum tempo, quando tinha 23-24 anos, cumprindo penas de amor - e como que a prová-lo, apontam uma casa situada à beira Tejo, a Casa dos Arcos (séc. XV), como sendo a do nosso grande poeta épico. Verdade? Mentira? É difícil prová-lo. O melhor é acreditar!" texto de M.Margarida Pereira-Müller em http://www.aaaio.pt/public/ioand448.htm

Um grupo de companheira(o)s participou na corrida e alguns na Caminhada, efetuada ao longo da margem do Zêzere, num percurso sem grandes dificuldades, com uma ligeira rampa com 100-200 metros a subir, no início da corrida e a descer no final.

Uma chuva de PBT´s, em 10 kms; Nuno Almeida 1 semana após a Maratona de Madrid, Jorge Duarte Pinheiro, João Ralha (ao fim de 3 anos), Nuno Tempera e não sei se mais algum. É favor comentarem...

Depois da corrida, duche no Parque de Campismo, onde a maior parte dos chuveiros tinha água fresquinha, excepto um, que alguns sortudos apanharam, que tinha água quente. A seguir, partida para Boquilobo para a parte mais aguardada desta "deslocação", o almoço.

Um grupo de 21 pessoas convergiu para o "Retiro da Fataça" já descrito pelo Nuno Marques em "post"anterior. A especialidade da casa são as fataças na grelha e as enguias. As fataças, noutros lugares, chamam-se taínhas (em Lisboa) ou muge ( no Alentejo). Dizem que sabem aos lugares onde andam, o que na zona de Lisboa não será muito agradável, pela poluição. Daí a sua má fama, para alguns. Mas outros, dizem que, para montante do Tejo a partir de Vila Franca de Xira, já não há problemas de poluição e daí ser a taínha ou fataça um peixe muito apreciado nessas zonas

Devo dizer que, nunca tendo provado as taínhas, gostei das fataças, tal como a generalidade dos companheiros que as saborearam. Antes das fataças, uns queijos e umas enguias fritas que estavam uma delícia. A acompanhar, um vinho branco, com algum gás, 10º de teor alcóolico, adamado (com um toque doce) e que dizia no rótulo "feito com vários vinhos da CE" !!!????. Outra informação no rótulo era "Angola:não é permitida a venda a pessoas com menos de 18 anos" !!!!... Na verdade, este "vinhito" ligou muito bem com as fataças.

No final, a conta foi uma agradável surpresa. Os nossos agradecimentos ao nosso companheiro Nuno Marques, o nosso "organizador-mor" que mais uma vez preparou tudo com o máximo detalhe, desde o estacionamento, o levantamento dos dorsais, até ao almoço, passando pelo duche no parque do campismo. Ó Nuno, cuidado, que a gente habitua-se......

Nuno, muito obrigado pela tua disponibilidade e amizade.

E já que falámos mais do almoço do que da corrida a foto é......do almoço

Mais fotos aqui. As das fataças não estão grande coisa, porque o fotógrafo está muito abaixo do nível dos nossos Photo4Ever.

Runabraços

quinta-feira, 21 de abril de 2011

Portugal Day @ NYC

10 Junho 2011, Dia de Portugal
E que tal celebrar o Dia de Portugal em Nova Yorque a correr no Central Park?

A ideia é da New York Road Runners (NYRR) e o convite está publicado online, com todas as informações sobre a logística do evento (dorsais, pagamentos, estadia, etc...).
Aqui podem encontrar o mapa do percurso, e até fazer a inscrição online.

A New York Road Runners está localizada Nova Iorque, na 9 East 89th Street (entre a Madison e a 5ª Avenida), a menos de um quarteirão do Central Park, e está aberta dias da semana entre as 10h e as 20h, sábados das 10h às 17h, e domingos das 10h às 15h.

Run 4 Fun pelo prazer de correr.



What about to celebrate Portugal Day in NYC running in Central Park?

The idea came from New York Road Runners (NYRR) and the invitation is published online, with all information regarding the event (race numbers, entry fees, travel, etc...).

You can also find course map, and an online registration.

New York Road Runners is located in New York City at 9 East 89th Street (between Madison and Fifth Avenues), less than a block from Central Park, and is open weekdays from 10 a.m. to 08 p.m, Saturdays from 10 a.m. to 5 p.m., and Sundays from 10 a.m. to 3 p.m.

terça-feira, 19 de abril de 2011

Vienna City Marathon 2011


A 28ª edição da Maratona da linda cidade de Viena teve lugar no dia 17 de Abril de 2011.

Foram +32.000 atletas entre a maratona, meia-maratona e a prova por estafeta, vindos de +100 países.

O site oficial da prova disponibilizou pacotes promocionais para o evento, com várias ofertas de alojamento, acesso completo a todos os transportes na cidade, treinos de reconhecimento do percurso, pequeno-almoço especial para atletas no dia da prova, mapas turísticos e informações sobre toda a logística associada ao evento.
As notificações por SMS do início e fim da prova disponíveis para vários números de telemóvel por atleta podiam ser configuradas.

O levantamento de dorsais ocorreu sem problemas (para +32.000 atletas!) e indicava imediatamente ao atleta qual o seu bloco de partida através de um simples mecanismo de cores. Os dorsais foram entregues numa feira onde empresas desportivas apresentavam os seus novos produtos e estava disposto por forma a obrigar a todos os atletas a circularem no recinto.

Na véspera da prova um treino organizado na famosa ringstrasse, cerca de 6 Kms num "anel" que circunda os mais bonitos monumentos da capital austríaca.

Um treino calmo, muito agradável, de reconhecimento do percurso da prova conduzido por um atleta austríaco de renome, ao qual se sucedeu uma festa internacional organizado pela prova no salão de honra da Câmara Municipal de Viena. É um dos mais belos edifícios entre os vários monumentos existentes ao longo de Viena, tendo sido erguida no séc. XIX.

Depois de dias onde se notava a ansiedade que vários atletas tinham por participar na maratona, chegou finalmente o dia esperado...

E de repente a cidade acordou com avenidas cortadas, placas de publicidade dos dois lados da estrada, e fitas de publicidade no centro das avenidas, placards electrónicos gigantes onde filmes de publicidade e imagens de cobertura da prova eram mostradas, locais de abastecimento onde estavam instaladas mesas, cadeiras, e palcos onde mais tarde actuariam animadores. Tudo isto preparado enquanto a cidade dormia!

A organização da prova não descuidou sequer a alteração da cadência do Metro por forma a permitir o transporte em segurança a todos os 32.0000 atletas até ao local da partida, a "cidade da ONU". E nem uma mensagem em várias línguas a desejar boa prova a todos os atletas foi esquecida em cada composição do metro.

No local da partida haviam várias "hospedeiras" a confirmarem o acesso aos respectivos blocos de partida. Aqui, e durante o aquecimento cruzamo-nos com vários portugueses, e com a comitiva de elite, onde se destacava o campeão Haile Gebrselassie.

Tudo isto enquanto se ouvia música animada em toda a zona da partida.

E de repente o animador solicitou, através do sistema sonoro da organização "please stand up", e o hino autríaco ecoou nos altifalantes, assinalando a proximidade da partida. Todos alinhados nos respectivos blocos e, às 09h em ponto, foi possível partirem +32.000 atletas sem um único tropeção, empurrão, ou qualquer outra confusão! Exemplar!

O percurso pelos jardins na primeira parte da prova, onde estradas rasgam a meio um parque verdejante, foi saudavelmente cumprido. Uma segunda parte, o percurso pelo centro da cidade passando por alguns dos edícios monumentais desta capital do antigo império foi absolutamente deslumbrante.
De 5 em 5 Kms existiam os leitores dos chips a registarem os tempos de passagem, sempre com música e imenso público a acompanhar a prova e a motivar todos os atletas debaixo de um calor que se tornava cada vez mais abrasador à medida que as horas iam subindo e os Kms iam pesando!

Haile Gebreselassie, o actual detentor do recorde mundial da maratona foi o esperado vencedor da meia-maratona e deixou o 2º classificado a mais de 9 min. de distância. Gebreselassie fez a meia-maratona a uma velocidade de 20.99 Km/h, i.e. 2:51 min/km em média. “Catch him if you can”!


A portuguesa Dulce Félix liderou a maratona feminina até ao Km 41, e ficou em 2º lugar a 9 segundos de distância da vencedora. Uma excelente prova da campeã portuguesa, e logo na 2ª (!!!) participação numa Maratona! Parabéns!

Para mim e para o Eduardo fica uma experiência única vivida, e sempre com uma organização excelente.

Morreu Grete Waitz, a maior maratonista de sempre...


http://news.yahoo.com/s/ap/ath_obit_waitz


Lembram-se da Norueguesa que bateu records do mundo nos 1500, 3000 metros e Maratona? Que na primeira vez que correu uma Maratona, supostamente apenas para servir de lebre, a ganhou? E logo na de Nova Iorque, que ganharia por 8 vezes....!

Que esteve 12 anos imbatível em provas de corta mato por esse mundo fora....

Maratona e Meia Maratona de Viena Áustria



Numa manhã com sol e temperatura propicia à prática desportiva, com cerca de 10.000 inscrições para a maratona e 20.000 para a meia maratona e maratona por estafetas, teve inicio na “cidade da ONU”, passando logo de seguida pelo Danúbio e percorrendo parques e ruas da cidade de Viena, (classificada como a cidade com melhor qualidade de vida da europa), ao som de bandas musicais e nas avenidas e percursos mais longos a ouvir valsas de Strauss....simplesmente divino.

Não vale a pena dizer que foi a maratona que mais me custou, porque todas são diferentes e custam bastante, mas esta foi sem dúvida a menos preparada, com paragem de treinos em Fevereiro, sente-se bem a diferença ao longo do percurso. Comecei bem , com boa média km/hora até ao km 28 a partir daí foi gerir a componente física com a mental até ao km 41,5 onde se juntaram o meu filho Bernardo e o nosso amigo João Fialho , (após ter concluído a meia maratona e de ter apanhado uma “seca” à minha espera) até à meta onde concluí a minha 6ª maratona em 3h44m e o João a sua primeira meia maratona internacional em 1h36m. Obrigado João e Bernardo.
A próxima será melhor!!

Para mais tarde recordar, fotos aqui

segunda-feira, 18 de abril de 2011

24º GRANDE PRÉMIO DA PÁSCOA - CONTÂNCIA

Caros Amigos,

No próximo dia 23, Sábado de Aleluia, estaremos presentes com vários atletas em mais uma grande aventura por terras Ribatejanas, mais propriamente no Grande Prémio da Páscoa em Constância do Ribatejo.

Sendo eu um oriundo da Zona (mais propriamente Riachos / Torres Novas), tomei a liberdade de sugerir algum apoio para a primeira parte da prova (logística inicial) :
- A entrega dos Dorsais será a partir das 8:30, junto ao local da partida (espero chegar cedo e levantar os dorsais relativos à nossa equipa);
- Deixar os carros junto ao parque náutico e atravessar a ponte a pé, poderá ser a melhor sugestão. O transito vai estar cortado nas principais vias da vila e tentar entrar em Constância no sábado antes da prova será muito complicado (as provas da miudagem vão começar às 9:30);
- O inicio da Prova está previsto para as 11:15 (tendo eu os dorsais comigo, penso que podemos marcar na zona da partida entre as 10:00 e as 10:15).
- Penso que a 120Km/Hora, Lisboa – Constância, via A1 e A23, poderá levar cerca de 1h30.

Utilizando a “desculpa” do ponto anterior, tomei igualmente a liberdade de Vos fazer uma pequena sugestão para a terceira parte da prova (a segunda parte é a corrida e aí fico-me por Vos sugerir para desfrutarem da fantástica paisagem do percurso…sempre junto ao rio…o resto é com cada um de vós :-) ) :
- “Banhoca” no final…será nos balneários do Parque de Campismo. Levem as toalhitas, chinelitas, sabonetes, etc, porque essa parte não consegui resolver.

Nota : um agradecimento especial ao Professor Luis Correia da câmara municipal de Constância, pela simpatia e atenção para que teve com os R4F, na ajuda da construção destas duas primeiras sugestões.

Utilizando uma vez mais as “desculpas” dos pontos anteriores, tomei outra vez a liberdade de fazer uma final sugestão para a 4ª e última parte da prova (e mais importante) … a paparoca e o convívio entre amigos :-) .

Após várias análises às muitas sugestões que me vieram à cabeça, acabei por excluir Constância (tem um ou outro restaurante simpático junto ao rio, mas no dia da prova deve ser muita a confusão), e cheguei a uma alternativa que está entre o meu TOP5 de restaurantes na zona e pode albergar um grupo com a dimensão que terá o nosso :

- O Retiro da Fataça (sempre que tenho saudades de uma boa fataça…é lá que caio).
Riachos – Paul do Boquilobo (pequeno desvio da rota de volta e está a 20mints de Constância).
O restaurante é recente, mas tem origem naquela que terá sido provavelmente a mais antiga “tasca” na reserva natural do Paul do Boquilobo.
As melhores fataças grelhadas do mundo, boas enguias e de resto é o normal e habitual (febras, bifes, costoletas…).
O serviço é à antiga e é mesmo tipo “tasco”(que eu saiba ainda não bateram em ninguém…mas nunca se sabe :-) ).
Se gostam de peixe do rio e enguias…é uma muito boa opção qualidade/preço (eu “passo-me” com aquelas fataças grelhadas e como sou cliente antigo…sou “menos mal” tratado :-) )
Qualidade / preço bastante aceitável e a “esplanada” tem uma vista agradável.

Obs : tudo o que pensei a nível de restaurantes, são locais típicos, mas não “típicos pró turista”…ou seja são os sítios onde vou com amigos e família…nada de restaurantes vistosos e de boa apresentação…por lá também há, mas não se come melhor, antes pelo contrário e paga-se seguramente mais.

Neste momento tenho como confirmados (corrida e almoço) :
- Luísa e João Ralha
- Paulo Marcos e Inês
- Jorge Esteves e Elsa
- José Magalhães e Família (mulher e 2 filhos)
- Nuno Tempera
- Jorge Pinheiro
- Nuno e Cristina (e Vera)
- João Fialho (em dúvida…veio de Viena “tocado”)

Qualquer comentário ou sugestão adicional…é muito bem vindo.

Fico a aguardar mais alguma confirmação de presença e desde que concordem com as sugestões, sexta-feira farei a devida reserva no Restaurante.

Runabraços,
Nuno

domingo, 17 de abril de 2011

Estafeta e 20 km Cascais-Oeiras-Lisboa

Decorreram hoje 2 provas em paralelo. A Estafeta "Cascais-Oeiras-Lisboa", uma prova de estafetas 4*5 km. E os 20 km em Linha. Ambas as provas tiveram o mesmo percurso.

Segundo a organização, esta 72ª Estafeta "Cascais-Oeiras-Lisboa" é a mais antiga prova de estrada em Portugal, esteve "adormecida" e foi agora "rescuscitada. Para os mais atentos, esta prova ocupou este fim de semana, que estava inicialmente previsto para a Corrida do Metro, mas que não se veio a confirmar.

Pelo RUN 4 FUN estiveram presentes 9 atletas: Alfredo Falcão, Jorge Paulo, Teodoro Trindade. E a "armada" da margem Sul: Amélia, Isabel, Carlos Gonçalves, João Gois e Rui Oliveira. Uns como individuais, outros com dorsais cedidos.

A partida de ambas as provas foi junto ao Casino Estoril, iniciu-se pela Av. Aida até à estação da CP do Estoril. Depois percorreu a Avenida Marginal, passando pela Parede (local da 1ª transição da estafeta), Santo Amaro de Oeiras (local da 2ª transição), Cruz Quebrada (a 3ª transição efectuou-se no Alto da Boa Viagem), Algés e terminou em Belém na Praça do Império, com o Mosteiro dos Jerónimos em fundo.

Prova efectuada num percurso muito belo, passando pela costa e pelas praias da linha do Estoril, que se encontravam compostas de gente a aproveitar uma manhã cheia de sol, mais parecia uma manhã de Maio ou Junho. A temperatura esteve mais elevada do que o habitual para esta época e o percurso desde o Estoril até Belém foi feito com vento contra com alguma insensidade.

Uma bela manhã de exercício físico num percurso motivador.

RunAbraços.

Maratonas de Madrid e Viena e Meia de Viena

Mais um Maratonista Run 4 Fun.

O Nuno Dias de Almeida, o nº 333 na foto, ao lado do Luís Matos Ferreira, fez hoje a sua 1ª Maratona, em Madrid. Uma Maratona difícil onde, no ano passado, também se estrearam na Maratona, o Carlos Brasão e o Marco Gouveia.

O Nuno fez um tempo ligeiramente inferior ao que o Luís Matos Ferreira fez na sua 1ª Maratona, em Dezembro de 2009. O que é uma boa indicação!!!!!

Parabéns Nuno e conta-nos como foi.

Também hoje, em Viena de Áustria, o Eduardo Correia, um dos nossos mais experientes maratonistas, concluiu a sua 1ª maratona, em 2011. Porque o Eduardo, normalmente, faz mais do que uma, por ano.

Parabéns Eduardo e conta-nos também como foi.

Também em Viena, o João Fialho fez a sua 1ª internacionalização na Meia Maratona, onde teve a honra de correr com o Haile Gebrselassie, o maior atleta de fundo de todos os tempos, que foi o vencedor.

Parabéns João e conta-nos também como foi.

Runabraços

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Treino - a caminho de Ronda

Amanhã, sábado, pelas 8:15, os nossos bravos atletas que vão fazer os 101 km de Ronda, daqui a 3 semanas, vão treinar no "Caminho de Fátima", num treino previsto para cerca de 50 km (!!!!!...).

Vai passar numa zona rural, no concelho de Loures, num traçado sem grandes dificuldades, composto por caminhos e estradões.

O treino começa e acaba na Expo, Zona Norte no local do costume, o Passeio dos Heróis do Mar.

O treino é aberto a todos os que queiram participar. Cada um poderá fazer a distância ou tempo que quiser, basta voltar para trás em direção à partida, no momento adequado.

Vamos apoiar os nossos corajosos companheiros que se propuseram este extraordinário desafio.

Runabraços

quinta-feira, 14 de abril de 2011

AXTrail series 2011

AXTrail series 2011 - Circuito de trail running nas Aldeias do Xisto



#01 SERIE - Foz de Alge / Ferraria de São João (10-04-2011)









O que se pode dizer acerca da primeira série do AXTrail? Numa frase lapidar: fiquei adepto!
O fim-de-semana iniciou-se com uma estadia muito agradável na Casa de Xisto “Zé Sapateiro,” cujos proprietários revelaram ser extremamente atenciosos. Eu, o Zé Carlos Santos, o Emanuel Oliveira e o Paulo Jorge Rodrigues trouxemos a família, tendo as três primeiras famílias pernoitado neste turismo rural enquanto que o Paulo e a mulher dormiram em Figueiró dos Vinhos.
 Após um pequeno passeio pedestre pela vila, fomos jantar no restaurante “Varanda do Casal”, na Aldeia do Casal de S. Simão, onde nos deliciámos com um repasto feito à base das especialidades locais (em especial um enchido denominado Maranhos) e um bom vinho regional (deveria ser considerado doping :-). No restaurante encontrámos o José Moutinho, Grão-Mestre da Confraria Trotamontes e co-organizador da prova, que nos enriqueceu e divertiu com as muitas histórias e conhecimentos do trail de que é pródigo. Terminado o agradabilíssimo convívio voltámos aos nossos aposentos para uma boa noite de repouso.
O dia seguinte iniciou-se com um pequeno-almoço substancial seguido da deslocação por autocarro para a Foz do Alge onde a prova tem início. Os vários autocarros foram trazendo os diferentes grupos e fomos aproveitando o compasso de espera para confraternizar e ficar a conhecer melhor os companheiros de aventura. Eu tive a feliz oportunidade de rever um companheiro do Trail de Sicó, o Luís Ricardo, de Portalegre, que se viria a revelar um companheiro valoroso na presente prova. Outra das diferenças muito significativas do trail relativamente à estrada é que o companheirismo e os laços que se criam são mais densos e ricos. Para mim, nado e criado em Lisboa, é particularmente interessante conviver com malta proveniente de todo o país.
Tal como o site da prova indica, trata-se de “uma prova de 31 km de uma paisagem soberba e uns trilhos fantásticos, na companhia da Ribeira de Alge e com passagem pelas Aldeias do Xisto do Casal S. Simão e Ferraria S. João.” Ou seja, para além de se realizar num trajecto de inigualável beleza, percorrendo “paisagem de conto de fadas,” Aldeias de Xisto, fragas e montes, ainda se usufrui da companhia de um grupo de “loucos que correm” literalmente embrenhados numa mesma aventura.
Tínhamos sido avisados que os primeiros 20 km iriam ser muito mais duros do que o perfil altimétrico indicava, uma vez que o terreno era bastante “virgem” obrigando a “saltinhos” constantes, sem grande visibilidade para o terreno à nossa frente. Esse aviso veio a revelar-se profético, e a certa altura eu sentia-me como se estivesse a correr nas selvas do Vietname, entrevendo fugazmente uns atletas à minha frente e ocasionalmente ouvindo vozes fantasmagóricas atrás de mim. Quando cheguei finalmente ao quilometro 20 e saí da “selva” é que finalmente me apercebi do estado lastimável em que as minhas pernas se encontravam, faltando ainda cerca de 11 km para terminar (ao olhar para o meu Garmin, verifiquei espantado que marcava já mais de 700 m de desnível positivo)! Foi nestes últimos quilómetros que o apoio moral do Luís Ricardo se revelou fundamental para que eu prosseguisse até ao fim destes duríssimos quilómetros finais. Prosseguimos juntos, subindo a passo os 450 m até à cumeada da Serra do Espinhal e depois descemos abruptamente até Ferraria de S. João onde cortámos a meta em simultâneo, junto ao centro de BTT. Depois almoçámos o churrasco preparado pela organização.
Malgrado o pequeno e irrelevante atraso inicial, a organização esteve impecável em todos os aspectos.
Gostaria de realçar também as provas magníficas dos meus companheiros.
Relativamente à prova do Emanuel não há muito a dizer: fez a sua habitual corrida a um ritmo certinho, inteligente e muito eficaz, tendo alcançado um excelente 30º lugar da geral.
O Zé Carlos demonstrou mais uma vez a fibra de que é feito, ao prosseguir inabalavelmente, mesmo sob fortes dores, após uma entorse mal-afortunada que contraiu mal tinha percorrido 12 quilómetros. Encontrei-o cerca do quilómetro 14 e já vinha em grande sofrimento. Perguntei-lhe se não queria que permanecesse com ele, mas negou-se terminantemente a abandonar a prova ou a atrasar quem quer que fosse. Aliás, tal não seria possível suceder pois volto a encontrá-lo novamente ao quilómetro 20, para surpresa minha, pois embora não duvide das enormes qualidades atléticas do Zé, correr com a bem visível “batata” que ele já carregava no tornozelo já me parecia algo sobre-humano. A subir continuava imparável, sendo as descidas o que mais lhe custava. E nem esta derradeira oportunidade de parar e dar o devido descanso ao tornozelo muito massacrado ele aproveitou. Subiu imparável até à cumeada da Serra do Espinhal e só terminou na meta num mui-honroso 52º lugar em 132 finalistas e 5º no seu escalão com 4:17:56. Este homem é mesmo feito de aço!
O Paulo Jorge esteve também em grande, e só o facto de ter completado um trail com este nível de dificuldade, tendo-se iniciado na corrida há tão pouco tempo, é um sinal inequívoco da persistência e força de vontade do Paulo. Mas deixo-vos com as suas próprias palavras e julgo que ele perdoará a inconfidência:
“Para mim a prova teve 2 partes, até perto do km 20 correu-me muito bem, depois, perdi-me e fiz mais 4,5 km mas o pior foi que os últimos 9 tive cãibras fortíssimas como nunca tinha tido, o que me obrigou a fazer esses últimos kms a andar e a parar a cada cãibra, ainda não percebi muito bem o porquê pois não me sentia nada cansado e estava a correr-me mesmo muito bem.
(…) Foi um excelente fim-de-semana, começando no agradável jantar e prolongando-se com a prova e nós ainda ficamos para segunda-feira onde aproveitamos para conhecer um pouco mais da zona. Pena o acidente do Zé Carlos para ensombrar o fim de semana…eu nem queria acreditar quando ele me disse que ainda fez os 19km naquele estado e que ainda foi ter contigo e com o Helder!...”
Para terminar esta saga, faço coro com o Paulo Jorge: “Sem duvida um fim-de-semana a repetir!”



 

Feliz Aniversário

Este mês de Abril estão de parabéns os nossos atletas:


2 de Abril Paulo Almeida Gonçalves

9 de Abril Eduardo Branco

11 de Abril Manuela Cruz

13 de Abril João Weber Gameiro

17 de Abril Helena Garrido Bárrios

24 de Abril Bernardo Falcão


Fazemos votos de um feliz aniversário!

Um ano são 365 novos começos movidos pelo desafio sempre renovado de viver e de concretizar sonhos com esforço e dedicação.

Que continuem a partilhar a alegria de correr connosco.

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Corrida do Oriente - 5 de Junho

No próximo dia 5 de Junho 2011, a Corrida do Oriente volta a realizar-se em Lisboa (nesse dia realizam-se as eleições legislativas).

Percurso de 10 km na zona do Parque das Nações. A Partida é no Rossio do Levante, na zona norte do Parque das Nações (local bem conhecido pelo Núcleo da Expo, ponto de encontro do RUN 4 FUN).

Inscrições em: http://www.corridadooriente.com/.

Para efectuar a inscrição como RUN 4 FUN, apresento a seguinte "dica". No ecrã onde se efectua a inscrição, não percebi onde se indica o nome da equipa. A organização da Corrida do Oriente esclareceu-me:

Quando chegar ao ecrã onde é efectuada a inscrição:

- Indique o número de inscritos e posteriormente clique sobre a seta 'Avançar'.

- Seguidamente, indique o nome da equipa na caixa 'Responsável da inscrição'.

- Para preencher este nome estão disponíveis 2 campos de preenchimento obrigatório (Nome e Apelido): Indiquei no Nome: 'RUN 4 FUN' e Apelido: 'R4F'.

- Na caixa relativa aos 'Participantes' identificam-se os participantes, onde indiquei o meu nome.

- Depois é só seguir as instruções para efectuar o pagamento.

RunAbraços.

Berkley Marathons: a mais difícil prova de TRAIL do mundo

Barkley Marathons é conhecida como a mais difícil prova de trail do mundo. O resultados falam por si: A prova teve a sua primeira edição em 1986, tendo havido 24 edições. Nestas 24 edições apenas 800 atletas ousaram inscrever-se e destes, pasme-se!!!!, apenas 9 lograram concluí-la. A distância é mais ou menos uma incógnita, mas pensa-se que andará pelas 100 a 130mi (160 a 210km). A corrida consiste em 5 voltas a um circuito que tem entre 20 a 26mi (32 a 42km), razão pela qual o Trail é conhecido como Berkley Marathons. O tempo máximo de conclusão de cada volta é de 12h e o total da prova deve ser concluída em menos de 60h. Agora o mais interessante: em cada volta o desnível acumulado é de 22.000pés (6,600m) e no total da prova de 33,200m. As boas notícias é que o preço da inscrição é de penas 1,6USD, mas não dá direito a t-shirt. Em 2010 houve 1 vencedor que conclui a prova em 59h12m. Mais para ler sobre esta fantástica prova no link. Eu alinho. Mais alguém???

terça-feira, 12 de abril de 2011

Novos membros....já somos 141 activos...ninguém pára o Run 4 Fun!


Aproveito para dar as boas vindas oficiais ao Gonçalo Bastos Lopes e à Elsa Mota.

O Gonçalo baixou dos 50´e fez PBT nesta Corrida do S.L.B. e a Elsa completou pela primeira vez a distância dos dez km.

Entrementes deixo-vos com a foto do casal Jorge Esteves e Elsa Mota e para vos dizer que Elsa já tem camisola oficial Run 4 Fun!

segunda-feira, 11 de abril de 2011

Meia Maratona de Setúbal


Ideal para PBT´s, percurso plano, não muito bonito, ao longo do rio, desde a Luís Todi até à Mitrena e regresso.

Domingo, dia 8 de Maio, às 10:00. Inscrições na Xistarca

Uma boa oportunidade para um bom almoço de peixe, para os apreciadores.

Runabraços

domingo, 10 de abril de 2011

Os Run4Fun na corrida do "Glorioso"



Caros Amigos, Que manhã fantástica.

Uma grande participação da equipa R4F, quer em quantidade quer em qualidade.

Ao contrário da confusão do primeiro dia para a entrega de dorsais, a organização esteve muito bem e à altura desta grande instituição.

Foi pena, uma vez mais, as pessoas não cumprirem com o "logicamente requerido" e tal como já vai sendo hábito, tivemos muita gente que vai a passo e se coloca nas primeiras filas da partida, o que torna os primeiros metros sempre complicados :-( .
Que me recorde, só na prova da Nike é que este tipo de controlo é bem conseguido.

O circuito não era nada fácil, muitas subidas e descidas.
Do 6º para o 8ºKm, aquela "subidita" com vento contra...não foi nada fácil.

A passagem dentro do estádio (principalmente) para quem é adepto do Benfica, é sempre um momento muito especial.

Parabéns a todos, e uma vez mais as "nossas senhoras ", (hoje a cargo da Carla, da Margarida, e da Sandra), estiveram em grande.

Do que percebi no final, e apesar da dureza do circuito, tivemos vários PBTs. Estamos em permanente crescendo...aproveitando o slogan da casa onde corremos hoje "ninguém pára os R4F oéo" :-).

Foi só pena no final, não conseguirmos juntar toda a equipa...estava muita gente.
Ainda estive atento à chegada para aglomerar todos os R4F.

Tinha entradas para a tenda VIP onde tivemos direito a um nutritivo reconforto calórico e um saudável convívio, bem como à foto de equipa com o LFV(bastante incompleta :-().

Com muita pena minha, escaparam alguns (Paulo, Zé Carlos, Victor e alguns mais...peço desculpa mas não os consegui ver a todos e chamar para junto dos restantes).

Uma vez mais o Joaquim, desta vez acompanhado do filho, em nome dos photo4ever, fez a devida reportagem fotográfica.
Muito obrigado pela paciência e permanente incentivo à nossa passagem.
Assim que possivel serão disponibilizadas pelo Joaquim as respectivas fotos.

Eu cumpri a minha promessa para esta prova e entrei a matar...consegui acabar sem morrer e como tal...já cá canta o PBT abaixo dos 43 :-).
(41:39 no "meu chip"...ainda faltam os resultados oficiais)

Runabraços
Nuno

Corrida 1º Maio

Uma corrida clássica na 30ª edição, de 15 km, com partida e chegada ao Estádio 1º de Maio.

Inscrições aqui. Preço económico de 3 €.

Runabraços

quinta-feira, 7 de abril de 2011

24º GP Páscoa - Constância

Uma corrida num local bonito que vi, ao longe, durante os Trilhos de Almourol e que agora vou aproveitar para ver de perto. Ainda por cima, com inscrições à borla (na Xistarca), o que é simpático nestes tempos de "PEC´s".

Na cidade, onde dizem, nasceu Luís de Camões, a corrida será ao longo do rio Zêzere, que vai correndo, ao encontro do Tejo

A seguir à corrida, o almoço. Parece que há em Constância algumas, boas, especialidades gastronómicas.

.........E aquele cozido, depois da corrida dos Sinos, ver fotos dos Photo4ever, não me sai da cabeça.

Runabraços

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Ainda os Trilhos de Almourol

Trilhos Almourol 2011'>Fotos da caminhada que fiz em familia.

Trails - próximos eventos

Para os interessados, que parecem ser cada vez mais, aqui estão algumas das próximas provas de montanha ("Trails"):

7 Maio - 1º Trail e Mini-Trail de Abrantes

22 Maio - 17 km de Porto de Mós

29 Maio - Corrida do Mirante - já postada antes

Para um calendário mais alargado ver o sítio do Carlos Fonseca

Runabraços

João Ralha

terça-feira, 5 de abril de 2011

AXTrail series 2011

AXTrail series 2011 - Circuito de trail running nas Aldeias do Xisto

  

#01 SERIE - Foz de Alge / Ferraria de São João (10-04-2011)







De acordo com a informação (e imagens) constante no site:

«Tecnicidade garantida num percurso com pouco mais 30km de distância e cerca de 1330m de desnível.»

«O percurso Foz de Alge - Casal de S. Simão tem início junto ao Rio Zêzere na Foz de Alge. 
Até chegar à Ponte do Poeiro, o percurso segue por um inevitável estradão com vista para o açude de pesca desportiva, até que entra num trilho novo com cerca de 14 km que acompanha a Ribeira de Alge até às Fragas de S. Simão. Zona bastante técnica com paisagem de conto de fadas até chegar às Fragas de S. Simão. 
Daí para a frente o caminho é já conhecido daqueles que participaram nas edições anteriores. Passagem pela Aldeia do Xisto do Casal de S. Simão, com a descida técnica das fragas, um pouco de alcatrão entre as aldeias de Além da Ribeira e Azeitão e voltamos de novo ao singletrack que raramente é interrompido por algum pequeno troço de caminho mais largo. 
Após perto de 4 km de trilho ao longo da Ribeira da Ferraria e ao encontrar as Fragas do Cercal, os atletas vão percorrer as cristas quartzíticas do monte de S. João, numa paisagem aberta e vasta que contrastará com as paisagens mais fechadas que encontraram anteriormente. Após 450m de denível e chegados ao topo, resta a descida até à Ferraria de S. João onde poderão cortar a meta junto ao centro de BTT.»




Eu, o Zé Carlos e o Paulo Jorge vamos. Quem mais se quer juntar a nós?


segunda-feira, 4 de abril de 2011

domingo, 3 de abril de 2011

Trilhos de Almourol


A corrida mais difícil de sempre, para mim.

Antes da corrida a Luísa tinha-me dito que, pela análise da informação que tinha da corrida do ano anterior, a 2ª parte seria mais difícil que a 1ª. A verdade é que os primeiros 21 km foram os mais difíceis que fiz desde sempre, com subidas e descidas "loucas", com uma rampa com tamanha inclinação, ao lado da qual, a mais difícil da Corrida do Monge até parece fácil.

Quando comecei a 2ª parte, depois de 21 km e 3:20, pensei: "estou feito", não vou conseguir chegar nas 6:30 horas limite.!!!! A verdade é que a 2ª parte foi bem mais fácil e lá consegui fazer 5:42, nos cerca de 40 km da corrida. Nunca tinha corrido (e andado) tanto tempo seguido.

A 1ª parte, a tal difícil tinha paisagens belíssimas, como por exemplo perto da foz do rio Nabão, que desagua no Zêzere, depois de termos passado a Barragem de Castelo de Bode.

Outros sítios fantásticos em Almourol, cujo castelo parece sobrenatural, em Constância na foz do Zêzere com o Tejo, em Tancos uma vila muito bem conservada. Enfim, tudo lugares a merecerem um visita, com tempo.

Excelente organização, com trilhos bem marcados, postos de reabastecimento em número adequado com o requinte de haver "Minis" em Almourol. Até havia uma ponte militar instalada para nós passarmos, num sítio fantástico. E no final, umas massagens reconfortantes no pavilhão, seguidas de um bom almoço. Parabéns ao CLAC, o clube organizador.

Cumprimentos ao Miguel San-Payo pela estreia, em grande estilo, ao Teodoro que fez uma "quase-Maratona" em trilhos, bem mais difícil que uma em estrada. à Luísa que aguentou 6 horas a correr e acabou com grande frescura, ao Zé Carlos pela coragem, aos nossos companheiros Isabel e Rui Oliveira, Amélia e Carlos Gonçalves e Zé Magalhães pela estreia de corrida em trilhos, ao Jorge Esteves pelo seu notável companheirismo, ao Manuel Romano que mesmo com problemas físicos, foi fazer a "Caminhada" com a família, acompanhados pela mulher do Zé Magalhães.

E assim se passou mais um dia na natureza, bem agradável, .........depois de acabar!!!!

Fotos aqui. Uma pobre aproximação da realidade (o fotógrafo também não é grande coisa.....).

Runabraços

PS

Antes da partida tirámos umas fotos com o Alcino Serras, um dos melhorees corredores de montanha português, que tinha ganho o ano passado (era o nº1) e que este ano foi 2º por uma diferença de .....1 segundo, com perto de 3:15 no final.

Revista do Atletismo

Run 4 Fun aparece em grande destaque no artigo sobre a Corrida da Árvore 2011 da Revista Atletismo.