quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Maratona de Malta, uma experiencia… diferente




Caros Amigos, uma aborrecida gripe que atingiu o Nuno, não nos permitiu ter condições para escrever esta crónica mais cedo, pedimos por isso as nossas desculpas.

Não vos vamos maçar em demasia, até porque a “experiencia” a isso não se dispõe.

Fizemos o que habitualmente fazemos nestas aventuras de juntar a corrida ao turismo.
Fomos um dia antes para tratar de tudo com calma e convenientemente e terminada a corrida, ficámos mais um par de dias para conhecer o local.


Diria que da experiencia que tivemos, Malta é uma ilha bonita, interessante, que se visita em pouco tempo, de gentes muito religiosas, simpáticas e acolhedoras, onde se bebe (bom vinho) e come muito bem (o coelho e o peixe, são dois pitéus de se lhe tirar o chapéu) e onde o custo para turista é bastante aceitável.

No que toca ao que realmente vos interessa, a corrida.
É difícil definir esta organização/corrida.

É uma organização e uma prova, muito familiar e tal como a Ilha, com dimensões muito reduzidas.
Terminaram cerca de 400 Maratonistas e na prova da Meia Maratona foram cerca de 2.400 os Atletas que chegaram ao final.
Enquanto na Maratona a base dos Corredores era estrangeira (Alemães, Franceses e Italianos), já na prova da Meia, era visível a festa dos Malteses.


 O trajecto é bonito, mas o local de partida de ambas as provas (com 1h 20min de diferença) era simplesmente fantástico, com uma vista singular sobre toda a ilha (Medina).
Como em ambos os casos chegámos bastante antes do tiro de partida, ainda tivemos tempo para a respectiva visita ao local.

Um percurso difícil e enganador, apesar do desnível final de 200m.
Ou estávamos a descer, com algumas descidas muito íngremes ou estávamos a subir longas rectas muito pouco íngremes (mas a subir… posso garantir).
O quadro de altimetria da prova (similar “à foto final do Garmin”) é mesmo muito enganador, pois os últimos 10Km, são complicadotes.

Tivemos acima de tudo o Mau e o Muito Bom.

A principal critica negativa que deixamos (e única, tudo o resto não é importante), tem que ver com o controlo de tráfico e dimensão das vias onde se corria.
Em cerca de 50% do trajecto da Maratona, o trânsito estava pura e simplesmente aberto com uma gestão policial nos cruzamentos...sim ABERTO.


Na Meia, a maior parte do trajecto estava cortado ao trânsito, não na totalidade da estrada, mas numa das faixas o que provocou apenas algum congestionamento nos primeiros 1.500m (o cheirinho do combustível queimado foi um acompanhante permanente).
No caso do Nuno na Maratona, ouviu muitas vezes buzinadelas de carros, sempre que tinha que correr na estrada por não haver passeios.

Exactamente por esta questão e devido ao estado do asfalto, em determinadas partes do trajecto tínhamos que ter bastante cuidado com os carros, com os buracos, com as bermas…enfim, não foi fácil e a direcção da prova deveria ter em atenção esta situação em organizações futuras.
Na maratona, algumas partes do percurso são feitas de uma forma muito isolada, sem público e sem companhia.

Quem nos conhece sabe bem, que nestas coisas que têm que ver com o simples lazer, gostamos acima de tudo de valorizar o que é bom e divertido, pois para desgraças e chatices, bem basta o que temos obrigatoriamente com que conviver.
Assim sendo, vamos rapidamente ao que mais gostámos.

O Evento relativamente a nós, teve momentos inesquecíveis e características muito boas.
Logo à chegada, na “Carbo Party”, quem nos esperava para nos entregar toda a documentação era tão simplesmente o Director de Prova.
Segundo ele, fomos os primeiros e únicos Portugueses (nós os dois e um casal amigo que também nos acompanhou) a participar na Maratona de Malta em todas as suas 29 edições.
Algo que nos custa a crer…mas que nos deu direito a recepção especial.


No dia da prova, e no decurso da mesma vamos salientar o seguinte:
- A forma como os autocarros estavam organizados para nos transportar para a partida;
- O controlo simples dos sacos quer na recepção, quer na entrega ao final;
- A quantidade e simpatia dos voluntários durante todo o percurso…fantástico;
- A qualidade e quantidade dos WC’s à partida e durante o trajecto…vocês sabem bem a importância que o Nuno dá a essas coisas;
- A forma como os atletas da Maratona iam sendo recebidos à chegada…divino.


Aproveitamos para salientar algo a que assistimos e vivemos pela primeira vez.
Uma reportagem fotográfica em directo. Qualquer atleta que tivesse facebook (ou seja quase todos), foi fotografado em tempo real e as fotos eram publicadas imediatamente. Assim os familiares e amigos puderam “ver a prova em directo”. Para nós, uma inovação fantástica que desconhecíamos e que teve o patrocínio da marca Gillette.
Para os atletas as fotos foram todas a custo zero.

Para finalizar…foi mais uma jornada em que nos divertimos muito.
A Cris fez PBT e ainda correu mais 8Km(4 para cada lado) para me ir “rebocar”.
O Nuno completou a Maratona, ainda longe da Sua forma, mas completou e como sempre divertiu-se muito…até parece que nem vai cansado tal é a disposição.


Apesar de não ser importante, fica a referência de termos atingido a melhor classificação e tempos de todas as presenças Portuguesas nesta prova e nos últimos 29 anos.
(ainda menos importante, é o facto de termos sido os únicos  :-) )

Mais uma vez tivemos direito ao prazer supremo nestas coisas…correr juntos o final da Maratona.
Melhor mesmo, só quando a Cris decidir “atirar-se” aos 42Km… quem sabe um dia destes ….


Runbeijos, Runabraços, boas corridas e até à próxima.
Cris e Nuno

6 comentários:

João Ralha disse...

Cristina e Nuno,

Belo relato de uma 1ª presença de portugueses na maratona maltesa. Bem mereceram a distinção do Diretor da prova.

A Cristina com um pouqunho mais de vontade, vai à "big one". E aposto que já este ano!! :)

E que grande satisfação será os dois cruzarem,juntos, a meta da Maratona.

Obrigado pela partilha

Runabraços

46 disse...

Parabéns pela prova e pelo relato.

Deve ter sido um experiência bastante rica.

O pormenor dos WC é maravilhoso. Boa Nuno.

Olha que não é nada fácil ser o melhor Português em 29 anos :)

Abraço,

AC

Luis Correia disse...

Lindo!! Parabéns. Deu-me muito gozo ler o texto e deixou-me animado. Beijos à Cris e um abraço ao Presidente do Núcleo

Teodoro Trindade disse...

Parabéns, voçês são do melhor que há. Adorei o texto escrito a "quatro mãos".

Esta foi sem dúvida uma prova única e certamente que a vão recordar com muita satisfação.

Um grande abraço.
TT

Ndda disse...

Fantástico ...

Valeu mesmo a pena.

Fica apenas a faltar a estreia da Cristina naquela prova... ;-)

Parabéns aos dois e obrigado pelo Post.

As melhoras do Nuno.

RunAbraço,
NDA

Jorge Esteves disse...

Parabéns Cristina e Nuno!

Vocês têm conseguido associar o prazer do desporto ao do turismo de uma forma única. A vossa cumplicidade e entreajuda são fantásticas.

Gostei muito do relato que não se limita a referir só a corrida.

Continuem!

Beijos e abraços.