segunda-feira, 11 de julho de 2011

Trail do Almonda 2011 – relato de um “Rookie”


Caros Amigos,

Com os relatos fantásticos que temos lido, relativamente aos diversos “Trail’s” em que temos participado, espero que me perdoem a “incapacidade” para conseguir transmitir da melhor forma a fantástica manhã do passado domingo, correndo, andando e por vezes quase rastejando :-), por trilhos da magnífica Serra D’Aire.

Depois de uma pequena experiência pelo Guincho, 15Km de autêntica pista asfaltada comparada com o que fui encontrar no Almonda, percebi que isto dos “Trails” é realmente uma "coisa" diferente.

Inicialmente, pensei que os 28Km demorando um pouco mais ou um pouco menos de tempo se efectuariam tranquilamente.
A semana passada, tive o prazer de fazer um pequeno reconhecimento “á parte menos difícil”, com o meu amigo e conterrâneo Aníbal Godinho e não fiquei assustado (obviamente…foi à parte menos difícil :-) ).

Sendo sucinto, e resumindo ao máximo, vou começar pela organização.

Não tendo tido qualquer tipo de experiência neste tipo de provas, como tal não tenho comparativos para opinar, vou-me limitar a dar os parabéns à organização…para mim esteve perfeita, pelos seguintes motivos:
- Indicação pelo caminho, de forma a quem não é da zona chegasse com facilidade;
- Local eleito para a partida muito bem escolhido, fácil acesso e amplo parque de estacionamento;
- Excelente o apoio dos escuteiros em tudo o que envolveu logística mais simples, pequenos apoios e informações;
- A logística de entrega de dorsais, simples e eficiente;
- Um pequeno briefing antes da partida com explicações e chamadas de atenção importantes (pelo menos para mim :-) );
- Trajecto todo ele muito bem assinalado com fitas a cada 50m e com pessoas a ajudar em locais mais críticos para evitar enganos;
- Trajecto muito bem escolhido, a serra D’Aire, não sendo a de Sintra :-), é de uma rara beleza.
- Perdi a conta ao número de abastecimentos, mas não faltou nada…líquidos, fruta e em grande quantidade. Penso que não percorremos mais que 3 a 4 Kms sem encontrar um ponto de abastecimento.
- Muita atenção dada ao ambiente e muito cuidado com a limpeza (os abastecimentos foram feitos em copos plásticos e colocados de imediato no lixo)

No que toca à minha experiência…
Foi algo diferente do que esperava e provavelmente como me disse o meu amigo Aníbal “isto dos Trail’s é como a Coca-Cola, primeiro estranha-se e depois entranha-se”.

Não consegui desfrutar como deveria e como os nossos companheiros, João Ralha, José Carlos, Luis Ferreira, Teodoro e Paulo Jorge me aconselharam (a quem desde já agradeço as diversas e importantes dicas que me passaram).
Fui constantemente a olhar para o chão a ver onde colocava os pés…parece-me que para primeira experiência séria nestes ambientes, o traçado era demasiado técnico para mim.
Muita pedra solta e senti-me muito pouco confortável nas descidas…penso que foi maior o cansaço na concentração para evitar quedas do que o cansaço físico ao final.
Reconheço também que me faltam alguns Kms nas pernas para poder fazer estas aventuras de uma forma mais confortável…nunca tinha estado tanto tempo a correr/caminhar...fiquei um pouco “amassado” :-).

Mas lá acabei, a meio do pelotão com 3H31mints e sem ter caído vez nenhuma :-).


Interessante é o ambiente geral…completamente diferente das provas de estrada. A mim pareceu-me mais agradável e simpático, menos competitivo e mais solidário, gostei muito…mas foi uma primeira experiência.

Não posso terminar sem uma vez mais referir que somos realmente um grupo de uma dimensão humana fantástica.
Eu era o único R4F presente e retirando os diversos conterrâneos presentes com quem estudei e passei parte da minha vida de adolescente (grande armada a representar Torres Novas), fui identificado diversas vezes e sempre com palavras simpáticas:
“Lá vem um laranginha, vocês estão em todas”…alguém do público durante a prova.
“O Ralha, não está cá? um Abraço para ele”…não faço ideia quem era, mas o equipamento era de Portalegre.
“Lá vem um R4F, hoje tão cá poucos, força”…alguém do público durante a prova.
“O Melo hoje não veio? Tá doente?” …um atleta que me veio cumprimentar e que eu não conhecia de lado nenhum.
“Força R4F”…alguém à chegada, que nem percebi quem era.
A própria organização, fez-me prometer que para o próximo ano teria que me fazer acompanhar de mais “gente dos R4F”.

Tenho pena de não ter ficado para o almoço, que foi seguramente muito animado.

Concluindo, estranhei mas penso que chegará o dia de se me entranhar :-) .

Boas férias para todos e não descurem a preparação…”São João das Rampas” no inicio de Setembro :-).

Runabraços

Nota : Zé Carlos, boa sorte e boa prova, no final do mês nos Alpes.

10 comentários:

Ze Carlos disse...

Ó Nuno somos mesmo fotogénicos..;))

Zé Carlos Santos

Ps: O Nuno esteve em grande e está quase convertido ao Trail :)

João Ralha disse...

É tal qual o "slogan" do Fernando Pessoa..... Só quem participa, é que percebe o que são os "trails".

E o Nuno percebeu, de imediato, que o ambiente é ainda mais simpático e descontraído, que nas provas de estrada.

Para além do fato de a paisagem ser muito mais variada e agradável (para quem consegue olhar.......para ela.... eheheh ..... )

Ainda bem que não caíste. Valeu bem a pena ires a olhar para o chão....:).

O de Portalegre, deveria ser o João Albuquerque, excelente atleta e distinto médico. que vai fazer a Maratona das Areias no próximo Domingo.

Parabéns Nuno.

E as 3:31 hão-de estar perto do teu tempo para a Maratona.

Runabraço

Joao Fialho disse...

Obrigado Nuno pela descrição.
E parabéns pela estreia.

Somos já reconhecidos em muitas provas.
Grande grupo este de amigos que gosta do convívio e de correr!

Bem-hajam!

Teodoro Trindade disse...

Parabéns Nuno, foi uma estreia de altissimo nível. Excelente.

Fico muito contente por teres gostado. Eu também gostei muito da tua descrição e no próximo ano farei todos os possíveis para te acompanhar na 3ª edição desta prova.

TrailAbraços
:))

Paulo Jorge disse...

Que se cuidem os atletas do trail um 'rookie' em grande e o regresso de um veterano de respeito...a segunda metade da epoca seguramente não sera a mesma.
Parabens aos fotogenicos atletas.

Luis Matos Ferreira disse...

Muitos parabésn Nuno!!! Excelente descrição e óptima prestação, sobretudo para uma primeira experiência no trail.

Concordo inteiramente que o trail tem uma dimensão humana ainda mais interessante do que as provas de estrada. Já para não falar no contacto próximo com a natureza.

O Zé Carlos também esteve em grande, como é seu hábito. Foi 4º no escalão e 23º na geral, com 2:54:40.

É como escreve o Paulo Jorge, a estreia de unm 'rookie' muito promissor e o regresso do um veterano com credenciais estabelecidas. E ainda por cima fotogénicos :)

João Carlos Correia disse...

Viva Nuno! Não sei se é por ter ido algum tempo consigo a verdade é que subscrevo inteiramente a sua análise. Correr trails pode ser um pouco menos difícil que o do amigo Aníbal, realmente muito técnico. Correr para o divertimento exige sem dúvida a participação em trails. Grande abraço e vemo-nos por aí.

Paulo Gonçalves Marcos disse...

A atmosfera mais relaxada, a diversidade de pisos e paisagens, a concentração exigida para não cair, o reconhecimento do pelotão e da assistência...fez-me lembrar as experiências recentes que tenho tido na BTT....!

Carlos Melo disse...

Grande Nuno!
Não tem nada que saber: Mais um que se tornou fã dos trails. Bela descrição. Parabéns!

Agora é só "apanhar" o jeito (chamam-lhe "técnica") de subir e ainda pior de descer os terrenos difíceis com um á-vontade surpreendente. É uma questão de aprender a técnica e treinar muito.

Estou prá'qui a escrever, mas é só conversa, que eu tenho um medo descomunal desses pisos. Até me arrepio...

Obs: Não estive doente mas Neste fim de semana não deu.

RunAbraços.

Francisco Sanches Osório disse...

Boa Nuno!! Pela tua descrição e por todos os outros comentários fiquei com vontade de experimentar.
Grande abraço!