Voltaram as provas. Correr no mato em sítios novos e outros já conhecidos.

Demo Trail
Conhecidos, mas diferentes. Diferentes com mais mato. Aquele que a chuva, o sol e o tempo do confinamento por falta de uso assim permitiu. 

Voltaram Histórias de vida. As fotos com dorsal ao peito, nas costas, de lado ou na pança.

Os Fotógrafos, que nos costumam sacar um sorriso e um trotezinho, para depois voltar a andar um pouco mais a frente. 


O beca beca e os descuidos que antecedem os tropeções e as quedas. Os géis, as assaduras e busca de fotos nos eventos pós prova. A 15 dias que fiz o Demo Trail e só tive direito a uma foto. 
Vá lá… foi uma bela foto. Novidade… são as mascaras perdidas nos trilhos.
Pessoalmente devo ter perdido uma. Não a encontrei no pós prova. Ou foi para o lixo com as embalagens vazias do Biofrutal ou perdi. 

Desde a abertura do confinamento, eu e a Sandra já fizemos o Demo Trail, depois uma etapa no Running Challenge Linhas Torres no fim-de-semana passado o Utra Trail Sicó


Fantástico. Ah, e o Covid. Não vamos falar nisso. As organizações têm regulado os comportamentos e as regras das provas com as devidas autoridades. 
Não sou eu que vou mandar aqui bitaites. Usar a mascara nos abastecimentos e sempre que possível quando há aglomerado, os atletas não tocarem na comida, …. 

Acho tudo muito bem, desde que deixem fazer as provas e os atletas irem pelo mato fora a correr e a respirar ar puro da montanha. Claro que os acidentes e idas às urgências pode acontecer. Vamos tentar evitar isso. 

Agora… treinar em Sintra, em Monsanto, no Cabeço e por aqui perto e com os amigos é fixolas. É muito bom este nosso convívio R4F. 

Mas fazer umas provas tem outro encanto. Não é melhor nem é pior. É um complemento ao treino e são desafios que nos propomos superar. 

O DEMO trail deu-nos “água pela barba”, fucking Rio Paiva. Mas foi giro. 

Uma prova, que com algumas alterações, pode bem vir a ser uma referências nas provas de trilhos nacionais. 
Depois o Running Challenge Linhas Torres das Linhas de Torres foi uma aventura. É uma prova que vale sobretudo pela graça de criar equipas e pela dinâmica criada. Parabéns à doida da Cláudia Pargana que tanto tempo com uma lesão e com pouca interação no grupo, veio nos desafiar a participar. 
Conseguimos mobilizar 3 equipas para os 100km em estafetas.
15 Atletas dos mais variados gostos. Deixo para, individualmente, os atletas falarem da experiência. 
Também tivemos o Jorge Esteves a representar a laranjinha.

Falcões: Rui Faria; Andreia Oliveira; Cláudia Pargana; Luís Afonso; Carla Rebelo 

Bonnies & Clyde: Carmen Ferreira; Maria Martins; Pedro Ribeiro; Sandra Simões e Marina Marques 

Vagabundos: António Rego; Adalberto Grilo; Filipa Ferro; Paulo Raposo e Vitor Aquilar 

O Jorge Esteves fez a maratona. A Guida Monteiro também fez a maratona mas fez uma perninha com os TC.

A Paula Carvalho apoiou. 
Este ano, o Challenge, pela primeira vez foi uma prova competitiva.

No passado era apenas um “desafio”. O preço é um pouco elevado para o tipo de prova, mas apesar disso tem uma componente solidária que não deve ser desprezada. Foi muito giro e correu muito bem. Mesmo a parte em que a Carmen não leu o que eu escrevi durante a semana a “avisar” para verem com antecedência o local de partida de cada atleta. Era muito fácil haver enganos. Até porque algumas partidas eram em locais onde podia nem haver GPS. 

Eu e a Carmen partimos com 25minutos, mas mesmo assim recuperamos algum tempo o que permitiu que as nossas equipas marcassem pontos. A Carmenzita não estava nos dias dela, para além disso ficou alterada com a situação. Mas corremos que nos fartamos os dois. Foi engraço e ainda bem que tinhas o track carregado no relógio. 



No sábado passado… Sicó… 57km nos queixos para uns e 111km para o Hugo Fernandes aka HDP. 
57km: Inês Sepulveda; Paulo Machado; João Barreira; João Antunes; Maluquete e Totozeque Foi 5 estrelas. 

Foi a primeira vez que corri na mesma prova e distância com esta malta. Inês Sepúlveda; Paulo Machado e com o João Antunes.

Gostei de ver este “sangue novo” a integrar a partida nesta prova. Ainda se notou alguma falta de coordenação dos momentos da foto de grupo. Mas a gente chega lá!! E claramente os espirito R4F esteve presente e vibrante. 

Parabéns Hugo! Excelente prova! Grande atitude, estreia nos 100km. Gostava que depois pudesses colocar aqui no blog a experiência. 100km não é para quem quer. Nem é para ganhar um troféu. É para quem pode, para quem acha que faz sentido e quer carimbar essa distância e essa sensação. É sem dúvida uma marca que fica para sempre. É uma distância que requer um pouco mais de coragem que uma maratona. Apesar que eu ficava doido quando me lembrava que me tinha inscrito numa prova de 42km (Cascais-Lisboa). Não é ser mais nem é ser menos. 100km são 100 e 42km são 42. 

O João Antunes a estrear na ultra distância. Acima da distância da maratona. Foram 57km bem jogados. Sicó é um bom playground. Soubeste gerir o teu esforço e não caíste no erro de ir atrás da posição na classificação. Infelizmente para alguns que tentaram acompanhar o meu ritmo e da Sandra, sem terem capacidade, acabaram por ficar nos abastecimentos. Não é que fossemos a ripar. Mas íamos certinhos e num bom pace. 
O que acontece nos trilhos quando alguém nos ultrapassa já com muitos km feitos… devemos assumir que aquele atleta nos passou porque está mais forte. Seguir atrás ou tentar manter o pace é a morte do artista. 

O João Barreira, já tínhamos corrido juntos no Trail de Belas. Não sei o que lhe aconteceu, mas sei que terminou bem. Sei que fez alguns km com o Paulo e com a Inês. Foi a 3ª Ultra que já fez. Parabéns Jony!! 

O Paulo e a Inês, vinham para ripar. Beijoca na partida e lá vão eles como se não houvesse amanhã. Tal como ao Barreira, também não os vi no fim da prova. Baldaram-se para casa. 


Tomar um duche e meter a roupa e os ténis fedorentos na marquise do hotel… O belo do jantaruxo com o HDP e o Antunix no melhor restaurante aberto em Coimbra. Telepizza… e beca beca até fecharem as portas. 

A Sandra… fez uma prova do catano!! 2º lugar no escalão. És a maior Maluquete! Maravilha… 

NEXT… a próxima é uma estreia na distância. 
Como disse o Jorge Esteves. Já não vou lá para ver como corre. Vou mas é correr mesmo. O resto são sensações.

Comentários

João Ralha disse…
Belo relato, como sempre. Obrigado Rui pela partilha e parabéns aos 10 magníficos que participaram nas duas provas. Runabraços
Teodoro Trindade disse…
Obrigado Rui, gosto da tua descrição.
Abraço
TT