Clube Run 4 Fun

A necessidade de partilharmos o esforço, de termos alguém que sinta o mesmo tipo de dificuldades nos treinos e nas corridas, que nos incentive a persistir e a melhorar, leva à procura de parceiros de treinos. Sendo a corrida um desporto individual por natureza, é frequente vermos pessoas a treinarem sozinhas, até porque, contrariamente aos desportos colectivos, para correr só é preciso ter equipamento e um local, uma estrada, um passeio, um jardim. São vários os casos de corredores que passaram anos sucessivos a treinar e a participar sozinhos em provas populares. Aliás, a equipa que tem sempre mais elementos numa corrida popular é a denominada «Individual». Obviamente que vários «individuais» poderão fazer, e fazem, treinos e corridas em conjunto.

Alguns corredores, pelos motivos já referidos, sentem a necessidade de ter parceiros de treinos. O ideal seria, no caso de um casal, que ambos treinassem em conjunto. Existem algumas situações destas, mas são pouco frequentes, até porque a grande maioria dos participantes em provas são homens (85% a 95%), embora aparentemente o número de mulheres esteja a aumentar.

Existem clubes desportivos que têm uma secção de corrida, sendo que alguns se dedicam essencialmente a esta modalidade (exs.: Lebres do Sado,Zatopeques, Clube do Stress, Pernas de Gafanhoto, Grupo Desportivo BES, Açoreana Clube Banif). Contudo, para que as pessoas se juntem para correr,é necessário que tenham outros interesses em comum, além da corrida. Os treinos podem demorar em acumulado, durante um mês, muitas horas, e é necessário conversar sobre diferentes assuntos para se ocupar o tempo. Existe também a possibilidade de se juntar o útil ao agradável, pela criação de uma rede de contactos que possa ser útil em termos profissionais. O Clube Run 4 Fun® é um bom exemplo desta situação.

A ideia inicial nasceu do encontro, numa corrida em Dezembro de 2007, de duas pessoas que tinham em comum o facto de darem, como complemento da sua actividade profissional na área da Gestão, aulas em cursos de executivos numa conhecida faculdade de Gestão, em Lisboa. Um deles mais velho, com perto de 50 anos (o João Ralha) e alguma experiência de corridas pedestres, tendo corrido algumas meias -maratonas. O outro com perto de 40 anos (o Paulo Gonçalves Marcos) e pouca experiência anterior de corridas pedestres. Mas ambos com vontade de evoluírem e com algum espírito competitivo, reconhecendo a necessidade de, juntos, poderem conseguir mais do que sozinhos.

No dia 2 de Julho de 2008, o Paulo, que treinava com o António Eusébio, e o João Ralha e companheiros, que treinavam na zona do Parque das Nações em Lisboa, decidiram fundar ali um grupo amador. Nasceu oficialmente o Run 4 Fun®! A primeira corrida em conjunto com 10 quilómetros de distância, após alguns treinos, foi efectuada uns dias mais tarde, a 19 de Julho, na lagoa de S. André. Em Dezembro desse ano, o co -fundador – que tinha inicialmente pouca experiência de corridas – fez a sua primeira meia-maratona.

Ao grupo inicial foram-se juntando alguns amigos e colegas que também corriam e alguns que começaram a correr com maior assiduidade após se juntarem ao grupo. Para congregar o grupo que já ascendia, passados alguns meses, a cerca de duas dezenas de pessoas, decidimos avançar com um nome de modo a criarmos uma identidade comum. Os co -fundadores, uma vez que estão ligados profissionalmente à área do Marketing, desenvolveram rapidamente uma ideia das razões pelas quais estavam a correr, tentando ao mesmo tempo criar uma marca atractiva e sedutora para potenciais aderentes. E assim nasceu o nome Run for Fun® ou R4F®, que nos pareceu um bom compromisso em função dos objectivos definidos. Outra forma de personalizar o grupo, além do nome pouco comum, que é simultaneamente um slogan, assentou ainda em desenvolver uma camisola identificativa e mais tarde criar um blogue como forma de comunicação privilegiada entre membros do clube e a comunidade. O primeiro post foi publicado no blogue em 25 de Setembro de 2008, três dias antes da corrida inaugural do grupo, em 28 de Setembro de 2008, a Mini da Vasco da Gama, tendo um dos elementos da equipa corrido a Meia-Maratona.

A partir daí o grupo cresceu e os resultados são extraordinários, nomeadamente em termos de superação de marcas. É rara a corrida em que não seja batido um PBT (Personal Best Time), o que resulta num extraordinário incentivo para todos os participantes. O espírito de grupo tem sido reforçado, nomeadamente através do que chamamos «reboques», em que atletas mais rápidos, e às vezes mais lentos, ajudam os colegas a conseguirem melhores tempos através da companhia, do incentivo e de um modo geral da partilha da sua experiência. Como corolário, na Maratona Carlos Lopes realizada em 10 de Maio de 2009, cinco atletas do grupo conseguiram, de modo confortável, sem cãibras ou paragens significativas, concluir a sua primeira prova deste calibre.

Voltar ao Início


Uma Missão: colocar os executivos e os profissionais qualificados a fazer desporto
O punhado dos membros fundadores (economistas, gestores de empresas, médicos e empresários) teve a percepção comum de que nos ambientes profissionais mais qualificados, mormente nas empresas, a prática de desporto não estava enraizada entre os quadros e profissionais qualificados. Não era raro ouvir lamentos de colegas que recordavam os seus tempos áureos de jovens desportistas... colegas esses que evidenciavam sinais de sedentarismo, como peso excessivo, stress elevado e outros. Por paradoxal que possa parecer, quase se podia dizer que médicos, economistas, gestores e engenheiros, amigos e conhecidos dos fundadores, na sua adolescência e tempo de estudantes universitários tinham diso praticantes eméritos!

Contudo, nas provas em que os membros do Run 4 Fun participavam, tinham oportunidade de constatar uma adesão em crescendo de atletas amadores, mas verificavam que quadros e profissionais marcavam ausência. Tanto mais gritante quanto um número significativo dos participantes eram, e são, pessoas com mais de 40 anos.
Por isso, o Clube Run 4 Fun® teve desde o início uma Missão: colocar os gestores de empresas e os profissionais qualificados a praticar desporto, mormente através de corridas de atletismo de meio-fundo e fundo! Com um Objectivo declarado de recuperar aqueles que praticaram desporto na sua juventude e aqueles cuja prática desportiva pudesse constituir um exemplo para os outros.

Voltar ao Início


Um novo posicionamento: da atitude contemplativa à experiencial,ou como transformar um produto numa experiência
O Run 4 Fun® surge com a Missão de levar a corrida aos executivos, quadros e profissionais qualificados que têm vidas cheias, do ponto de vista profissional. Vidas ricas de desafio e de aprendizagem, permeadas com viagens, níveis de adrenalina e de stress elevados, experiências e vivências do mundo. A um grupo a quem não faltam desafios, que não está carente de auto-estima e de sentido de pertença...
Mas, tal como acontecia com a restante sociedade, um grupo para quem a corrida era algo de inatingível, algo que era pertença daquele território mítico ocupado pelos atletas de nível olímpico (Carlos Lopes, Rosa Mota, Ronaldo da Costa, Paulo Guerra), ou os atletas quenianos e etíopes que pululam pelos «meetings» internacionais de atletismo. Algo que iria requerer demasiado tempo. E tempo é algo que este grupo de profissionais qualificados e gestores tem pouco... por isso, correr era algo que se via na televisão, protagonizado por superatletas, masculinos ou femininos. O posicionamento do Run 4 Fun® está, desde o início, nos antípodas desta percepção! Pretendemos conjugar a dimensão racional clássica e uma nova dimensão emocional (os benefícios da corrida, exemplificados na secção «Porquê Correr?»). Na dimensão clássica, o controlo do peso, a diminuição do nível de colesterol mau e a produção natural de endorfinas constituem factores a ter em conta. Ou, fazendo jus à expressão latina «Anima sana in corpore sano» derivada dos ideais gregos em português: «Mente sã em corpo são».

A novidade do Clube Run 4 Fun® está na introdução da dimensão emocional.Na sua capacidade de se transformar numa marca e num clube a que muitos querem pertencer... onde a pertença está ligada à prática de desporto, mas sem radicalismos susceptíveis de colocar a integridade física (ou a capacidade de trabalhar) em causa. Onde correr não é uma afirmação política ou mediática, mas sim uma forma de fruir do contacto com a natureza e do convívio dos amigos, de forma saudável e não sedentária!

Voltar ao Início


Os eixos racionais e emocionais
Em poucos meses, o Clube Run 4 Fun® transformou-se num dos maiores grupos de atletas amadores em Portugal. Com cerca de 50 atletas activos, raras são as provas em que não marca presença. As suas camisolas e o espírito de convívio que o grupo evidencia são uma outra forma de conferir alegria aos eventos! Em pequenos ou grandes grupos, o Run 4 Fun® afirma -se bastas vezes como um dos maiores grupos ou equipas presentes em cada uma das provas. Como conseguiu em tão pouco tempo ser um dos grupos mais numerosos do «pelotão» das provas de atletismo? Afinal, aquilo que o Run 4 Fun® tem para «oferecer» não é apenas sofrimento, esforço e duras penas? Talvez a explicação seja assaz simples. Este grupo cresceu e afirmou –se porque conseguiu criar uma marca desejável. Uma marca que é mais do que um símbolo, uma frase, uma cor ou mesmo um blogue. Uma marca que exibe uma personalidade e que é admirada pelos corredores solitários, quadros ou profissionais qualificados, que manifestam a vontade de se juntarem ao grupo, num processo que é, a maioria das vezes, de adesão voluntária. De facto, todas as expressões visuais de uma marca devem ser meramente instrumentais na construção de uma personalidade única, distinta da concorrência.
Para criar uma personalidade forte, qualquer marca tem de desenvolver uma relação com o seu público-alvo ao longo de quatro eixos fundamentais.

Voltar ao Início


Uma marca e os quatro vectores de diferenciação: relevância, diferenciação, estima e familiaridade
Um primeiro eixo deriva da Relevância do Run 4 Fun® na vida dos seus membros. Correr é um hábito saudável. Mas correr (ou treinar) sozinho é francamente mais difícil: a motivação é menor, a possibilidade de fazer benchmark competitivo está dificultada, a pressão de solicitações exteriores é mais avassaladora e potencialmente em desfavor dos treinos de corrida. Então o Run 4 Fun® oferece a todos os seus membros a certeza de que em diferentes locais do planeta (Lisboa, mas também em Madrid, São Paulo ou Luanda) existem outros elementos do Clube que treinam e correm de forma semelhante.

Por isso treinar corrida já não tem de ser um exercício solitário, qual penitência religiosa. Os membros do Run 4 Fun® combinam treinos, trocam metodologias e conselhos desportivos entre si. E amiúde treinam em grupo um ou dois dias por semana, como um mecanismo de catalisação de bons humores e disposição. Os membros do clube não precisam de treinar sozinhos... Quando o irmão ou o cunhado, habituais parceiros de treino de muitos corredores, não se encontram disponíveis, o corredor sabe que no Run 4 Fun® encontra membros que podem partilhar consigo locais e horas de treino!
Nesse sentido, o Run 4 Fun® oferece uma experiência de grupo, reforçando o sentimento de pertença. E mesmo nos dias de clima mais inclemente, saber que outros membros do clube vão treinar no local combinado reforça a motivação e faz -nos sair da zona e dos locais de conforto (o sofá, a cama, o escritório!).

O outro eixo diz respeito à Diferenciação que o Clube Run 4 Fun® procura deliberadamente. Isto porque não cultiva nenhuma obrigação nos seus membros: toda a adesão a treinos ou provas é opcional. Ninguém tem de superar marcas ou tempos, por exemplo. Os objectivos de correr são puramente individuais: alguns membros treinam e correm para perder peso, outros para melhorar o seu estado de saúde geral, outros fazem -no pelo prazer do convívio e, uma pequena minoria, almeja alcançar feitos desportivos relevantes. Ao contrário de grande parte dos grupos ou agremiações desportivas, meramente treinar e correr são fins em si, sem necessidade de quaisquer outros!

O terceiro eixo sobre o qual qualquer marca com aspirações deve assentar é o território da Estima. E, nesse sentido, o Run 4 Fun® procura desenvolver-se com o objectivo de ser alvo da estima dos seus membros. O clube é sedutor e orientado para as necessidades dos seus membros, quer os mais experientes, quer os neófitos. Assim, para os membros com menor resistência, o Clube desenvolve sessões de iniciação ao treino em meio-fundo, nas quais membros experientes funcionam como tutores dos corredores menos rodados. De facto, até atingir um nível intermédio, cada membro pode contar com o apoio de um corredor mais experiente, que o ajudará a treinar e a correr em provas, e que, incenti van do -o e acompanhando -o, procura que o novo membro atinja um nível de auto -suficiência em termos de resultados desportivos e de metodologia e regularidade de treinos. Ou seja, o Clube Run 4 Fun® é orientado para o progresso e melhoria de desempenho dos seus membros, usando uma estratégia deliberada de «ajudado agora, ajudarei no futuro». Todos os membros são envolvidos irmãmente nas diversas actividades do clube (angariação de novos membros, inscrição em provas, convite para oradores seleccionados virem dar palestras ao clube, relações com a imprensa especializada, concepção e contratação de equipamentos, logística de viagens, etc.). Nesse sentido, a Marca Run 4 Fun® é construída não por uma estrutura profissional, mas por todos e cada um dos membros. Cada realização do clube contou com o empenhamento da grande maioria dos seus membros, ou seja, dos membros que são simultaneamente consumidores e produtores de serviços!

Um quarto eixo em que assenta o Clube diz respeito à Familiaridade. Esta começa no esforço deliberado, inicial, de recrutamento de membros que pudessem ser considerados líderes de opinião junto de um círculo alargado de pessoas. Que pudessem servir de exemplo e de estímulo de combate ao sedentarismo e ao conformismo (aquilo que com muito piada os norte -americanos chamam o couch potato, ou o estar refastelado no sofá a ver televisão ou a jogar um videojogo, diríamos numa adaptação algo livre!) junto de colegas, colaboradores, migos ou familiares. E por isso o núcleo fundador inclui uma mistura interessante e professores universitários, quadros superiores, profissionais liberais de renome e empresários. Caras conhecidas nos respectivos meios profissionais ou académicos, que através do seu exemplo desmistificaram a ideia de que correr era para jovens ou para quenianos, que não estaria ao alcance de comuns mortais com vidas e agendas preenchidas... Os fundadores funcionaram como pioneiros e evangelizadores iniciais! Afinal, o papel dos pioneiros é, desde há muito, um dos factores -chave de sucesso das marcas bem conseguidas, ao provocarem um efeito de imitação e de arrasto sobre o restante mercado.

Mas o Run 4 Fun® leva a questão da familiaridade um pouco mais longe. Assume-se como uma comunidade à qual se acede por convite. Assim, é necessário que os membros aceites demonstrem interesse pelo desporto em geral e pela corrida em especial, por um lado, mas também que possuam espírito gregário, capacidade de captar outros corredores e disponibilidade para participar nas tarefas de desenvolvimento do clube. Mais do que «consumidores passivos», o Run 4 Fun® quer membros activos! Por isso o processo de recrutamento assenta no princípio de «member get member», ou seja, cada membro do clube tem de trazer um novo membro. Isto reforça o sentimento de pertença e de familiaridade. E para que o processo de socialização seja mais completo e eficaz, o Clube desenvolve actividades regulares nas quais inclui a família dos corredores. Porque treinar a corrida e participar ocasionalmente em provas implica disponibilidade de tempo, convém o atleta contar com o apoio e o encorajamento daqueles que lhes são mais próximos.

Voltar ao Início

in Ralha, João Carlos e Marcos, Paulo Gonçalves. Marketing Vencedor, Gestão Plus, Bertrand Editores, 2009. — Capítulo 3.2