sexta-feira, 26 de outubro de 2012

Amesterdão – Local fantástico para correr




Pequeno relato do que foi uma experiencia “Singular”.

No passado fim de semana, um grupo fantástico de amigos rumou em direção a Amesterdão tendo como objectivo a participação na Maratona e Meia Maratona local.

Foi mais um dia de muito FUN.
Diria mais, foram mais uns dias de muita animação, partilha e boa disposição.
Viagem fantástica e convívio extraordinário.

Fizeram parte desta grande aventura :
Ana Hebe
Carmen Greft
Claire Monroy (acompanhada do Namorado, Rob)
Cristina Caldeira
Joana Peralta
Rosa Vasconcelos (infelizmente à última hora, uma aborrecida lesão não permitiu que a Rosa nos acompanhasse a correr)
Susana Brás Santos (que foi fazer a estreia na Maratona e nos deu o prazer da Sua companhia)
Albisio Magalhães Fernandes
Franco Wudich
Nuno Almeida
Nuno Marques
Nuno Tempera
Paulo Ribeiro



Na minha opinião e da pouca experiencia que tenho, a organização foi fantástica.
Aqui deixo alguns pontos que me parecem os mais importantes a salientar :

Toda a entrega de documentação, simples e eficaz, apesar dos milhares de participantes (penso que mais de 36mil).
Nada de tempos de espera, nem confusões.
A feira sem ser enorme, estava interessante e tinha algumas coisas que se podiam adquirir a bom preço.

A simplicidade para chegar à zona de partida era notória.
Apesar de simples e eficaz, penso que podia ser melhorada, com a permissão de utilização dos transportes públicos a custo 0€  para quem tivesse dorsal.

Toda a área de recolha de sacos, muito bem organizada e de fácil escoamento.

Um pequeno reparo para a quantidade de “latrinas”, na zona da partida e no trajeto da prova.
Tema que pode e deve ser melhorado.
Atenção é um problema geral, não só de Amesterdão.
Madrid, foi um bom exemplo, estava muito bem organizado, quer em quantidade quer em distribuição.
Eu fui dos que sofri quer antes do arranque, quer durante a prova.
No trajeto da prova, apenas se encontravam “latrinas” junto aos abastecimentos e em reduzida quantidade.
”Aguentei” até ao abastecimento do Km15, onde me rendi ao sofrimento e tive que “esperar” e “arrefecer” numa fila de 4 pessoas para me poder “aliviar”.
Senhores responsáveis pela organização de maratonas (e outras provas), por favor, pensem em todos os Nuno’s e Nuna’s que têm este “stress intestinal” e coloquem mais “latrinas” espalhadas quer pela zona de partida quer durante o trajeto da prova.

A partida estava muito bem organizada
Demorámos algum tempo a passar a linha de partida, mas na realidade e apesar dos muitos milhares a correr, passando a linha real de partida, podíamos iniciar com o ritmo desejado sem grandes atropelos.

Durante a prova, grande apoio popular, os abastecimentos em bom número e “bem fornecidos” e ainda tivemos os abastecimentos extras da responsabilidade do público (sólidos e líquidos...fantástico).

A chegada é fenomenal, estádio muito bem composto e a organização muito cuidadosa com os atletas.
Qualquer um seguramente que se emocionou.

Balneários unissexo no final para banhos e massagens...quem quis o seu banho ou a sua massagem...bastou dirigir-se ao pavilhão onde tudo estava bem preparado e a espera era muito reduzida.


Foi uma experiencia magnifica.
O trajeto propicio a grandes marcas (todo plano), e o clima ajudou imenso (corremos com aproximadamente 13 a 15 graus).

Nestas coisas, sou mesmo um adepto do FUN, do convívio, da partilha e boa disposição...sem nunca esquecer a corrida e a permanente tentativa de superação (seja lá isso o que for, penso que neste caso cada um terá a Sua).

Deixo os parabéns a todos e sem querer alongar-me em demasia deixo uma pequena frase a cada um :

Ana Hebe, fez a Sua estreia na distancia da meia maratona. Decisão à última hora (aproveitou o dorsal do Franco e prescindiu dos 8Km previstos). Bela performance para estreia.

Carmen Greft, mais uma meia feita, desta vez apadrinhou a Ana. É fantástico o empenho que coloca em cada prova.

Claire Monroy, acompanhou o Seu Namorado, Rob,  na estreia da distancia da Meia Maratona. Foi seguramente muito mais FUN que RUN J.

Cristina Caldeira, primeira meia “sem companhia”. Correu abaixo das 2horas. Fantástica performance a demonstrar que quando quiser, pode pensar em atacar a maratona.

Joana Peralta, comentário similar ao da Cris...chegou muito bem, parecendo que tinha ainda muito para dar, tal foi o sprint final.

Susana Brás Santos, uma alegria contagiante. Fantástica estreia na maratona. Foi um prazer a sua companhia.

Albisio Magalhães Fernandes, uma vez mais e apesar do Seu grande momento de forma, optou pela corrida solidária ao invés da “Sua” corrida. Apadrinhou a prova da Susana e mesmo lesionado e em grande sofrimento, fez questão de a “levar” até à meta.

Franco Wudich, grande estreia na Maratona. Decisão de última hora. Como optou por me “rebocar” em vez de “arrancar”, a Sua estreia foi um autentico passeio. Divertimo-nos bastante...mas o Franco acabou muitoooo fresco.

Nuno Almeida, um autentico avião. Performance fantástica a demonstrar que o treino trás mesmo resultados. Grande PBT, mas a prometer que ainda pode melhorar...e muito.

Nuno Tempera, continua em crescendo, mas nitidamente com “muito lastro” ainda para dar. Fez PBT, mas podia ter feito muito melhor. Ele fotografou, dançou, filmou...enfim...desfrutou e muito

Paulo Ribeiro, uma prova muito tranquila e a demonstrar que quando quiser pode igualmente pensar em dar o “salto” para a Maratona.


Da minha parte...obrigado a todos, em especial ao Franco que fez questão de me “rebocar” nos últimos 15Kms, quando a força começou a faltar.

Para mim terminar uma maratona é sempre uma emoção.
Reconheço que é uma prova que, ao dia de hoje, mexe muito comigo.

Apesar de a preparação e condição estarem longe do desejado, na realidade acabei mais uma (a quarta no espaço de 10 meses).

Fiquei muito feliz e ainda tive a “bênção” de poder ter ajudado um companheiro do pelotão de nacionalidade Russa a acabar a Sua primeira maratona.

O rapaz estava já nos últimos 2 Kms e quase incapacitado de continuar...apliquei a minha “filosofia de trazer por casa”, mandei um par de berros em linguagem pouco “técnica” e lá fomos juntos até ao “sprint final”.

O sentido e emocionado abraço que recebi ao final e o email de agradecimento que ele me enviou no dia seguinte, fazem com que dias muito especiais, consigam tornar-se ainda mais singulares.

É isto a “coisa das corridas”.

Ficamos agora a aguardar os restantes relatos...principalmente dos estreantes nas diversas distancias .

Runabraços

Nota : as reportagens fotográficas das provas serão publicadas assim que disponíveis, por cada um dos “fotógrafos” presentes.

2 comentários:

João Ralha disse...

Nuno,

Magnífico relato com o requinte do detalhe individual para todos os nossos companheiros.

Parabéns a todos pelas suas provas, em especial para os que fizeram a sua 1ª Meia ou Maratona, Ana Hebe, o grande Franco Wudich a estrear-se na maratona no País do seu Pai e a Susana.

Gostei de ver a Claire Monroy que está agora a começar o Doutoramento na Holanda, mas não deixou de aparecer e apoiar o Rob na sua 1ª Meia.

Tivemos mais vários exemplos do espírito "Run 4 Fun" de entreajuda e apoio a companheiros de corrida e não apenas da própria equipa, como fez o Nuno Marques.

Runabraços




Franco Wudich disse...

Caro amigo,

Mais uma vez estivemos juntos, desta vez a correr lado a lado. Foi mesmo uma corrida cheia de emoções em todos os sentidos e isto reflecte o que a Holanda significa para mim e acho que consegui de uma certa forma passar isto a todos.
Obrigado por me acompanhar, pois contigo ao lado minhas preocupações foram esquecidas, não senti dores, cãibras, paredões, nem nada, desfrutamos o ambiente, a cidade e principalmente o prazer de correr.

Um abraço.