terça-feira, 17 de janeiro de 2012

DOR NA SOLA DOS PÉS (Fasceíte Plantar)







Dores nas solas dos pés são mais comuns em pessoas entre 30 e 50 anos


A fáscia plantar é um tecido espesso que reveste toda musculatura da planta do pé. Ela tem origem no calcanhar (osso calcâneo) e percorre toda a região plantar até chegar à base dos dedos.

Fasceíte ou fascite plantar pode ser definida como a inflamação da fáscia plantar.


Essa inflamação é comum em pessoas entre a terceira e quinta década de vida, sendo a lesão mais comum da planta do pé e uma das principais lesões em corredores, representando 20% das lesões esportivas. Sua causa é multifatorial, porém pode ser didaticamente dividida em três fatores:

-  Fatores anatômicos: alterações posturais, pé plano (chato), pé pronado, pé cavo e diferença de comprimento de membros inferiores;

- Fatores biomecânicos: encurtamento dos músculos da panturrilha (tríceps sural), diminuição da força dos músculos flexores plantares e intrínseco dos pés, obesidade ou súbito aumento de peso e traumas locais;

- Fatores ambientais: erros de treinamento, aumento de treinamento com súbita sobrecarga de velocidade, intensidade e duração de treinos e corrida; corrida em aclives e terrenos irregulares, calçados inadequados e alongamento insuficiente.

O diagnóstico é realizado através de avaliação física, queixas do paciente, palpação da região e exames de raios-X, ultrassom e ressonância magnética.

Entre os pacientes afetados, são comuns relatos de dor irradiada do calcâneo até a base dos dedos, dor intensa ao primeiro apoio matinal do pé no chão e dores durante a deambulação (marcha do dia a dia).


Geralmente a fasceíte (fascite) plantar começa como uma dor leve ou sensibilidade na área da planta do pé próxima ao calcanhar que, gradualmente fica mais intensa e severa.

A fisioterapia tem papel fundamental no tratamento e prevenção da fasceíte (fascite) plantar e de suas complicações, sendo o esporão de calcâneo a principal delas.


Todo programa de fisioterapia para o tratamento e prevenção da fasceíte (fascite) plantar visa à diminuição da dor, controle do processo inflamatório, orientações e reequilíbrio muscular através de alongamento e fortalecimento.

Dica: Aos primeiros sinais de dores na região plantar do pé, procure um profissional para uma completa avaliação e o correto diagnóstico e tratamento, só assim você terá condições de realizar suas atividades esportivas sem maiores complicações. 

7 comentários:

Paulo Marcos disse...

Sou íntimo desta coisa da Fasceíte plantar...tem-me valido o José Novo.

Obrigado pelo artigo e um abraço quente para o Brasil.

Francisco Sanches Osório disse...

Franco,

É, sem dúvida, um artigo muito interessante e importante para quem anda nestas correrias! Há que dar especial atenção aos factores de risco (ambientais) que podemos controlar e cuidado todas as vezes que vamos correr.

Grande abraço e até breve!

Nuno Sentieiro Marques disse...

Obrigado pela partilha Franco.

Muito interessante e útil para qualquer um de nós que anda nestas coisas das corridas.

Runabraço

Oz disse...

Um artigo interessante sobre um assunto sempre atual.

Sem quere diminuir o valor do artigo, o mesmo carece no entanto de mencionar que a causa principal da fasceite plantar é o uso de calçado desportivo com amortecimento.

Estabelecendo uma analogia, seria como falar das diversas causas do cancro de pulmão e não mencionar o tabaco.

Obrigado e abraço

João Ralha disse...

O famoso livro "Born to Run" ou "Nascidos para Correr" terá sido escrito também por causa dos problemas de fasceite plantar do autor, Cristopher McDougall.

Ele resolveu-os utilizando calçado sem amortecimento, os conhecidos "5 fingers" ou correndo descalço. Estive com ele num treino no Jamor há alguns meses e ele referiu que conseguia ultrapassar os problemas da fasceite plantar em duas semanas apenas com três exercícios específicos que referiu: saltar à corda, agachamentos e outro que já não me lembro.

E a sua teoria é que estes problemas de fasceite plantar e outro tipo de lesões resultam essencialmente da utilização de calçado com amortecimento no calcanhar, como dizia o Oz.

Runabraços

Goncalo Fontes de Melo disse...

Caro Franco, tocaste no ponto sensível! Tive esta lesão na sequência do "sprint" na Meia Maratona de Lisboa. Não mata mas moí. Tive de parar uma semana e meio, tratamento com anti-inflamatório, gelo e spray, bem como exercícios específicos. Já estou recuperado e venham os kms. Mas tenho que fazer sempre alongamentos e aquecer os pezinhos...Obrigado pela partilha. Abraço.

Carlos Pereira Dos Santos disse...

muito interessante,obrigado pela partilha abç