segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Mini Trail Amigos da Montanha - Barcelos (25k)


Amigos da Montanha :).

     Provando mais uma vez que a laranja está sumarenta e cheia de saúde, tivemos mais uma vez run4funs de norte a sul do país a correr (quando é que metemos alguém a fazer trilhos ou meias na lua?). Em Barcelos, os Amigos da Montanha organizaram um excelente evento com provas de trilhos de 60k e 25k, e uma caminhada. Vale a pena visitar a cidade, onde somos muito bem recebidos.

     Com o João Guerra, brilhante aquisição laranja e culpado pelo meu vício dos trilhos (comecei na Serra d'Arga à mais de um ano pela mão dele), combinei um fim de semana em família. Desta forma poupávamos a mesma a mais uma ausência, e quebrávamos a rotina. Escolhemos os 25k por ser uma prova mais rápida de fazer e dar menos "seca"a mulheres e filhos, e não porque os 60k nos assustassem, longe disso!

     O fim de semana teve tanto de desportivo como de gastronómico. A viagem para cima foi bastante chata, com muita chuva até depois de Coimbra. Como os Guerra iam ter a Barcelos, decidimos parar no Porto na Cufra, onde à terceira vez consegui finalmente matar as saudades da fantástica francesinha (fico a dever uma visita à Regaleira). Já em Barcelos e depois de instalados no muito conveniente e simpático hotel Bagoeira, passeámos e jantámos cedo na Muralha, onde apareceram depois dezenas de trailistas muito conhecidos (Vitorino Coragem, Analice,...). Começa a ser mesmo uma família que gosta de se reencontrar. Na Muralha destacou-se o Galo, que ao contrário da lenda de Barcelos não se levantou e cantou. Pelo contrário, enorme e muito tenro, recheado com vitela picada e castanhas e acompanhado por legumes e batatas deliciosas, deu uma trabalheira do caraças a mim e ao João, e devia ter sido dividido por mais pessoas (uma dose, coisa à norte...). Depois da prova no domingo almoçámos no restaurante do hotel e voltámos a ser muito bem tratados. Bacalhau óptimo mas tudo o que for carne de vitela destaca-se. Chamarem uma dose aquilo é que é no mínimo irónico, ou então eu sou meio ou um quarto de homem.

     E também corremos, é verdade. Já que tínhamos feito a viagem e enchido o bandulho daquela maneira na véspera. Não preparei da melhor forma esta prova, a Serra d'Arga deitou-me abaixo e demorei a voltar aos treinos regulares. Para piorar esta semana foi complicada profissionalmente e só treinei duas vezes. Não que tivesse que fazer muito mais, mas não estava confiante. O ambiente na partida era muito bom, e apesar de ter algum receio de afunilamentos por causa dos mais de 600 malucos que corriam à minha volta, a coisa arrancou muito bem. Os splits iniciais são muito rápidos, mas decidi arriscar um bocado e ver como a coisa corria. Tivemos sempre um percurso bonito e variado, zonas densas de floresta fantásticas, mas os 15k iniciais eram muito massacrantes. Subimos muito, de forma que me pareceu quase contínua, e o terreno esteve quase sempre muito pesado. Tive muitas vezes a sensação de estar numa aula de musculação (coisa que nunca fiz nem sei se existe mas espero que percebam a ideia). Mas estive quase sempre confiante a subir, e bem nas descidas onde tirei verdadeiramente a barriga de misérias. Barcelos permite pequenas loucuras, tanto em estradões abertos como em single tracks em zonas densas de vegetação e árvores. Em plano fui-me socorrendo da prática habitual das lebres, e fui rebocado muitas vezes pela "pantera cor de rosa". Não sei o nome dela mas agradeci-lhe no fim, sem se aperceber levou-me algumas vezes às costas. No início da prova não sabia bem o que esperar, mas o João achou que conseguia terminar abaixo das 3h. Pareceu-me optimista mas a verdade é que demorei 2h48 a fazer os 25km, o que me deixou radiante. Mais importante foi perceber que me começo a conhecer melhor e a não ser surpreendido pelas minhas manhas. Insistir, forçar, procurar dar um pouco mais, e mentalmente encontrar reservas que por vezes as pernas acham que já não têm. Mas que estão lá. O João Guerra fez 2h e pouco mais de meia, mas ele pertence a outro campeonato. Talvez seja do regime alimentar, e do atum ao pequeno almoço. Não sei. O que sei é que só lhe vi as solas dos ténis nos primeiros 10m de prova... :).

     Para terminar, a sorte de poder presenciar ao vivo e a cores a chegada dos dois primeiros da prova dos 60k. Momento emocionante e com uma história belíssima por trás, que aconselho a lerem aqui. Nada que me surpreenda, nem quem se apaixonou pelo trail running, mas que não deixa de ser fantástico e próprio de uma grande modalidade e de grandes Homens.

     Para os que quiserem espreitar a minha prova - runkeeper. Máquina!

     Até breve, com sorte por trilhos por aí (embora deva ser mesmo na maratona de Lisboa, vamos lá ver como me corre a estreia na distância mítica),

     Miguel Serradas Duarte.

Empeno.

P. S. - o lixo que continua a aparecer na serra... argh. A organização não merecia, e fez tudo para o evitar (5 estrelas para os Amigos da Montanha).

6 comentários:

Nuno Sentieiro Marques disse...

Barcelos...ui, seguramente um fim de semana mais que fantástico ;).

Obrigado pelo brilhante relato e partilha Miguel, ao ler, foi como se lá tivesse estado.

Parabéns, pela participação, pelo convívio e por terem levado a Laranginha a esta maravilhosa zona do país.

Runabraços

Jorge Esteves disse...

Os Run 4 Fun tiveram dois distintos representantes numa prova bem difícil. Parabéns!

Os trail permitem um convívio duplo: antes e durante a prova. É também uma oportunidade de conhecer melhor algumas zonas do país que de outra forma seria difícil conhecer.

Runabraços

Luísa Ralha disse...

Miguel é sempre um prazer ler as tuas descrições das provas e dos acontecimentos antes e depois destas... e da tua preocupação pelo ambiente! Custa realmente ver espalhados pelos trilhos os restos dos copos, envólucros das barras e dos géis atirados por pessoas que amam e apreciam a natureza.
Continua assim, fazendo-nos ter sempre um sorriso nos lábios enquanto as lemos.
Runkiss Luisa

Orlando Ferreira disse...

Miguel, a tua escrita é muito engraçada, cativante, inspiradora, fluida, enfim, boa de se ler.
Continua sff a participar em provas porque seguramente gostarei de ir acompanhando os teus relatos.
Obrigado.

João Ralha disse...

Miguel,

Belíssimo relato de viagem, estadia e prova. Original e muito bem humorado.

Estas corridas permitem, de facto experiências a vários níveis e é isso que as enriquece muito.

Só não me lembro de teres dito que provaste o famoso bacalhau à Bagoeira. Será que não és apreciador do "fiel amigo".

Parabéns a ti e ao João Guerra por mais uma excelente prova.

E como sempre, fotos de qualidade superior.

Runabraços

Miguel Serradas Duarte disse...

Na Bagoeira foi esse mesmo o bacalhau que provei, e gostámos todos muito (as batatas fritas com cebola e azeite sofreram um assalto sem tréguas no fim da refeição). Escrever estes relatos é interessante, permite organizar as ideias e prolongar um bocadinho o que se viveu. Ainda bem que mais pessoas gostam deles. Espero sempre pela vossa companhia nos trilhos, mais do que a ler os relatos das provas.