domingo, 26 de setembro de 2010

37ª Maratona de Berlim - Resultados


Estive a ver no Eurosport. As condições não eram as melhores, com chuva, que deve ter deixado muitos corredores com os pés, bem.......................... molhados. Não é nada fácil......

Parabéns aos nossos brilhantes corredores que, não obstante as condições desfavoráveis, obtiveram resultados de alto nível, numa Maratona que teve mais de 40.000 participantes.


O Miguel com tempo para Boston,abaixo das 3:20, o Luís, o Bruno e o Eduardo abaixo das 3:30, o Renato, na sua 1ª Maratona em excelentes 3:32, as seguintes devem ser um espanto......

Em menos de 4 horas, o André, o António Pedro, e a Norma. E até às 4:21, todos os restantes bravos corredores e corredora.

Os gémeos José e Luís Filipe Leitão fizeram, como de costume, a corrida juntos.

Um abraço especial aos nossos "irmãos" do Brasil, André, Norma, Danilto e Cristine.

Não se esqueçam de "postar" ou comentar a vossa participação. Bom descanso, boa estadia e boa viagem de regresso. E não esqueçam.......agora é recuperar, pois uma Maratona deixa sempre marcas, a melhor das quais, a de a ter concluído.

Runabraços

14 comentários:

Jose Carlos disse...

Muitos parabéns por esta magnífica participação que tiveram os elementos da equipa RUN 4 FUN em tão prestigiada competição.

RunAbraços.

Miguel Ayala Botto disse...

Olá a todos!
Foi em condições especiais que se realizou esta maratona. De facto, a chuva que caía antes e durante quase toda a prova (no final acho que parou) parecia ser um pouco desmoralizadora. Mas, no momento em começa a prova, a chuva já não interessa nada. É correr e pronto, é para isso que lá estamos. Eu, pelo menos, dou-me bem com a água (ou não fosse a natação o meu desporto favorito). Para mim foi a 1ª maratona a sério e adorei, pois bati as 3h20 que era assim um objectivo quase impensável. Meti o "cruise-control" e fiz a maratona toda ao mesmo ritmo: 4min43s /Km do princípio ao fim (na 2ª metade da prova levei mais 20 segundos que na 1ª!). Isto, claro, com a ajuda preciosa de uns gels de Hi5 que ia metendo a cada 7,5 km. Estive sempre com glicose qb, nunca o meu cérebro me mandou parar, e muro... qual muro? Não apanhei muro nenhum. Só depois de acabar a prova é que percebi que não conseguia andar, deve ser isso o muro! :)
Abraço a todos, e boas provas. E um obrigado especial ao Paulo Marcos por todo o apoio!

Manuel Romano disse...

Também eu liguei a televisão mais cedo para assistir à prova, pensava que ver algum companheiro de corridas fosse possivel. Depressa concluí que tal não iria acontecer ao olhar para aquela enorme massa humana. É uma prova espantosa! Parabéns a todos os participantes, os resultados que alcançaram são de facto espectaculares.

Miguel San-Payo disse...

Muitos parabéns a todos. Os tempos foram fantásticos e fiquei cheio de inveja. Participar numa Maratona com mais de 40.000 atletas de 122 nacionalidades deve ser uma experiência única. Eu cá me vou ficando pelas maratonas portuguesas cujos participantes também são de várias nacionalidades (alentejanos, algarvios, murcões, etc.)

Joao Fialho disse...

O clube representado pela sua elite. Que fantásticos tempos.
Um dia irei correr uma maratona convosco e juntar-me a vocês.

António Pedro Mata disse...

Após 17 semanas de treino chegou finalmente o dia da Maratona de Berlim (26 de Setembro último). Depois de um Sábado completo de turismo, pela fantástica cidade de Berlim, apresentei-me na Partida confiante numa boa prova. A minha grande preocupação era o tendão de Aquiles (esquerdo) e a manutenção de uma cadência média de cerca de 5:15 por Km.
O ambiente, apesar da chuva e da temperatura (a rondar os 9º/10º) estava fantástico. A organização tinha aqueles 40.900 maratonista excelentemente controlados.
A primeira metade da prova foi corrida num excelente ritmo, a confiança estava em cima, o treino realizado estava a dar resultados. Estava até a fazer alguns km numa cadência ligeiramente mais rápida que a programada (havia de paga-las!).
Pelos 25º Km começo a ter pequenas ameaças de cãibras na perna esquerda e … lembrei-me logo do final da Maratona de Lisboa. Fico surpreendido pois até tinha tido cuidado em tomar magnésio. Nesta altura convenci-me que as cãibras seriam inevitáveis, talvez não conseguisse chegar ao fim. Baixo um pouco o ritmo e passei a ter um pouco mais cuidado com a passada.
Pelos Km 30/32 comecei a pagar a factura pelo Turismo feito no dia anterior. Aquele dia todo de passeatas a pé por Berlim, de escadas de Metro, estavam a fazer-se notar. Comecei a ter dores nas pernas e até nas costas. Estava com um nível de cansaço superior ao previsto. Estava sem perceber pois o plano de treino até tinha sido seguido à risca… estava a pagar a fatura pelo Turismo do dia anterior.
Baixei ligeiramente o ritmo e coloquei a mente ao serviço das pernas. Fui-me convencendo que era capaz de chegar ao fim, que conseguia, etc. Afinal só faltavam 12 Km, 11 Km, 10Km, …! Nos últimos 10 Km começam a aparecer pessoas a andar ou mesmo paradas. Foi com grande satisfação que passei pelos Km 40, 41 e 42, ia conseguir! Estava finalmente na Av. Unter den Linden, já só faltavam algumas centenas de metros para a meta situada nas Portas de Brandeburgo. Aumento um pouco o ritmo e corto a meta. Já está, venha outra!
A segunda metade desta maratona foi 10 minutos mais lenta que a primeira e o tempo final também 10 minutos pior que o objectivo mínimo traçado. Apesar do tempo final conseguido (3:55:05), e dos níveis de cansaço, tinha ficado relativamente bem colocado: 12.972 em 40.000 participantes (Estarei nos 33% melhores maratonistas mundiais?).
Na próxima (Estocolmo em Maio?), já com um pouco mais de experiência, talvez consiga fazer melhor e baixar das 3:45:00.

António Pedro Mata disse...

Após 17 semanas de treino chegou finalmente o dia da Maratona de Berlim (26 de Setembro último). Depois de um Sábado completo de turismo, pela fantástica cidade de Berlim, apresentei-me na Partida confiante numa boa prova. A minha grande preocupação era o tendão de Aquiles (esquerdo) e a manutenção de uma cadência média de cerca de 5:15 por Km.
O ambiente, apesar da chuva e da temperatura (a rondar os 9º/10º) estava fantástico. A organização tinha aqueles 40.900 maratonista excelentemente controlados.
A primeira metade da prova foi corrida num excelente ritmo, a confiança estava em cima, o treino realizado estava a dar resultados. Estava até a fazer alguns km numa cadência ligeiramente mais rápida que a programada (havia de paga-las!).
Pelos 25º Km começo a ter pequenas ameaças de cãibras na perna esquerda e … lembrei-me logo do final da Maratona de Lisboa. Fico surpreendido pois até tinha tido cuidado em tomar magnésio. Nesta altura convenci-me que as cãibras seriam inevitáveis, talvez não conseguisse chegar ao fim. Baixo um pouco o ritmo e passei a ter um pouco mais cuidado com a passada.
Pelos Km 30/32 comecei a pagar a factura pelo Turismo feito no dia anterior. Aquele dia todo de passeatas a pé por Berlim, de escadas de Metro, estavam a fazer-se notar. Comecei a ter dores nas pernas e até nas costas. Estava com um nível de cansaço superior ao previsto. Estava sem perceber pois o plano de treino até tinha sido seguido à risca… estava a pagar a fatura pelo Turismo do dia anterior.
Baixei ligeiramente o ritmo e coloquei a mente ao serviço das pernas. Fui-me convencendo que era capaz de chegar ao fim, que conseguia, etc. Afinal só faltavam 12 Km, 11 Km, 10Km, …! Nos últimos 10 Km começam a aparecer pessoas a andar ou mesmo paradas. Foi com grande satisfação que passei pelos Km 40, 41 e 42, ia conseguir! Estava finalmente na Av. Unter den Linden, já só faltavam algumas centenas de metros para a meta situada nas Portas de Brandeburgo. Aumento um pouco o ritmo e corto a meta. Já está, venha outra!
A segunda metade desta maratona foi 10 minutos mais lenta que a primeira e o tempo final também 10 minutos pior que o objectivo mínimo traçado. Apesar do tempo final conseguido (3:55:05), e dos níveis de cansaço, tinha ficado relativamente bem colocado: 12.972 em 40.000 participantes (Estarei nos 33% melhores maratonistas mundiais?).
Na próxima (Estocolmo em Maio?), já com um pouco mais de experiência, talvez consiga fazer melhor e baixar das 3:45:00.

António Pedro Mata disse...

Após 17 semanas de treino chegou finalmente o dia da Maratona de Berlim (26 de Setembro último). Depois de um Sábado completo de turismo, pela fantástica cidade de Berlim, apresentei-me na Partida confiante numa boa prova. A minha grande preocupação era o tendão de Aquiles (esquerdo) e a manutenção de uma cadência média de cerca de 5:15 por Km.
O ambiente, apesar da chuva e da temperatura (a rondar os 9º/10º) estava fantástico. A organização tinha aqueles 40.900 maratonista excelentemente controlados.
A primeira metade da prova foi corrida num excelente ritmo, a confiança estava em cima, o treino realizado estava a dar resultados. Estava até a fazer alguns km numa cadência ligeiramente mais rápida que a programada (havia de paga-las!).
Pelos 25º Km começo a ter pequenas ameaças de cãibras na perna esquerda e … lembrei-me logo do final da Maratona de Lisboa. Fico surpreendido pois até tinha tido cuidado em tomar magnésio. Nesta altura convenci-me que as cãibras seriam inevitáveis, talvez não conseguisse chegar ao fim. Baixo um pouco o ritmo e passei a ter um pouco mais cuidado com a passada.
Pelos Km 30/32 comecei a pagar a factura pelo Turismo feito no dia anterior. Aquele dia todo de passeatas a pé por Berlim, de escadas de Metro, estavam a fazer-se notar. Comecei a ter dores nas pernas e até nas costas. Estava com um nível de cansaço superior ao previsto. Estava sem perceber pois o plano de treino até tinha sido seguido à risca… estava a pagar a fatura pelo Turismo do dia anterior.
Baixei ligeiramente o ritmo e coloquei a mente ao serviço das pernas. Fui-me convencendo que era capaz de chegar ao fim, que conseguia, etc. Afinal só faltavam 12 Km, 11 Km, 10Km, …! Nos últimos 10 Km começam a aparecer pessoas a andar ou mesmo paradas. Foi com grande satisfação que passei pelos Km 40, 41 e 42, ia conseguir! Estava finalmente na Av. Unter den Linden, já só faltavam algumas centenas de metros para a meta situada nas Portas de Brandeburgo. Aumento um pouco o ritmo e corto a meta. Já está, venha outra!
A segunda metade desta maratona foi 10 minutos mais lenta que a primeira e o tempo final também 10 minutos pior que o objectivo mínimo traçado. Apesar do tempo final conseguido (3:55:05), e dos níveis de cansaço, tinha ficado relativamente bem colocado: 12.972 em 40.000 participantes (Estarei nos 33% melhores maratonistas mundiais?).
Na próxima (Estocolmo em Maio?), já com um pouco mais de experiência, talvez consiga fazer melhor e baixar das 3:45:00.

Paulo Gonçalves Marcos disse...

Fantásticos relatos do Miguel e do António Pedro!

E fomos decerto uma das equipas mais numerosas!

Entretanto o MorgenBerliner, o jornal que patrocinou a prova tem uma surpresa que vos vai agradar...estou à espera que o Renato ou o Bruno a coloquem online...

E que fantásticos tempos que os nossos melhores fizeram! Tempos canhão! Parabéns!

Eduardo Correia disse...

Olá a todos,
Gostaria de agradecer a todos, pelos diversos apoios ao longo destes últimos meses de treinos. Esta maratona foi mal combinada em termos de encontros no local, tanto no inicio bem como no final porque não fazíamos a mínima ideia da confusão que seria estarmos numa multidão de 40.000 pessoas, e no final, ficamos todos de igual com uns sacos verdes para nos protegermos do frio e da chuva ,o que ainda dificultou o encontro.
Em relação à maratona, confesso que estava muito ansioso para concluir o tempo necessário para Boston, correu tudo bem até ao km 35 onde ia com o meu parceiro virtual em 13 km/h, era possível conseguir menos que 03,20H mas tive uma quebra , sem explicação, tendo terminado em esforço com 03.29.55, por 5 segundos ia subindo de escalão (F). Pensando nos erros que cometi ,pós férias , turismo excessivo em Berlim, falta de “longões “.....etc...o importante é pensar que o meu objectivo pessoal deste ano foi alcançado , concluir uma major é sempre motivo de orgulho pessoal, e escolher as duas próximas Maratonas para 2011.
Ando a pensar em Chicago e Viena ou Roterdão. Vemo-nos na meia do Algarve.

João Ralha disse...

Gostei muito dos comentários dos nossos brilhantes maratonistas, em Berlim.

Podemos aprender muito com os seus ensinamentos.

Vale a pena construir um "histórico" destes relatos para apresentar uma próxima confraternização Run 4 Fun.

E esta é para o António Pedro Mata: lá nos encontraremos em Estocolmo a 28 de Maio, para o ano.

Runabraços

Luis Matos Ferreira disse...

Gostei muito desta experiência internacional de concluir uma Major. O ambiente é de facto fantástico, não só na prova mas por toda a cidade e nos eventos organizados em torno da Maratona. De realçar a festa pós maratona em que ainda deu para "abanar o capacete" e ver de perto os heróis do Olimpo das corridas (são pequeninos, magríssimos e correm que se fartam).
Quanto à corrida em si, fui em grupo com o Bruno e o Renato que mais uma vez se revelaram uns excelentes companheiros de prova. Fomo-nos revezando no comando do trio, o que facilitou muito o progresso ao longo do percurso. Senti-me bem do início até ao fim mas cedo me apercebi que não me seria possível cumprir o meu objectivo das 3h20m. Tendo afastado da minha mente essa preocupação, tratou-se apenas uma questão de apreciar o fluxo contínuo daquela enorme mole humana e da moldura de espectadores que nos incentivavam a continuar. E após os 42,195 km míticos lá cruzei a meta com o sentimento habitual de euforia e aquela mescla de puro prazer e dor excruciante que os corredores bem conhecem.
Fico muito satisfeito por vários companheiros terem conseguido alcançar os seus objectivos, sobretudo o Miguel que conseguiu brilhantemente atingir a meta a que nos propúnhamos e o Renato que completou a sua primeira maratona com um tempo muito respeitável e com grande potencial para futuros grandes feitos. Quanto ao Bruno, o homem tem uma tal estaleca que nem precisa de treinar muito para conseguir resultados consistentemente bons. Foi pena o Eduardo ter quebrado mesmo no fim porque ia muito bem lançado para fazer um tempo excelente. Enfim, a Maratona é sempre uma caixinha de surpresas.
Todos os restantes estão também de parabéns por terem concluído esta magnifica prova.
Gostaria de deixar aqui um agradecimento especial ao Pedro Neves que tratou de toda a logística do levantamento dos dorsais. Sem ele e sem o incentivo inicial do Paulo Marcos, que nos motivou a todos para esta empreitada (e a quem deixo aqui também o meu agradecimento) não teria tido esta oportunidade única.
Bem hajam a todos! Run 4 Fun!!!

Luis Matos Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Filipe Leiton disse...

Caros,

Primeiro, os meus parabéns para os excelentes tempos feitos nesta maratona.

O tempo de chuva não indicava nada de bom mas como o Miguel disse, bastou passar a linha de partida para que isso fosse irrelevante.

O meu objectivo principal era conseguir acabar a prova sem parar, mas o facto da corrida ser praticamente toda plana, fez com que passasse os 25km cheio de energia.
Até aos 36km acreditei que podia ficar abaixo das 4h, mas tive uma grande quebra e comecei a sentir o tendão que me impediu de treinar de Abril a Junho.. e decidi abrandar. Felizmente, o meu irmão que estava em melhor forma, preferiu acabar a prova ao meu lado do que abaixo das 4h e isso deu-me um ânimo adicional.

Mas, virar para a Unter den Linden e ver a palavra Ziegl no final, dá-nos uma alegria dificil de descrever.

A organização esteve quase sempre bem. é uma maratona que recomendo.

Abraços