Caldas Ultra Trial 2018




Representantes R4F nos 15Km: Luísa Ralha e Manuela Cruz (na companhia do Paulo Fernandes).
O João Ralha também estava inscrito nos 15km mas não pode participar. Ofereceu o dorsal no grupo de Atletas mas acho que ninguém se chegou a frente.
Representantes R4F nos 50Km: Sandra Simões, Pedro Ribeiro, Jorge Esteves, Teodoro Trindade e eu.
Eu nunca tinha feito esta prova. Inscrevi-me, já nem sei porquê...
Mas deve ter sido por causa do malandro do Jorge Esteves. Ah e tal.. 1700 de D+ aqui perto blá blá blá.
A uns dias estive a ver o gráfico da altimetria do percurso e fiquei lixado. A prova caracteriza-se por subir e descer constante ao longo dos 50km. "Que tontaria esta prova" pensei eu.

Saímos de Lisboa no domingo pelas 6h:15, apanhamos o Pedro Ribeiro ali para os lados da Venda do Pinheiro.
Encontramos o Teodoro e o Jorge já no levantamento dos dorsais. Estava um ambiente tenso. Todos queríamos ganhar. (estou a brincar como é óbvio. a única coisa que queremos ganhar é juízo mas parece que tá difícil)

Não vimos mais ninguém dos companheiros. Só sabíamos que a Luísa estava inscrita nos 15km mas como o João Ralha tinha oferecido o dorsal não sabíamos se viria. A Manuela Cruz não sabíamos que estava inscrita.
Fomos ao carro levar os sacos e quando voltamos já estava o speaker a dar briefing da prova. Acho que não perdemos nada.
Como meninos bem comportados saltamos as fitas para entrar no fim da fila da partida. Um membro da organização veio confirmar se trazíamos o material obrigatório.
Não foi necessário abrir a mochila. Ele perguntou e confiou na nossa palavra.
Ouvi várias vezes o speaker dizer que era importante levarmos sempre água connosco.

O Teodoro tranquilo, impressionante este homem, o Jorge que há semanas tem tentado destabilizar-me a dizer que me vai ganhar... e que estou gordo e que estou fraquinho..., parecia apreensivo. Mas eu já o conheço, é rijo que se farta.
O Pedro Ribeiro ia fazer a primeira Ultra de 2018. Também estava ali um bocado manhoso mas confiante. O Pedro não treina tantos km a correr como nós mas carrega duro no ginásio... nas boxes. E no outro dia deu-me 10 a zero no Monsanto speedy. Portanto só podia correr bem.

A Sandra Simões... viu a coisa ficar negra quando deu conta que afinal a prova era já neste fim de semana. Nem deu tempo para interiorizar a "coisa". As vezes ela acha que os desafios são maiores do que ela. Mas no final e afinal é capaz de muito. É uma valente lutadora.
A prova dos 50k tinha talvez uns 120 participantes. Dá-se o mote para a partida e lá vamos nós...

Saímos da povoação e os primeiros 15 km era um ligeiro sobe e desce mas corrivel , exceto uns single tracks que ninguém passava.

Eu resolvi atacar o trilho desde logo. Ganhar distância ao Jorge Esteves. Disse até já e meti a 2ª na engrenagem e aumentei a passada.
____ ///___

O Caldas Ultra Trial 50k como prova de trilhos:

Alguns comentários que me parecem básicos. 1. tomara muitas provas terem algumas das paisagens e trilhos desta prova junto as arribas. 2. Um exagero na quantidade de vezes que se desce das arribas até ao mar para logo a seguir voltar a subir.  3. Organização excelente. Desde o pessoal nos abastecimentos, os próprios abastecimentos e as marcações. Pela primeira vez vi usarem e abusarem do X pintado no chão nos entroncamentos e bifurcações e de marcações com setas também pintadas no chão.
4. Poucos participantes, pelo menos nos 50k. 5. Pessoalmente não gosto de fazer trilhos que “metam” alcatrão. Se é uma prova de trilhos é para ser em trilhos. E esta tem alguns km em estrada, incluindo uma passagem pela marginal longa junto a praia.6. Para alguns corredores menos habituados, posso dizer que há partes muito técnicas. Por exemplo a passagem pelos pedregulhos junto ao mar ou as descidas ingremes.
Resumindo: uma prova durinha considerando que o D+ anda pelos 2000 metros. Mas também simpática pela beleza de partes do percurso. Para mim seria uma prova para fazer de vez em quando para testar forma principalmente em subidas ingremes e curtas. O preço da prova é acessível e fica aqui tão perto de Lisboa o que evita estadia.

 
Sobre a performance dos laranjinhas foi um sucesso. Todos triunfamos. O Teodoro (M55) arrecadou o 3º lugar do escalão nos 50k, a Luísa Ralha arrecadou o 1º Lugar do escalão (F55), a Manuela Cruz voltou cheia de energia as provas e arrecadou o 1º lugar do escalão (F60). A Sandra Simões o Pedro Ribeiro eu terminamos o desafio só com as dores e o cansaço obrigatórios. O Esteves “teve” um problema num joelho, acho que foi isso, mas é um malandro difícil de vergar e à maneira dele terminou a prova de sorriso nos lábios.



Como diz o Rúben… Trinfamos!






Fiz umas filmagens durante a prova fica aqui o link: https://youtu.be/49F8OgKpPfw

Comentários

Teodoro Trindade disse…
Obrigado Rui pelo teu relato.
Tu foste o grande triunfador, depois da partida ninguém mais te conseguiu pôr a vista em cima. Estás fortissimo.

Efectivamente o CUT não é prova para quem sofre de vertigens. Aquilo é um sobe e desce constante pelas arribas que dá a impressão de ser só para facturar desnivel. A prova deixou-me de rastos, as últimas subidas foram muito sofridas.

Nem tudo foi mau. A paisagem é bonita, a organização atenciosa, muita simpatia, bom apoio, abastecimentos bem fornecidos, resumindo ambiente 5*. Vale a pena lá ir, mas têm de treinar antes senão ...

Eu não sei se voltarei em 2019. Veremos o calendário da próxima época.
Teodoro Trindade disse…
Registe-se que o Pedro Ribeiro foi o primeiro a levar o nosso novo logotipo aos trilhos.

Ninguém melhor do que ele o poderia fazer.