VII Trail Montes Saloios - 11/02/2018

Nesta 7ª edição do trail Montes Saloios, os RUN 4 FUN estiveram (muito bem) representados por: Sandra Simões, José Carlos Melo, Orlando Ferreira, Paulo Raposo, Pedro Ribeiro, Ruben Costa, Rui Faria e Teodoro Trindade no trail longo (29km) e pela Luísa Ralha no trail curto (16km) e que uma vez mais lhe valeu um 1º lugar no escalão.


A minha participação que surgiu pela ausência da Cláudia Pargana, e que apenas ficou confirmada durante a semana, tinha como objectivos: passar uma manhã em boa companhia, fazer um percurso mais longo e exigente que o habitual e também fazer uns quilómetros num terreno/ambiente que não estou habituado… lama e desnível.

O levantamento dos dorsais, a partida e a chegada ocorreram no pavilhão gimnodesportivo em Covas de Ferro. Para a prova longa havia 3 abastecimentos (9, 16 e 23km) que me pareceram ter alimentação/líquidos suficientes. Como eu tenho sempre alguns problemas com as misturas durante as provas, optei por comer apenas nougat.

Apesar do piso escorregadio não considerei as subidas nem as descidas de perigo excessivo, mas fico sempre na dúvida de como seria se a chuva estivesse presente com maior intensidade. Por outro lado, o percurso da caminhada era em parte comum com o trail e aí já me pareceu que era demasiado perigoso para os participantes; quer pela inexperiência nestes percursos, quer pelo calçado utilizado que não é o mais apropriado para a lama/declive.

O dia amanheceu cinzento e com uma chuvinha muito ligeira que também marcou presença durante algumas partes da prova.
O percurso, maioritariamente enlameado, teve algumas subidas acentuadas que no total deram aproximadamente 1500m D+. As marcações do percurso estavam por todo o lado e em algumas das subidas havia umas placas com uma “piadolas”.

Desde o início que optei por ir à boleia com o Teodoro calculando que tivéssemos uma passada semelhante e que seria uma excelente companhia durante toda a manhã.
Excepto nas subidas mais íngremes o percurso era bastante “corrível” e passava por locais bastante bonitos e com boas paisagens; isto também se devia ao facto de andarmos várias vezes por zonas altas, como por exemplo, nas eólicas.


Além de uma distracção numa das marcações do percurso... que aparentemente também aconteceu à Sandra no mesmo local, a corrida não teve grande história… como o terreno até estava bastante bom, os quilómetros foram sendo percorridos aproveitando como habitualmente para "descansar" nas subidas. O cruzamento dos percursos das várias provas pareceu-me que não foram bem acautelados porque alguns dos atletas do trail curto e posteriormente da caminhada causaram algum “condicionamento de trânsito” nos locais de single track ou subidas/descidas. Quem quer correr devia conseguir fazê-lo e quem vai “apenas” para um ritmo mais calmo ou caminhada também tem todo o direito de o fazer sem estar constantemente a parar e/ou desviar-se para os outros atletas passarem.
Apesar de todas estas situações, que certamente não são fáceis de gerir, mesmo havendo partidas com horas diferenciadas como foi o caso, considero que a prova foi muito bem organizada.

Quando chegámos tínhamos já alguns dos laranjas à espera e o João Ralha que nos “brindou” com um saboroso pastel de nata.

A organização oferecia no final uma garrafa de água, duas peças de fruta e uma sopa quentinha. Como recordação da prova ofereceu uma manta térmica.

Comentários

Teodoro Trindade disse…
Obrigado pelo relato Orlando. Depois de o ler, quem não foi lá, é como se tivesse ido.

A prova é durinha, o desnivel, o tipo de piso, o elevado número de participantes, etc, não facilitaram a nossa tarefa. Mas a tua companhia durante todo o percurso foi (como sempre) muito boa. Um passeio para ti e um aviso para treinar melhor para mim, pois Mérida está aí à porta.

Um abraço
Teodoro
João Ralha disse…
Belo relato Orlando. Obrigado pela descrição. Eu fiz a caminhada que passou em sítios muito bonitos, com belas paisagens. Na parte final eu ia a " trote" numa zona plana e comecei a ouvir companheiros que subiam e desciam a encosta à minha direita, fizerem aos gritos, savanas, Cabr.....,filhos da P...., O que queria dizer que a pista estava em difícil 🤣. A Luisinha no final queixou-se da dureza dos últimos km. E , ontem, coisa rara, estava com um "andar novo" com dificuldade em descer escadas 😊. Mas claro que para experientes ultras, deve ter sido como um "passeio" ehehehhhhbh😂. Runabraços