3º TREB (2018) Trail Run Escoteiros de Beja

A delegação RUN 4 FUN ao TREB/2018 - 21/01/2018


Desde a 1ª edição em 2016 que os RUN 4 FUN se associam ao TREB fazendo desta prova não só um evento desportivo como um salutar convívio. Este ano não foi excepção e a comitiva foi de qualidade: Ana Clara Melo, Ana Varejão, António Estrela, Francisco Afonso e Susana, José Carlos Melo, Paulo Raposo, Rúben Costa, Rui Faria, Sandra Simões, e Teodoro Trindade e Guida.

O TREB possui algumas características interessantes: é uma prova de trail solidária organizada pelo Grupo 234 (AEP - Associação dos Escoteiros de Portugal), possui 3 percursos de trail de diferentes distâncias com niveis de dificuldade e altimetria baixos (tem também a vertente de caminhada), e possui a singularidade de todos os anos aumentar em 1 km a distância da prova ultra. Este ano a prova de trail ultra teve 49 km.

O “nosso evento” começou sábado onde durante o jantar na Vidigueira no restaurante Cascata, em frente de uma generosa sopa de cação e de um tinto da Vidigueira, delineamos a “estrategia triunfadora” para o dia seguinte. Foi um começo magnífico.

Os planos fazem-se à mesa em boa companhia

No dia seguinte, os reforços (Ana Clara Melo, Ana Varejão, José Carlos Melo, Paulo Raposo e Ruben Costa) chegaram cedinho na furgoneta para Beja, muito a tempo do início das provas. As condições eram as ideais, tempo fresco, céu nublado que não ameaçava chuva, ausência de vento, …, e boa disposição.

Os passageiros da furgoneta

A partida dos cerca de 300 participantes foi conjunta para as 3 distâncias: Trail Curto (14 km), Trail Longo (24 km) e Trail Ultra Médio (49 km), sendo comuns os primeiros 7 km.

No Trail Curto participaram a Ana Varejão e o Paulo Raposo; no Trail Longo a Ana Clara Melo, o António Estrela, o Francisco Afonso e o José Carlos Melo; no Trail Ultra Médio o Rúben Costa, o Rui Faria, a Sandra Simões e o Teodoro Trindade (eu).

O aquecimento antes da partida

Após a partida rapidamente saimos de Beja e seguimos por caminhos de terra batida bem sinalizados, este ano com pouca lama e piso em boas condições. Os abastecimentos tinham tudo o que era preciso: laranja/banana/amendoins/marmelada/tomate/batata doce/batata frita/sal, havendo em abundância água/isotónico/coca-cola/laranjada.

A paisagem alentejana é fascinante, o relevo suave da planície, os tons verde intenso da vegetação rasteira que contrastam com os castanhos húmidos do solo, os caminhos que se recortam até ao horizonte, são uma constante que nos acompanha durante toda a prova. Mas este ano o percurso apresentou novidades. Possuiu uma maior altimetria (sem comprometer) e um conjunto de “single tracks” e “percursos virgens” muito interessantes. Na minha opinião o traçado da prova melhorou muito, ficando mais ao meu gosto.

No final, como é hábito, “arrasamos” em todas as distâncias. No Trail Curto o Paulo Raposo alcançou o 3º lugar no escalão. No Trail Longo o António Estrela também consegui o 3º lugar no escalão. No Trail Ultra Médio a grande triunfadora foi a Sandra Simões com um 2º lugar na geral feminina e o 1º lugar no seu escalão; e houve também o 2º lugar no escalão para este vosso escriba, e o 3º lugar no escalão para o “triunfador” Rúben Costa. Foi um fim de semana em que não faltaram os louros.

Um pódio de boa disposição

Mas o melhor estava ainda para vir. Organizado pelo António Estrela fomos até Vila de Frades à “Adega Justino Damas” onde o dono, o Sr. Justino Damas tinha preparado para nós um petisco/jantar num ambiente único. A adega possui talhas de barro muito antigas, destinadas à produção de vinho seguindo as técnicas desenvolvidas pelos romanos e preservadas na região.

Os RUN 4 FUN na Adega Justino Damas

Começamos pelo pão, queijos, enchidos e azeitonas, acompanhados por vinho da talha (tinto, mistura e branco) de produção própria. Seguimos para uns grelhados, entremeada e lombos, e chouriça assada. Avançamos depois para um divinal ensopado de borrego confecionado pela esposa do Sr. Justino (não o vou esquecer tão cedo). E depois de umas laranjas da horta, terminamos com o café preparado nas brasas em pote de barro, acompanhado de chocolates (obrigado Ana Clara).

Se não vos consegui suscitar inveja, é somente pela falta de eloquência do relato porque efectivamente um epílogo desta qualidade aliado ao companheirismo e boa disposição, é memorável.




Não vou terminar sem agradecer ao António Estrela por estas pérolas, ao Sr. Justino pela recepção tão amável, e a todos os FUNners pela vossa boa disposição.



No próximo ano repetimos.

Comentários

Rui Faria disse…
Teodoro...
A qualidade do relato está ao nivel desta aventura em Beja sem dúvida.
Estás com uma escrita "leve" :)

Triunfamos em grande estilo e com qualidade.
Obrigado malta e obrigado Estrela pela excelente organização.

Para o ano alinho na comitiva, mas provavelmente, baixo a distancia.

Rui
Gonçalo disse…
Obrigado pelo Relato Teodoro!

Fiquei cheio de pena de não ter ido! Este até é bom para as xanatas!

Abraço,
Gonçalo
Sandra Simões disse…
Obrigada Teodoro, é como diz o outro:” para mais tarde recordar🎼🎼”

Não gosto de repetir as mesmas provas, ano após ano, mas sendo com está malta....
anci disse…
Que conseguiste suscitar inveja, conseguiste!
João Ralha disse…
Obrigado teodoro, pleo belíssimo relato de mais uma grande participação da nosso equipa, a mais divertida do "pelotão".

Espero estar lá em 2019 e seria giro temos a nossa Ana Grosnik connosco :)

Runabraços
João Ralha disse…
Desculpa Teodoro, "T" de grande pessoa e grande atleta!!!
Ana Melo disse…
Obrigada Teodoro, pela excelente reportagem!
Pertencer a este grupo é um grande privilégio e uma grande alegria :-)