segunda-feira, 29 de julho de 2013

Mais uma UMA

A Ultra Maratona Atlântica Melides Troia é uma das minhas provas preferidas.
Acho um bom desafio de resistência física e psicológica, com uma componente estratégica.

Já me questionei porque é que gosto tanto desta prova. Não encontro propriamente um motivo racional. O percurso e a vista são monótonos, é só água, areia e arribas à nossa frente. Massacra os gémeos e a meteorologia pode-se tornar um pesadelo, temos de estar com cuidado para não gastar água em vão. A progressão é difícil, naquela areia solta num ritmo “ram-ram”, sem o pé firme, em que os passos que damos não são bem de corrida. Mas o coração tem algumas razões que a razão não percebe.

Como em todas as provas, também aqui existem variáveis que podem mudar de um dia para o outro e que definem as caraterísticas da prova. No caso da UMA deste ano, parecem-me terem sido estas as principais:
- A temperatura estava muito boa para a época. Se fosse um dia de muito calor, que é frequente nesta época, os 2l de água do camelback, podiam ser o principal motivo de preocupação.
- O vento moderado de Oeste, não dificultou tanto a progressão como com vento Norte que é mais frequente.
- A zona de rebentação esteve boa, tirando os 8 kms iniciais com a margem ondulada e com areia muito solta, o que tornou difícil o início da prova. Depois o piso foi melhorando e a 2ª metade da prova foi feita com piso cada vez mais fácil.

A minha UMA começou com o despertador às 3:30, para sem stress sair de casa às 5:00 e chegar a Setúbal às 5:40. Apanhar o Catamaran da Organização às 6:00 e o Autocarro em Troia às 6:30 que nos levou até à praia de Melides. Depois de levantar os dorsais e os abastecimentos, do briefing pré-prova, o tiro de partida foi dado pelo campeão Carlos Lopes às 9:00.
Comecei muito lento. Calhou bem devido á dificuldade inicial do piso, não cansando tanto os músculos no início.
Depois passei junto ao Miguel San-Payo e ao Gonçalo Melo. Eles deslocavam-se pela areia seca em terreno plano, enquanto eu ia junto à margem, em areia molhada e piso inclinado. O Gonçalo Melo acompanhou-me e estivemos perto um do outro até mais de metade da prova. Enquanto estivemos perto um do outro, o Gonçalo sentou-se várias vezes para tirar a areia dos pés, na minha última UMA passou-se o mesmo comigo.
Consoante a distância aumentava, o piso melhorava e eu conseguia motivação para correr cada vez com mais velocidade.
Ao km 28,5 na praia da Comporta, recebi as 2 garrafas de 1/2 litro de água, coloquei-as no camelback e continuei.
Contrariamente a 2011, este ano consegui correr praticamente todo o percurso. E fiz todo o percurso sem tirar areia dos pés. Habituei os pés a correr com areia, e as polainas este ano ajudaram-me. De vez em quando molhava os pés o que criava uma boa sensação de frescura.

Com algumas melhorias face às dificuldades que tive na única vez que terminei a UMA, consegui este ano fazer uma boa gestão do esforço.
Desta vez fiz um reverse split, ainda que mesmo nos últimos kms eu já estivesse em quebra.

Gostei muito de ver muitos companheiros R4F, o Jorge Esteves, Rosário Costa Rodrigues, Alfredo Falcão, Claudia Pargana, Rute Fernandes, Elsa Mota,Sandra Simões, bem como não R4F mas que, embora não tivessem participado na prova fizeram questão e simpatia em se deslocarem às praias do percurso e dar-nos um importante apoio que aumentou a motivação.
Um especial agradecimento a Jorge Esteves e Rosário Costa Rodrigues que me acompanharam e incentivaram nos kms finais.
Ao longo do percurso, passamos por muitos banhistas que nos apoiavam e incentivavam. No fim, a chegada em Troia, na praia do Bico das Lulas, depois daquele esforço é espetacular. Já perto da meta, vemos amigos e conhecidos das corridas cujo apoio nos dizem mais.

Muitos Parabéns ao estreante Gonçalo Fontes de Melo, bem como ao Miguel San-Payo e a todos os participantes.
Particularmente a muitos que se lançaram a 1ª vez nesta grande aventura.

Depois de cortar a meta, o descanso e um banho.
Desta vez consegui baixar das 6h.
Um belo dia de praia. Em 2014, conto estar lá outra vez!
RunAbraços.

segunda-feira, 22 de julho de 2013

Treino Lunar...hoje...20h30...uma experiência deliciosa!

Lua cheia...maré baixa...Praia da Costa da Caparica...meia hora em direcção à Fonte da Telha...meia hora para regressar....várias dezenas de atletas...cada um a seu ritmo....partem todos ao mesmo tempo....e chegam todos ao mesmo tempo....

Um repasto no final, em que cada um trás algo para partilhar.

Recomendo vivamente a todos os Runners for Fun!!!

Hoje, 20h30, defronte da DocaPesca na Costa da Caparica.

domingo, 21 de julho de 2013

Novos atletas Run 4 Fun

Continuamos a crescer, com a entrada de novos atletas no nosso clube. Depois da atualização até Fevereiro, publicamos agora uma nova atualização com os nomes, por ordem alfabética, da(o)s companheira(o)s que se juntaram a nós, até hoje.

Aqui está a lista:


As mulheres estão em maioria, 10 em 17, a comprovar a sua cada vez maior adesão a este desporto tão simples de praticar, mas tão agradável.


Para todos, os nosso votos que continuem a divertir-se a correr connosco, que vão fazendo uns PBT´s para a vossa coleção e que experimentem outros tipos de corrida, para além do alcatrão, como os trilhos. Nesta área, o Rui Faria já é um especialista.

Runabraços

sexta-feira, 19 de julho de 2013

Atleta em Destaque

Rita Felizol






Rita Felizol

44 anos, Bancária








Uma das nossas mais entusiastas e participativas atletas, particularmente em provas de trilhos, a foto bem o documenta. A Rita teve uma grande evolução a partir do momento em que passou a fazer treinos mais intensos, incluindo rampas. Hoje em dia em qualquer treino ou prova que inclua subidas, lá  vai ela, na frente, com grande à vontade.




1.       Há quanto tempo corres?
Vai fazer em Junho 2 anos, a minha estreia em provas e nos Run4Fun, foi nos 6Km das fogueirinhas de Peniche!

2.       Porque corres?
Corro porque gosto!! Gosto  da sensação de liberdade durante a corrida e do sentimento sempre que acabo de correr, por mais duro que o treino/prova seja!

3.       Quantas vezes treinas por semana?
Treino 2 a 3 vezes por semana, ou pelo menos tentoJ

4.       Qual a prova que mais gostas? E a que te marcou mais?
Fã de trilhos, por isso a prova que mais gostei foi o Trail de Serra D’arga e que foi só uma amostra pois não arranjei dorsal para os 21km e fui só aos 10Km . Foi também a que mais me marcou, não por termos ganho o 3º lugar por equipasJ  mas por ter visto o Carlos Sá, horas na meta a cumprimentar pessoalmente todos os atletas que iam chegando!

5.       Quais os teus próximos objectivos?
Fazer 42Km em trilhos! Não sei quando, mas é o próximo objectivoJ

6.       Já fizeste a Maratona? A tua opinião sobre a Maratona
Nunca fiz uma maratona, fiz a minha primeira meia no dia 28/4, mas irei fazer uma maratona concerteza!

7.       O que é para ti o Run 4 Fun? Que benefícios retiras de pertencer ao Clube?
Os Run4fun começaram por ser um grupo de corridas com o qual me identifiquei logo, pelo prazer de correr e pelo espírito fantástico de partilha e entreajuda. Agora já fazem parte da Família e são um grupo de pessoas fantásticas que se juntam para treinar, com os quais o divertimento é sempre garantido e no qual encontrei grandes amigos e amigas que Adoro!!

8.       Uma mensagem aos novos membros do Clube
Vão adorar pertencer a este grupo de "locos" que correm!! São pessoas fantásticas que nos ajudam a treinar e evoluir e onde a amizade e o divertimento são garantidos!

segunda-feira, 15 de julho de 2013

O meu 1º Trail - Sunset Trail São Pedro de Moel





“O que é que eu faço aqui?”

Este foi o pensamento que mais me veio à cabeça durante a minha estreia em Trail.
Se imaginassem o prazer que tive ao avistar a meta... eu que gosto tanto de praia já não podia ver mais areia à minha frente. Ainda por cima apanhei uma alergia qualquer que me deixou cheio de babas e a coçar durante dois dias.

Fui convidado para escrever qualquer coisa acerca da minha primeira participação num Trail e gostava de dizer qualquer coisa positiva, mas...

Foi duro... muito duro! 21 kms de puro sofrimento e só o espírito que os “Run 4 Fun” têm me transmitido é que fez com que conseguisse acabar este teste. Mas acho que foi um bom ensaio para o próximo objectivo que tenho que é o de participar (e acabar) na minha primeira maratona (Porto). Inscrição que foi a prenda “envenenada” dos meus filhos.
Fiz a prova quase toda “sozinho”, com a miragem do Magalhães à frente. O João Pedro ainda disse que me acompanhava mas não quis que ele prejudicasse a sua prestação e disse para se ir embora. Fui-me cruzando com uns “laranjas” que me davam sempre um pequeno incentivo. Tentei manter um ritmo cauteloso e sem exageros e fui olhando para os outros para perceber como melhor se corria (andava) em areia. Trago duas imagens que marcaram: a subida a seguir ao abastecimento dos 14 kms (se não fossem os pastéis de nata...) e a passagem na ribeira (que fiz de ténis na mão).
Julgo que o tempo que fiz (02:56:26) não foi mau, isto para quem só corre desde Agosto de 2012.

A parte boa destas manifestações é o convívio e espírito de ajuda e isso está lá. Desta prova o melhor foi mesmo o jantar na Tasquinha na Nazaré...

Sei que não sou muito bom na escrita, por isso não os maço mais.

Obrigado a todos os Run 4 Fun!

Sunset Trail São Pedro de Moel - o pesadelo na AREIA! :)

Já sabem que não sou grande fã de trilhos....

Já sabem que não gosto de lama....

Hoje ficam a saber que ODEIO areia!

Eu sei, eu sei, restam-me poucas opções para correr mas continuo fiel ao meu querido alcatrão, que nunca me deixa ficar mal!

 No passado sábado fiz o Sunset Trail, na bela localidade de São Pedro de Moel. Percurso de 22 km, prova organizada pelos OFFTEL Runners, classificada como Trail Curto/Muito Difícil.

Nota muito importante: não tenho treinado! Com os fins de semana todos ocupados e a vaga de calor das últimas semanas, não tem sido possível. Fui à Corrida das Fogueiras, já sem preparação, e desde então.... praticamente parada. E isto do treino faz diferença!

Estive quase a desistir de ir a São Pedro de Moel. À fraca forma física juntou-se um email da organização, 2 dias antes da prova, com uma série de informações negativas que muito me desmotivaram. Mas acabei por decidir aparecer, mais numa onda de "passeio à beira-mar", já que estava a passar o fim de semana  perto.

O tempo no sábado estava fresquinho e convidava a uma corrida! O grupo Run 4 Fun era pequeno mas animado e, após um pequeno atraso na partida, lá demos início à prova. Segui com um grupinho que já me é familiar, muito bem acompanhada pelo César e pelos 3 Ralhas, Luísa, João e Rui!






E começou logo mal! As primeiras centenas de metros foram pela praia de São Pedro, com maré cheia, pelo meio dos banhistas e toalhas! E ficámos logo com os pés cheios de AREIA!



Todos nós que corremos sabemos que, para além da preparação física, a cabeça conta muito! E confesso que, nesta prova, tudo falhou! Passados os primeiros 2 km já todos tínhamos uma noção clara do que nos esperava nos restantes 20: AREIA! O Rui Ralha abandonou a prova nesta altura, assim que viu uma bela estrada de alcatrão, rumou de volta a São Pedro de Moel! Eu estive tentada a acompanhá-lo mas segui, achei que podia sempre desistir mais tarde se não aguentasse mesmo.... Não sei se fiz bem.....

Para mim, foi tudo muito duro! Estava muito calor na parte inicial da prova, e o percurso consistia basicamente em enormes subidas e descidas, sempre em piso de AREIA! Parámos imensas vezes para tirar o diabo da AREIA dos ténis! De vez em quando aparecia um bocadinho de terreno de terra dura, mas a alegria nunca durava mais que 200 ou 300 metros, porque rapidamente voltávamos à AREIA......

Eu estava a ficar muito cansada..... As pernas doíam-me..... O meu ritmo foi diminuindo cada vez mais e a certa altura já quase que nem conseguia andar... Surgiu uma dor permanente na zona lombar... E estava farta de AREIA!!

O César, o João e a Luísa são companheiros impecáveis, foram abrandando para me acompanhar, sempre com palavras de ânimo!



Fomos juntos até ao km 14, onde havia um abastecimento muito bom, com pastéis de nata, chocolate e batatas fritas. Aí, pedi à Luísa e ao João para seguirem, pois eu estava mesmo de rastos, sem força anímica para fazer mais 100 metros sequer...... E lá fiquei com o César, que nunca me abandona! :), sentada num passeio a roer chocolate e a combinar com o pessoal da organização como seria o meu regresso apoteótico no carro vassoura!

A decisão de desistir não é fácil! Mas deve ser mais linear quando temos uma lesão, alguma dor forte ou um sinal fisiológico evidente de que estamos a colocar em risco a nossa saúde. Eu "só" estava muuiiiiitooo cansada..... E fartíssima de AREIA! E seriam mais 8 km daquilo! Achei mesmo que não iria aguentar..... Mas desistir também implicava esperar um bom bocado até que fosse transportada de volta..... Depois de muita indecisão (e muito chocolate e pastéis de nata!), decidi arriscar e prosseguir!

E logo passados 200 metros fomos brindados com uma subida mortal, de enorme inclinação e, claro, toda em AREIA! Com direito a foto no topo!



Não vos sei dizer como consegui acabar... Já nem sentia as pernas e ainda houve muitas subidas íngremes, passagens pelo leito de um ribeiro e muita, muita AREIA! Praticamente já não conseguia correr e fui quase sempre a andar num estado semi-vegetativo, impulsionada pela raiva contra a AREIA e a maldizer a minha decisão de ir fazer aquela prova, classificada como Muito Difícil, numa condição física praticamente deplorável! Ralhei com o César, ralhei com todos os voluntários da organização, e fui andando e ralhando até finalmente conseguir completar a prova, 22 km e muita AREIA depois!

Terminei num respeitável 297º lugar, num total de 306 atletas que completaram a prova! Após 3h43 minutos!

Valeu a pena? Desta vez não sei! :) Já passaram 24 horas e ainda estou muito dorida e cansada. Sofri muito. Talvez tivesse sido mais sensato desistir aos 14 km. Não fui feliz ontem em São Pedro de Moel! :) E, sobretudo, quero agora passar muitos dias sem ter que por os pés em AREIA!!!


sábado, 13 de julho de 2013

Atletas em destaque




Cristina Marques Caldeira e Nuno Sentieiro Marques






Idade:   43 e 45  anos
Profissão: Gerente Comercial e Director Geral Operacional












A Cristina e o Nuno são um bom exemplo de que a corrida pode ser uma excelente forma de partilha entre casais. Uma das emblemáticas "duplas" do nosso clube, sendo o Nuno, o "animador” do núcleo de Sintra e um dos mais entusiastas "organizadores" de treinos e eventos, nomeadamente os inesquecíveis encontros anuais  para o GP de Constância seguido do excelente almoço de confraternização, em Riachos. Resolveram fazer uma opção e avançar para outro projeto. Mas  estarão, sempre, na "história" do nosso clube e aqui fica a  "entrevista" aos dois, como  reconhecimento e agradecimento pela sua participação.



1.       Há quanto tempo corres?
Cris: Aproximadamente 3 anos
Nuno: Toda a vida fiz desporto, mas correr inserido no “pelotón de los locos”, aproximadamente 5 anos.
 
2.       Porque corres?
Cris: Inicialmente, por piada e para acompanhar o Nuno (fazia as caminhadas).
Hoje em dia por prazer e partilha de uma vida mais saudável a dois.
Nuno: Inicialmente, por questão de manutenção da actividade desportiva e preocupação de bem-estar.
Hoje em dia por prazer…muito prazer. Adoro a corrida em pelotão e o ambiente das provas.
Cris e Nuno: Correr em conjunto, quer no meio da Serra de Sintra, totalmente isolados do resto do mundo, ou inseridos num pelotão de milhares de “otros locos”, é uma forma de viver a vida que aprendemos a partilhar e desfrutar.
É fantástica esta experiência de “correr a 2”.

3.       Quantas vezes treinas por semana?
Cris e Nuno: Depende muito da nossa disponibilidade profissional. Temos semanas de conseguir fazer 3 a 4 treinos (além das provas) e temos outras em que nos ficamos por 1. Temos um mini ginásio em casa que nos ajuda a completar o treino (bicicleta, elíptica e musculação).  

4.       Qual a prova que mais gostas? E a que te marcou mais?
Cris: A que mais gosto é seguramente a Corrida das Fogueiras com a bela Sardinhada no final.
Nuno: Entre as que mais gosto e as que estou mais ligado emocionalmente, estão definitivamente a Corrida do Fim da Europa, a Meia Maratona de S. J. das Lampas, a Corrida das Fogueiras, o Trail do Almonda, a Meia Maratona de Nazaré, a Maratona de Lisboa e a S.S. da Amadora.
Cris e Nuno: A que mais nos marcou foi sem dúvida nenhuma a Maratona de Viena, a primeira que começámos e acabámos juntos.

5.       Quais os teus próximos objectivos?
Cris: Continuar a correr, conseguindo manter o prazer que já atingi, melhorando as minhas prestações e tentar “escapar” das lesões.
Nuno: Neste momento o meu principal objectivo é conseguir acompanhar a Cris na Sua evolução….já vai sendo difícil :).

6.       Já fizeste a Maratona? A tua opinião sobre a Maratona
Cris e Nuno: Sim. Uma prova única e especial. A possibilidade de percorrer os 42Kms a dois é fantástica. Com algum treino específico qualquer pessoa com uma saúde e uma condição física “normal” tem condições de fazer.

7.       O que é para ti o Run 4 Fun? Que benefícios retiras de pertencer ao Clube?
Cris e Nuno: RUN 4 FUN, na nossa opinião, muito mais que um clube de corridas, é um grupo de pessoas fantásticas com um espírito especial e único. Como todos sabem, estamos de saída para avançar com um projecto próprio e não temos dúvidas que as pessoas e o espírito irão connosco. 

8.       Uma mensagem aos novos membros do Clube
Cris e Nuno: Desfrutar, desfrutar e desfrutar. Só se vive uma vez e a actividade desportiva ajuda seguramente a que a vida seja “uma melhor vida”. Nos RUN 4 FUN irão com certeza encontrar a motivação para ter essa actividade desportiva com muito prazer.