domingo, 23 de junho de 2013

Maratona de Seattle

Cá acordam muito cedo. As duas corridas, meia maratona e maratona  tinham início marcado para as 7:00. Às 6:30 já estávamos no nosso "corral" nº 23, onde encontrámos o Jorge Ferreira que ia fazer a meia maratona. A Christina Ferreira, a mulher do Jorge  também fez a meia maratona, mas tinha ido à casa de banho e não a chegámos a ver. A Luísa tinha decidido fazer a maratona e eu ainda tinha alguma dúvidas sobre qual corrida faria, pois tenho treinado pouco e a forma é baixa.

A feira da Maratona, na 5ª feira
Antes da partida, um militar cantou "a capela" o hino dos EUA. Aqui é habitual, já ontem o cantaram (um tenor da ópera de Seattle) antes do jogo de beisebol entre os Seattle Mariners e  Oakland. A propósito, o beisebol não é um jogo muito excitante, pelo que saímos a meio. Contudo, o ambiente é muito agradável com famílias inteiras a jantarem antes do jogo, aquelas coisas calóricas como batatas fritas com "ketchup" ou "pretzel" com mostarda e sobretudo os famosos "hot dogs" com batatas fritas.





Safeco Field
E na 6ª feira, ainda visitámos e almoçámos no núcleo central da Microsoft em Redmond onde trabalham o Jorge Santos, a Ana Coutinho e o Carlos Brito. Tivemos nesta visita a companhia dos Jorges, Santos e  Ferreira (que também trabalhou vários anos na Microsoft) dos filhos do Jorge Santos (Beatriz e Rui) e do Carlos Brito

Na sede da Microsoft, com os seus fundadores :)
Voltando à corrida, o tempo esteve fantástico com o Sol a brilhar durante todo o tempo. Dada a partida, pontualmente às 7:00, os diversos "corral" iam chegando à linha de partida. Nós demorámos 40 minutos a lá chegar. A prova começou junto à "Space Needle", um dos ex-libris de Seattle, a torre construída para a Expo 62.

Seguimos pelo meio de Seattle num sobe e desce sucessivo, pelas suas colinas, felizmente não tão altas como as de Lisboa..... :). Chegados à milha 7, onde se separavam as duas corridas, lá segui para a maratona, pois o teste foi positivo. Passámos em diversos locais, um dos quais muito bonito, a zona sul do Lago Washington de onde podíamos admirar casas e barcos de alto nível e ao fundo o Monte Rainier, que com os seus mais de 4.000 metros de altitude está coberto de neve, apesar de ser Verão.

Passámos depois pela ponte flutuante, sim uma ponte de betão, flutuante, no Lago Washington,  inaugurada em 1940 quando era a maior estrutura flutuante existente no Mundo http://en.wikipedia.org/wiki/Lacey_V._Murrow_Memorial_Bridge. O Jorge Ferreira explicou-nos que  a razão principal terá sido pelo fato de o lago ser muito profundo para uma ponte suspensa, o que obrigou a esta inovadora solução de engenharia. O "chato" nesta zona é que passámos depois por umas curvas na estrada que têm uma inclinação muito elevada, o que leva em alguns pontos a parecer que estamos a correr numa praia muito inclinada, com o benefício de não haver areia :).

E lá continuámos pela ponte e por túneis diversos até voltarmos novamente a Seattle, onde passámos junto aos estádios, o Century Filed de futebol americano e o Safeco Field de beisebol (uma magnífica estrutura de metal), onde estivemos ontem, que estão ao lado um do outro. E subindo e descendo, com algumas partes a andar, lá seguimos até à linha da meta onde chegámos juntos, em 4:51, menos duas horas do que na anterior maratona de Portalegre..ehehehheheheheeeh....., só que essa.......... era de "trail". Ambos "batemos" o nosso recorde de duração de uma maratona, mas nesta fase, o que queremos é simplesmente desfrutar e ter "fun".

Os abastecimentos de água e "gatorade" eram frequentes. Houve dois abastecimentos com gel e nenhum sólido. Várias bandas de "rock" tocaram ao longo do percurso, algumas com bom nível. Não havia muito público, mas havia incitamentos, com vários grupos de "cheerleaders", muito jovens, ao longo do percurso. Em Espanha, os espectadores para incitar os corredores dizem "animo", "venga, venga" e "campiones", na Noruega dizem qualquer coisa como "Ehh, Ohhhh", repetidamente. Aqui dizem "you look good", mas sobretudo e este é o predominante: "good job". Não há dúvida que é um País de trabalho!!! ehehhehehheh........

Duas Harley Davidson de policias que estavam  cortar o trânsito, junto ao nosso hotel
Dorsais e medalhas
E assim concluímos mais uma maratona na nossa visita a Seattle, decidida a partir de um convite dos dois Jorges, Santos e Ferreira onde tivemos a oportunidade de conhecer as respetivas famílias, bem como as do Rafael Castro e do Carlos Brito. O mais relevante desta deslocação foi conhecer e conviver com os nossos simpáticos e hospitaleiros companheiros do núcleo Run 4 Fun de Seattle.

A todos eles, os nossos agradecimentos e esperamos revê-los, em breve, em Portugal.

Runabraços

3 comentários:

Jorge Esteves disse...

João,
Mais um excelente relato muito pormenorizado que permite ficar a conhecer bem a prova!

Devem estar a ter umas férias FUNtásticas! Aproveitem bem! E já agora parabéns por mais uma maratona, desta feita noutro continente!

Beijos e abraços!

Patrícia Calado disse...

Parabéns! Mais uma maratona nas pernocas e, pelos vistos, nas calmas e bem apreciada! Assim vale a pena, quase me convencem! Bjs e voltem, temos saudades!

Nuno Sentieiro Marques disse...

Obrigado João, relato fantástico.

Esta viagem a Seatle ficou muito bem documentada...muito obrigado pela partilha.

Parabéns aos dois...o mais importante é correr e partilhar a vida sob a bandeira da diversão.

Runabraços