terça-feira, 14 de maio de 2013

Ronda. Ou o efeito Bola de Neve!


Começo pelo início. Há uns anos, após muito sedentarismo, excesso de peso, gorduras. Decidi mudar de vida e reverter a situação: Fazer caminhadas. Depois começar a correr. Fazer uma Mini Maratona. A seguir, "inventar" tempo, reorganizar o dia a dia, buscar incentivos para continuar a correr. Correr 10 kms. E 15 kms. Treinar para a Meia Maratona. Variar os pisos: começar a correr trails. Depois treinar para a Maratona. Correr em areia, trails de pisos mais suaves, em pisos mais duros...
Descobrir que me sinto bem em atividade: treinos e treinos. lesões e recuperações. Provas e mais provas. Maratonas e mais Maratonas. Querer mais e mais. Treinar para aumentar as distâncias. Correr ultra trails. E um dia perguntaram-me: 101 kms de Ronda? Respondi: Why not?
Foi assim que cheguei a Ronda. Este hobby tem um efeito bola de neve. Não sei até onde levará, nem quais as consequências. Questiono-me se será melhor ficar-me por aqui.

O nosso 101 kms de Ronda, foi um Fim de semana extraordinário por Ronda e nos arredores, com uma excelente companhia. Pequena cidade espanhola na Andaluzia, antiga, com belíssimas paisagens, miradouros e monumentos.
Fomos levantar os dorsais e deu para perceber a enorme logística desta prova. Organizada pelos militares de "La Legión".
Entre várias importantes ações que os militares fazem de apoio à sociedade, esta é uma boa ideia que transmite uma imagem moderna das Forças Armadas. Parece-me que teve algumas falhas, entre as quais a entrega das mochilas em Setenil, e os problemas com o controlo de tempos, mas o saldo parece-me muito positivo.
Na manhã de sábado lá fomos para o estádio, e encontramos muitos companheiros que também iam participar nesta prova. Primeiro partiram as bicicletas e às 11h depois do discurso do General e dos gritos de viva a Espanha, ao Rei e à Legião, partiram os cerca de 3000 marchadores.


A minha prova correu-me bem. Talvez pudesse ter sido um pouco melhor. Otimismo a mais até cerca do km 30, que era mais fácil. Paguei bem no final em que já estava cansado e fartei-me de caminhar.
A 2ª parte do percurso, passa pelo abastecimento de Setenil com apoio de mochila (km 60), e vai até ao Quartel da Legião (km 80), tinha grandes declives mas um piso fácil. Bela paisagem pela Serrania de Ronda.
Passei em Setenil com 7h de prova, o que estava a achar muitíssimo bom, mas que vim a pagar mais á frente.
Nesta parte, deu para caminhar a recuperar nas subidas, e para correr suavemente na horizontal e aproveitar as descidas, entre as quais uma descida longa e acentuada e em cimento, que fazia já alguma mossa nos joelhos.
Entrei no Quartel da Legião (km 80), com 10h de prova, fiquei no Quartel 30 minutos. No Quartel, entrei ainda de dia, e saí já de noite, jantei, troquei de meias e coloquei o frontal.
Quanto à mochilas, usei os 2 apoios de mochila (em Setenil e no Quartel), mas fui carregado cheio de coisas que não usei (apenas usei a minha garrafa com sumo de limão e sal, troquei de meias para umas secas e coloquei o frontal). A logística e o perfil da prova, não justificavam que eu levasse tantas coisas. Se voltar a fazer esta, levo menos coisas.
E lá continuei. Este descanso no quartel deu-me um novo alento. Mas os 20 kms finais pareceu-me a parte do percurso mais difícil, o piso já não era liso, e eu já não dava mais. Uma dor no pé também não ajudou nada.
Uma grande subida, a que chamam o "Purgatório", que na sua parte final tem um single track fácil, e depois uma descida acentuada, passa pela Ermita de Montejaque, e continua em desces e sobes, passando por um caminho ligeiramente técnico. Fiz como ainda pude, sem nenhum alento. Estilo "Maria vai com as outras". Para mim, já tinha ultrapassado o meu maior tempo e distância, a única coisa que queria era chegar ao fim bem.
Os últimos 2,5 kms foram uma subida acentuada para Ronda. Quem nos acompanhou sabe bem o que estou a dizer. Quando entrei em Ronda, faltava cerca de 1 km, fiquei cheio de vontade de correr. A Joana e a Luisa, ainda me acompanharam, a Elsa, a Guida, o João e o Nuno a apoiarem.
Nesse momento, ao ver o Nuno Tempera estava convencido que a prova lhe tinha corrido bem, mas infelizmente aconteceu-lhe um azar e tomou a decisão sábia de parar no momento certo.
Deu para terminar com grande ânimo em Ronda na Alameda del Tajo, quase 15h depois, e soube muito bem.
Só falta aparecer na classificação... não sou o único, a Maria João e o Teodoro Trindade também não aparecem lá e também terminaram esta grande aventura. O Teodoro junto com o Jorge Esteves e o Miguel San-Payo.
Apesar de tudo, embora sem percursos técnicos e difíceis, não foi tão difícil quanto eu esperava. Agora relax!
A 1ª com 3 dígitos, vai ficar para sempre na minha memória.
101 kms de ótimas recordações e muito mais estórias de um excelente fim de semana. Agradecimentos para os acompanhantes que vieram connosco, particularmente os Ralhas, e que foram um apoio muito importante para quem participou nesta aventura. Agradecimento para os companheiros Carla André, Rui Pedro Julião, Heitor Gomes e Pedro Quina, que estavam alojados em Montejaque e após o fim da prova, me disponibilizaram um local sossegado para repousar umas horas.
Gostámos tanto que nem queríamos regressar de lá... Deu direito a um regresso muito animado. Um fim de semana imperdível. Já estou com saudades.

12 comentários:

João Ralha disse...

Zé Carlos,

Pela maneira como contas, até parece que não foi muito difícil.

E para quem está bem preparado física e psicologicamente até talvez não seja assim tão, tão, tão, difícil.

Mas sem dúvida que para fazer uma prova de três dígitos é preciso muita força para aguentar a dureza do percurso, as altas temperaturas e para conseguir resistir ao sofrimento que, certamente, existiu.

Parabéns por mais uma prova da tua grande capacidade.

Runabraços

PS

E agradecimentos pela tua simpática referência

K disse...

Belíssimo relato, JCM! Se tiver saúde, 2014, será finalmente o ano de Ronda! Grande abraço

Paulo Sousa

António disse...

Parabéns Zé Carlos, tal como tu no ano em que lá fui passei em Setenil com 7 horas...
Ronda é mesmo especial, quem sabe em 2014 não volto lá.
Abraço,
António Almeida

46 disse...

Caro Zé Carlos,

uma prova de 100Km é só para grandes atletas.

A tua evolução em tão pouco tempo é inspiradora.

O teu feito é extraordinário.

Parabéns.

AC

Paulo Martins disse...

Zé carlos depois de ler o teu brilhante relato, até pareçe que foi fácil mas para ti não há impossiveis, fiquei tão intusiasmado que para o Ano tambem quero fazer essa prova, espero ter a tua companhia, muitos parabéns, até Domingo em mais outra meia no douro..

José Carlos Melo disse...

Obrigado pelas simpáticas palavras.

Quanto à dificuldade, não digo que Ronda tenha sido fácil. Mas foi mais fácil do que eu levava na minha mente antes do início. O piso não é difícil e isso ajuda-me. Já fiz mais difíceis com menos de metade da distância. Os Abutres, o Trip Trail foram-me mais difíceis. E mesmo o Red Cross Trail, apenas 17 kms da mini da Freita ou Vale de Barris, tiveram um maior grau de dificuldade.

Aconselho esta prova a quem estiver disposto a ver como aguenta 100 kms sem a complicação dos percursos técnicos.

RunAbraços.

Luis Matos Ferreira disse...

Grande atleta!

Muitos parabéns Zé Carlos, e estendo os parabéns a todos os restantes bravos de Ronda, quer tenham ou não terminado a prova.

É sempre um marco completar uma prova de 100 Km, e Ronda é uma prova que dá gosto fazer, se mais não fora pelo menos pela organização da Legião.

É como tu dizes, o efeito bola de neve provavelmente não vai parar por aqui e daqui a nada vais-te ver a completar aventuras maiores.

Grande abraço

Fernando Andrade. disse...

Parabéns, Amigo Zé Carlos.
Essa é para poucos, pois é um enorme desafio. Admiro muito esse teu feito. Ler este relato deu-me uma vontade danada de lá ir. Tenho dúvidas é na capacidade do esqueleto. Parabéns mais uma vez. Grande Abraço.

Ndda disse...

Fantástico Post JCM.

Confima-se que És o mais imparável que conheço.

Grande glória a todos os participantes e admiração.

Inveja de não poder ter ido, mas já faltou mais.

Parabéns aos triplitas e aos apoiantes, dve ter sido memorável.

Obrigado pela partilha.

RunAbraço,
NDA

Nuno Sentieiro Marques disse...

Mais um fantástico relato Zé Carlos.

Além de conseguires fazer parecer fácil o que seguramente não é, consegues igualmente levar-nos na viagem com a tua escrita.

Foi seguramente mais uma extraodinária aventura.

Parabéns, és um atleta impar, por tudo o que já fizeste e pelo que seguramente ainda vais fazer.

Parabéns igualmente a todos os outros nossos companheiros laranja, este é um desafio de "loucos"...suadáveis mas LOUCOS...talvez um dia me junte ao grupo, a Cris já começou a falar nisso...medo, muito MEDO :-)

RunaBraços

Boleto disse...

Ronda ficará para sempre na memória por quem lá passou. Parabéns pelo relato, caro amigo Cientounero!

Teodoro Trindade disse...

Obrigado José Carlos,
Foi muito bom reviver o fim de semana atravás das tuas palavras.
Esta jornada vai certamente perdurar na nossa memória.
Apesar do que correu mal, tudo correu bem. Foi fantástico.
101 Abraços