segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

O que foi para mim a Ultra....


Gostaria de conseguir fazer um relato pormenorizado sobre os sítios por onde passei, mas desculpem, estive o tempo todo a olhar para o chão, pois sabia que com os meus dotes de trailer o mais certo era cair. Como não me lembro, deixo-vos o track para que possam perceber o que vou contar a seguir. Posso desde já avisar que foi duro.
Sem dúvida que esta é uma prova para se ir fazendo sem expectativas de tempo ou velocidade, e não é uma competição contra os outros, é um desafio à nossa capacidade de ultrapassar desafios.

A véspera foi passada em convívio no jantar; este grupo caracteriza-se por pessoas que apreciam a amizade e o espírito de partilha. Eramos mais de 20 R4F e tenho que agradecer à Luísa e ao João Ralha pela fantástica tarte e bolinhos com que nos brindaram à sobremesa. Apesar de eu estar desconfiado de que a Luísa tem percentagem nas vendas do “Pomar da Rosa” (ups, publicidade!), este gesto demonstra o espírito de amizade que existe entre nós. O Jorge Esteves também tinha uma surpresa, os novos rebuçados que a Lusiteca (ups, mais publicidade!) está a produzir. Por isso, como podem perceber, não precisávamos de ir ao Rui dos Leitões, podíamos perfeitamente ter ficado no parque de estacionamento a comer tarte, bolos e rebuçados. :)

No dia seguinte, com 2 graus, lá iniciámos a prova e, apesar da temperatura, passados 3km eu já estava a tirar a camisola e a correr só com a t-shirt. Arranquei com o Nuno Tempera, o Jorge Prazeres, o Gonçalo e o Jorge Paulo e fomos sempre a um belo ritmo, mas com muita diversão e conversa. O Miguel Serradas Duarte, como sempre, abandonou o grupo e o Jorge Esteves e o Teodoro, como homens muito experientes, ficaram mais para atrás. O ambiente nos trails, como já foi tantas vezes referido, é um ambiente de alegria, em que todos se motivam uns aos outros e existe um grande espírito de solidariedade. Durante a semana a Patrícia Calado tinha-me feito prometer duas coisas: uma era levar o telemóvel e a outra que tinha que ter sempre companhia de um R4F. Admito que ainda pensei em ignorar estes conselhos, mas sem dúvida que ela sabe o que diz e ainda bem.

Segui os seus conselhos, fui sempre com os R4F e telefonei-lhe algumas vezes no caminho. Como íamos os 5 sempre na conversa, os primeiros 10 km passaram muito rápido e apesar de nos termos enganado e termos feito parte do percurso da caminhada (sim era o Nuno que andava a imitar uma sirene e com isso abrimos caminho no meio dos caminheiros), o desvio não foi significativo (cerca de 300metros) e voltamos ao caminho correcto. No abastecimento encontrámos a Manuela Cruz e a Maria Antunes, com a alegria que lhes é característica, e tirámos fotos e trocamos umas palavras. Seguimos e, após 200 metros, encontrámos a Elsa Mota (como estava lesionada não pode participar) que nos tirou fotografias e apontou para uma serra que iria ser o nosso próximo desafio. Já referi que foi uma prova dura?

Depois dessa serra o Jorge Prazeres, que estava com mais pressa, continuou e fiquei com o Gonçalo, o Nuno e o Jorge Paulo. Os primeiros 21km foram feitos em 2h25, o que levava a pensar que talvez pudesse ser uma prova rápida… Telefonei para a Patrícia com esperança de ainda poder almoçar com eles. :) Errado, por pouco nem jantava.

Um pouco mais à frente fomos ultrapassados pelo Teodoro que ia numa velocidade estonteante, nunca mais o vi… O Nuno Tempera, com a ajuda dos seus bastões e graças aos seus treinos na Serra da Estrela, também se afastou de nós. O Gonçalo, fruto do seu treino no dia anterior, teve que reduzir o ritmo e eu que sabia que se ligasse à Pat e dissesse que não estava com nenhum R4F poderia ter de voltar para Lisboa a pé, pelo que decidi colar-me ao Jorge Paulo, que foi o meu companheiro no resto da viagem. Os restantes kms foram com muitos desníveis. Só para terem uma ideia, passámos ao km 30 com 4h03 e perto do km 36 apareceu o Jorge Esteves com o Gonçalo. Numa demonstração do verdadeiro espirito R4F, o Jorge, ao aperceber-se de que o Gonçalo estava com cãibras fortíssimas, ficou a ajudá-lo e nunca mais o largou dizendo ”aqui ninguém fica para trás”; e não ficou mesmo. Quando nos apanharam ainda começámos a correr com eles, mas o ritmo deles estava forte e  perto do km 38 eles seguiram e nós ficámos para trás. Foi pena pois foi nesse km que nos perdemos e falhámos uma das fitas. Voltámos ao percurso correcto e com 40km tínhamos já quase 6h de prova.
Até ao fim foi gerir e foi com muita alegria que tínhamos a Pat nos últimos 500 metros à nossa espera para nos levar até à Meta incentivando e pondo as pessoas à nossa passagem a aplaudir, e aí com o espírito que nos caracteriza, estavam mais de 20 R4F que já tinham terminado a sua prova há muitas horas, mas que ficaram ali só para nos receber. Foi muito bonito e mesmo com uma viagem de 200km de regresso, quiseram ficar ali à nossa espera. Parafraseando o Jorge Esteves : “ aqui ninguém fica para trás”.

Com 6h45 terminei os 46.3 km, cansado mas feliz por ter ultrapassado este desafio. Uma coisa que quero realçar são os abastecimentos, com queijo, mel, pão, cerveja, bebidas isotónicas e água. A alegria das pessoas que nos servem é contagiante e num dos abastecimentos até havia bailarico. Peço desculpa por não ter dançado mas nessa altura só tinha o Jorge Paulo comigo e acho que ele não estava para aí virado. Quero agradecer ao Jorge Paulo, que é um fantástico companheiro de corrida, a excelente companhia e dizer-lhe que está numa bela forma. Nunca parece cansado e nas subidas põe sempre o turbo.

Já referi que foi uma prova dura? Sim foi, mas quem sabe se um dia não a repito?

RunAbraço

11 comentários:

João Ralha disse...

César,

Avé, imperador de Conímbriga.

Muito detalhado e bem humorado relato de uma prova que, só quem lá esteve, poderá avaliar a dificuldade.

Mas com boa disposição e companheirismo, as grandes dificuldades até parecem menos difíceis.

Parabéns César, bem vindo ao clube exclusivo (não muito) dos "ultras", onde esperamos que muitos mais Run 4 Fun se venham, em breve, a juntar.

Runabraços

46 disse...

Parabéns Cesar.

Grande desempenho e mais uma prova de grande capacidade.

Abraço,

AC

José Magalhães disse...

Grande empeno. Vocês são valentes. Não me imagino a "circular" durante 6H00.
Muitos parabens a todos.

Jorge Branco disse...

Parabéns pela excelente jornada!

Jorge Paulo disse...

Parabéns César Moreira, pela descrição do que foi fazer uma ULTRA.

Agradeço-te a companhia do percurso, e a partilha de Empeno, contigo tudo foi mais fácil, sozinho não sei se conseguia chegar ao fim.

Só faltou o Jorge Cancela, que o ano passado, nesta mesma prova nos deu o prazer da sua companhia.

Agradeço igualmente, como o César Moreira, a recepção de que fomos presenteados por toda a família RUN 4 FUN, só pela calorosa recepção, valeu bem empeno.

Runabraços

Ndda disse...

Parabéns Ultra Cesar...

Grande post e enorme prova.

Desta nunca te esquecerás.

Correr, caminhar, escalar e não desistir durante 6h e 45m não é para Todos.

Fantásticos exemplos de determinação e solidariedade relatados.

Todos estão de Parabéns Os que a fizeram mas também Os ficam até ao final, para uma receção que nenhum outro clube tem.

RunAbraço,
NDA

Patrícia Calado disse...

Parabéns!

Estou muito orgulhosa!

Repete as vezes que quiseres, que eu não te acompanho mas estarei sempre à tua espera na meta!

Um grande beijinho!

Orlando Ferreira disse...

Obrigado pela descrição César.
Cada vez mais se verifica que uma parte considerável das descrições são relativas ao convívio e aos momentos de entre-ajuda não só antes e depois das provas mas também durante as mesmas.

E já agora, ainda bem que existem outras provas, digamos gastronómicas, pelo meio...é que estar quase 7h no meio do mato não é para qualquer um.
Parabéns ULTA.

João Carvalho disse...

Isso é que é falar! consegui sentir-me lá!

Encontrei o post por acaso e como ando inclinado para o trail running ainda ficou maior o "bichinho"!

Cumprimentos

João Carvalho

Nuno Sentieiro Marques disse...

Grande "filhote".
Parabéns pela prova, pela capacidade de diversão em tão dura tarefa e pelo fantástico relato.

Gostei muita da leitura.
Venham mais...ultras e textos destes :-).

Ruanabraços

Teodoro Trindade disse...

Amigo César,

A tua prova foi excelente num percurso que tinha de tudo menos de fácil. Mas dominaste o monstro e da próxima vez será ainda melhor.
(Sabes que Almourol é muito giro e é bem mais do teu tipo ... fast).

Gostei muito do relato, está uma maravilha. Eu voltei a reviver aquele fim de semana. Obrigado. (desculpo a imprecisão no que diz respeito a "estonteantes velocidades").

Runabraço,
TT