domingo, 24 de fevereiro de 2013

IV Trail de Conímbriga/Terras de Sicó!


Não gosto de trilhos.
Não gosto de lama, mesmo nada. Não gosto de pedras soltas, nem de areia. Não gosto de single tracks. Não gosto dos percursos escarpados, piores que caminhos de cabras. Não gosto de escorregar, cair, pisar pedras, torcer os pés, ter a roupa rasgada pelas silvas e as unhas cheias de terra.
Mas gosto muito do ESPÍRITO dos trilhos! Gosto da envolvente lúdica que engloba quase sempre a ida na véspera, o jantar de convívio pré-prova, a espera por todos os colegas na meta e o almoço tardio com o grupo todo reunido. Gosto do facto de os trilhos serem geralmente provas com um cariz menos competitivo, onde se verifica um espírito de entre-ajuda e um companheirismo extraordinários. Gosto do ambiente dos trilhos, em que todos conversam e riem. E gosto dos abastecimentos dos trilhos, verdadeiros oásis, com comida e bebida regionais, servida por gentes da terra, sempre com uma palavra amiga!
E como não posso usufruir do “espírito dos trilhos” sem “dar o corpo ao manifesto”, de vez em quando lá me inscrevo numa destas provas, quando me parece que a componente técnica do percurso é acessível, quando a distância é aceitável (menos que 25 km) e quando o grupo de amigos que participa me deixa a certeza de que serão momentos bem passados!
Por tudo isto, fiz hoje o IV Trail de Conímbriga/Terras de Sicó!
Fomos na véspera, como é da praxe! Jantar de sábado muito animado no Rui dos Leitões, com um grupo de mais de 20 convivas, quase todos participantes na prova, nos seus diferentes percursos: caminhada (18 km), trail (22 km) e ultra-trail (45 km). Hoje de manhã o dia acordou frio, quando entrámos no carro, rumo a Condeixa, o termómetro marcava 1 grau positivo! Mas estava um sol lindo e o azul do céu convidava a um passeio ao ar livre!
Todos comparecemos no ponto de encontro junto da meta, para as graçolas e fotografias da praxe! Um pouco depois das 9h30, foi dada a partida do ultra-trail, que contou com a participação dos veteranos Jorge Esteves, Nuno Tempera, Gonçalo Fontes de Melo, Teodoro Trindade, Jorge Paulo e Miguel Serradas Duarte, e dos estreantes em ultras, César Moreira e Jorge Prazeres! Dez minutos mais tarde, a partida do trail, com a participação dos fantásticos João Ralha, Luísa Ralha, Rui Ralha, Margarida Gonçalves, Rita Felizol, Rute Fernandes, Sandra Simões, José Magalhães, Paulo Raposo, Raúl Matos, Fernandinha Costa, António Coutinho Rebelo, Maria João Coutinho Rebelo, Rúben Costa, Carla Matos, Pedro Pinto e eu! Contámos ainda na caminhada com a magnífica participação da Maria Antunes e da Manuela Cruz. No geral, fomos a 4ª equipa com mais participantes na prova!
Lá seguimos, cada um com o seu objectivo, certamente todos a contar passar bons momentos de diversão! Pela minha parte, contava com uma prova “fácil”, com muitos estradões, e ansiava pelos afamados abastecimentos, com produtos típicos da região! Fiz toda a prova na excelente companhia da família Ralha, João, Luísa e Rui! Grandes entendidos em trail, sempre com bons conselhos e uma palavra de incentivo nos momentos mais difíceis! A Margarida Gonçalves juntou-se a nós na parte final da prova, e seguimos em bloco, num quinteto maravilha, até à meta! O percurso é lindíssimo, com passagem em Conímbriga e vistas lindas sobre toda a região serrana. Mas não foi uma prova fácil, pelo menos para os meus padrões. As subidas foram muitas, longas e de inclinação acentuada. Não faltaram partes mais técnicas, com as pedrinhas a rolar debaixo dos pés, cordas para auxiliar a passagem de zonas com desnível e lama, e todos esses mimos tão apreciados pelos amantes desta modalidade! Claro que para o João e para a Luísa isto foi “um passeio no parque” (o João então estava muito vitaminado, sempre aos pulinhos e a “abrir” nas descidas, não sei se dos ténis novos, se da dieta Paleo!), mas para mim houve momentos de bastante sofrimento físico, já a maldizer a decisão de fazer mais um trilho e com as habituais promessas de NUNCA MAIS repetir tal coisa!
Justiça seja feita à qualidade (e quantidade) dos abastecimentos!! Nunca vi nada assim! Queijo amanteigado, queijo fresco, requeijão, mel, tostas, pão de milho, fruta, água, bebidas isotónicas, cerveja, vinho branco e tinto! Era o incentivo perfeito para realizar a prova, correr de abastecimento em abastecimento, nas pequenas aldeias da região! Na aldeia de Casimiro a animação era inigualável, com banda e bailarico, tudo em honra dos atletas da prova! Dancámos, comemos e bebemos! Claro que esta nunca seria uma prova rápida! :)
Não sendo o trail mais longo que já fiz (Óbidos 2012 foram 27 km), foi certamente o trail com mais percursos técnicos e subidas em que alguma vez participei. Fácil e acessível para quem gosta disto, para mim foi desafiante! E espero ter entrado no exclusivo mundo dos “trailistas”, após ter quebrado uma barreira marcante nestas lides: o primeiro xixi no meio do mato!! :)
Cruzámos a meta após 3h45m, cansados (uns mais que outros!) mas bem dispostos! Com excepção da Sandra Simões, que se sentiu indisposta e (após corajosa insistência!) se viu obrigada a desistir, todos terminaram as suas distâncias com sucesso!
Depois do banho (quase frio!) e do revigorante almoço, foi altura de voltar para a linha da meta para apoiar a chegada dos nossos “ultras”! Um a um (ou dois a dois), lá foram chegando, cansados mas felizes pelo objectivo alcançado! Miguel, Jorge(s), Teodoro, Nuno e Gonçalo, vocês são uns valentes! Um beijinho especial ao César, que também não é particularmente “amigo” dos trilhos, e se aguentou estoicamente na estreia em > 42 km! Para mim, a chegada dos “nossos” é sempre o momento alto de todas as provas!
Foi bom? Foi! Mais trilhos? Talvez…. O que se segue? PROVAS DE ESTRADA!!!! :)

8 comentários:

José Carlos Melo disse...

Muito bem Patrícia!! Com esta emoção que transparece, estou mesmo a ver que mais cedo do que esperas, ainda te arriscas a ficar uma trailer "militante".

Gostei muito da tua descrição deste grande fim de semana que é apanágio do Sicó.

João Ralha disse...

Patrícia,

Excelente descrição de um agradável fim de semana, em muito boa companhia.

A Patrícia, para além de escrever muito bem e ser atleta consumada é uma grande animadora de todas as provas em que entra.

No final fez várias "piscinas" para ir "buscar" vários ultras a quem acompanhou até à meta,sempre com grande alegria.

Ela estava era preparada para a ultra tal era a "frescura" que demonstrou no final.

Parabéns a todos os participantes com mais uma demonstração de grande pundonor, do Gonçalo Melo que acometido por caimbras, foi até ao fim da ultra sempre com um sorriso.

Até porque no final, havia a "isotónica" de cevada, branca e preta, bem "fresquinha" à nossa espera.

Parabéns à organização do "Mundo da Corrida", como de costume, a alto nível.

Runabraços

Ines Gil Forte disse...

Boa! Gostei...! Mas invejei mesmo a parte do leitão!
Para a próxima faço encomenda!

46 disse...

Pois é Patrícia. Tu não gostas de trilhos (já o dizias no Almonda), também dizes que não gostas de subir.

Mas a verdade é os teus atos e resultados falam muito mais que a tua conversa. E ainda bem.

Tens sempre uma atitude positiva e uma grande capacidade atlética.

Brilhante relato.

Parabéns.

AC

Orlando Ferreira disse...

Obrigado pelo relato tão pormenorizado... até nas paragens técnicas...
Quem se aventura nos trails já sabe o que lhe espera... não saber o que lhe espera a seguir...
De resto, é só mesmo ir seguindo os caminhos e neste caso parece que dava para seguir pelo cheiro.
Com tamanha oferta nos abastecimentos o difícil deve ter sido voltar a pôr os pés ao caminho...

Nuno Sentieiro Marques disse...

Obrigado pela partilha Patricia.

Belo texto, que define bem o espirito vivido e a fantástica e divertida experiencia.

Mas vamos seguramente continuar a cruzar-mo-nos no alcatrão :-).

Runabraços

Teodoro Trindade disse...

É um relato/testemunho delicioso, muito obrigado Patrícia.

Na verdade não temos todos de gostar de tudo nem do mesmo, e tu estás muito bem assim. Alcatrão ou trilhos é tudo o mesmo, o que faz realmente a diferença é o abraço que eu ganhei no final.

Um grande beijinho.
TT

Fernando disse...

Patrícia Obrigada pela teu relato.

Como organizador e Condeixense fico muito sensibilizado pelas tuas palavras. Desculpem a dureza do percurso, mas tentámos fazer o nosso melhor e levar-vos a sítios especiais do nosso concelho de Condeixa-a-Nova, desde as famosas Ruínas de Conímbriga, ao Aqueduto de Alcabideque feito pelos Romanos para abastecer a Cidade Romana, às Buracas do Casmilo, ao Santuário de Nossa Senhora do Círculo. Enfim procurámos vos levar a uma visita ao melhor do nosso Concelho.
Agradeço a toda a vossa fantástica Equipa dos Run4Fun a vossa participação.
Bem hajam