sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Aniversários em Dezembro

Temos neste mês do Natal e final do ano os seguintes aniversariantes,



Para todos eles, os nossos muitos Parabéns!!!
(como sempre o respectivo bolo)

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Quase 250.000 visualizações

Apenas por curiosidade deixo aqui alguns números interessantes:

- Temos cerca de 247.391 visualizações;

- O post mais visto foi "Dor na sola dos Pés" com 1076 visualizações ler o post ;

- A página mais visitada é "Clube Run 4 Fun" com 40183 visualizações ler a página ;

- A forma de chegar até ao blog tem sido via google com 48921 acessos;

- Temos registos de visitas dos seguintes países

Estados Unidos
11507
Brasil
11279
Alemanha
3122
Reino Unido
1718
Rússia
1607
Espanha
1261
França
753
Eslovênia
744
Holanda
293


- O Sistema Operativo que é mais usado para aceder ao nosso blog é

Imagem que apresenta as plataformas mais populares

Sendo apenas dados estatísticos, e porque o Run 4 Fun são as pessoas que fazem parte e não números, MUITOS PARABÉNS A TODOS!!!!!


segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Mini Trail Amigos da Montanha - Barcelos (25k)


Amigos da Montanha :).

     Provando mais uma vez que a laranja está sumarenta e cheia de saúde, tivemos mais uma vez run4funs de norte a sul do país a correr (quando é que metemos alguém a fazer trilhos ou meias na lua?). Em Barcelos, os Amigos da Montanha organizaram um excelente evento com provas de trilhos de 60k e 25k, e uma caminhada. Vale a pena visitar a cidade, onde somos muito bem recebidos.

     Com o João Guerra, brilhante aquisição laranja e culpado pelo meu vício dos trilhos (comecei na Serra d'Arga à mais de um ano pela mão dele), combinei um fim de semana em família. Desta forma poupávamos a mesma a mais uma ausência, e quebrávamos a rotina. Escolhemos os 25k por ser uma prova mais rápida de fazer e dar menos "seca"a mulheres e filhos, e não porque os 60k nos assustassem, longe disso!

     O fim de semana teve tanto de desportivo como de gastronómico. A viagem para cima foi bastante chata, com muita chuva até depois de Coimbra. Como os Guerra iam ter a Barcelos, decidimos parar no Porto na Cufra, onde à terceira vez consegui finalmente matar as saudades da fantástica francesinha (fico a dever uma visita à Regaleira). Já em Barcelos e depois de instalados no muito conveniente e simpático hotel Bagoeira, passeámos e jantámos cedo na Muralha, onde apareceram depois dezenas de trailistas muito conhecidos (Vitorino Coragem, Analice,...). Começa a ser mesmo uma família que gosta de se reencontrar. Na Muralha destacou-se o Galo, que ao contrário da lenda de Barcelos não se levantou e cantou. Pelo contrário, enorme e muito tenro, recheado com vitela picada e castanhas e acompanhado por legumes e batatas deliciosas, deu uma trabalheira do caraças a mim e ao João, e devia ter sido dividido por mais pessoas (uma dose, coisa à norte...). Depois da prova no domingo almoçámos no restaurante do hotel e voltámos a ser muito bem tratados. Bacalhau óptimo mas tudo o que for carne de vitela destaca-se. Chamarem uma dose aquilo é que é no mínimo irónico, ou então eu sou meio ou um quarto de homem.

     E também corremos, é verdade. Já que tínhamos feito a viagem e enchido o bandulho daquela maneira na véspera. Não preparei da melhor forma esta prova, a Serra d'Arga deitou-me abaixo e demorei a voltar aos treinos regulares. Para piorar esta semana foi complicada profissionalmente e só treinei duas vezes. Não que tivesse que fazer muito mais, mas não estava confiante. O ambiente na partida era muito bom, e apesar de ter algum receio de afunilamentos por causa dos mais de 600 malucos que corriam à minha volta, a coisa arrancou muito bem. Os splits iniciais são muito rápidos, mas decidi arriscar um bocado e ver como a coisa corria. Tivemos sempre um percurso bonito e variado, zonas densas de floresta fantásticas, mas os 15k iniciais eram muito massacrantes. Subimos muito, de forma que me pareceu quase contínua, e o terreno esteve quase sempre muito pesado. Tive muitas vezes a sensação de estar numa aula de musculação (coisa que nunca fiz nem sei se existe mas espero que percebam a ideia). Mas estive quase sempre confiante a subir, e bem nas descidas onde tirei verdadeiramente a barriga de misérias. Barcelos permite pequenas loucuras, tanto em estradões abertos como em single tracks em zonas densas de vegetação e árvores. Em plano fui-me socorrendo da prática habitual das lebres, e fui rebocado muitas vezes pela "pantera cor de rosa". Não sei o nome dela mas agradeci-lhe no fim, sem se aperceber levou-me algumas vezes às costas. No início da prova não sabia bem o que esperar, mas o João achou que conseguia terminar abaixo das 3h. Pareceu-me optimista mas a verdade é que demorei 2h48 a fazer os 25km, o que me deixou radiante. Mais importante foi perceber que me começo a conhecer melhor e a não ser surpreendido pelas minhas manhas. Insistir, forçar, procurar dar um pouco mais, e mentalmente encontrar reservas que por vezes as pernas acham que já não têm. Mas que estão lá. O João Guerra fez 2h e pouco mais de meia, mas ele pertence a outro campeonato. Talvez seja do regime alimentar, e do atum ao pequeno almoço. Não sei. O que sei é que só lhe vi as solas dos ténis nos primeiros 10m de prova... :).

     Para terminar, a sorte de poder presenciar ao vivo e a cores a chegada dos dois primeiros da prova dos 60k. Momento emocionante e com uma história belíssima por trás, que aconselho a lerem aqui. Nada que me surpreenda, nem quem se apaixonou pelo trail running, mas que não deixa de ser fantástico e próprio de uma grande modalidade e de grandes Homens.

     Para os que quiserem espreitar a minha prova - runkeeper. Máquina!

     Até breve, com sorte por trilhos por aí (embora deva ser mesmo na maratona de Lisboa, vamos lá ver como me corre a estreia na distância mítica),

     Miguel Serradas Duarte.

Empeno.

P. S. - o lixo que continua a aparecer na serra... argh. A organização não merecia, e fez tudo para o evitar (5 estrelas para os Amigos da Montanha).

domingo, 25 de novembro de 2012

VII GP Arrábida - Mais "Run" com muito "Fun"

Hoje, quando saímos de Lisboa rumo a Setúbal, o tempo não prometia, chovia, contudo a nossa experiência dizia-nos que provavelmente não choveria quando do início da prova.


Ainda faltam na foto: António Cruz, Carlos Imperadeiro, Hilário, Rúben , Filipa, Bernardo...pelo menos
Verdade!! Não choveu no início da prova, só começou a chover a meio, já na "Cobra" com destino a Palmela. E choveu bastante, daí até quase ao fim da prova. Tive pena dos nossos amigos das Lebres do Sado que estavam à nossa espera, estoicamente, todos molhados, ao km 8 com o fantástico "Moscatel de Setúbal". Foi revigorante o "shot" que o Mayer Raposo nos ofereceu e daí até ao final foi sempre a "abrir". Pudera, era sempre a descer!!!

Mais uma bela prova em que as "parcerias" para apoio, foram muitas. Desculpem-me os mais rápidos mas só pude apreciar as que vi, no meu ritmo calmo. Sei que o António Cruz e o Paulo Martins foram algum tempo juntos, o meu parceiro foi o Luís Boleto um simpático companheiro que puxou por mim e me esperou quando eu já estava um bocado por baixo. A Luísa veio com o Cláudio Monteiro, a Carla Matos, como de costume, a "puxar" pelo Pedro Pinto, o Jorge Esteves com a sua simpática filha, a Patrícia, a Margarida com a  Paula Carvalho, a Filipa com o filho Bernardo mais o Rui Sameiro. Esta "tripla" teve um dia "engraçado" pois perderam-se em Setúbal para chegarem à partida e depois perderam-se durante a corrida, mas chegaram, em grande forma, ao fim. Para estreia do Bernardo, em trilhos, não está nada mal. Finalmente, a Rita Felizol mais a Sandra Simões, a fazer a  sua 1ª corrida "oficial", na nossa companhia. E porventura ainda outras "parcerias" das quais não me apercebi.

Um fato curioso: quando começámos a subir a  "Cobra" vi o Domingos Farinho a descer, em sentido contrário, de cara fechada. Pensei que tivesse alguma lesão e estivesse a regressar. No final, vi-o chegar tentei perceber o que se passara. Apenas uma  daquelas situações que por vezes nos acontece, uma vontade enorme de ir à casa de banho e ...........nenhuma por perto. Vá lá que encontrou um restaurante que estava a abrir e mostrou o dorsal para o dono perceber que ele estava na corrida...ehehhhehe....e resolveu o problema.

Tornou-se  um hábito os nossos companheiros trazerem os filhos, mas agora temos uma inovação, a Paula Carvalho trouxe, pela 2ª vez a uma corrida , o pai, José Carvalho, que hoje participou na caminhada. Talvez numa próxima, já participe na corrida. Bem-vindo!! Não faltou um bolo , pequenino....para não aumentar calorias, preparado pela Rita Felizol e os nossos parabéns à Paula Carvalho pelo seu recente aniversário.


Depois de um retemperador banho na Escola Preparatória do Bocage, o momento mais aguardado do dia: o almoço no "Baluarte do Sado" um simpático restaurante, em Setúbal, onde já fomos algumas vezes. A excelente organização esteve  a cabo da Rita Felizol e o almoço correu bem, com qualidade a um preço razoável e com a nossa habitual boa disposição!! Gostei muito do choco frito, provei um pouco de robalo grelhado e fiquei com "água na boca" ao ver as sopas de legumes e  de peixe que alguns companheiros estavam a saborear.

O Jorge Esteves trouxe uma caixa das famosas pastilhas "Gorila" que ofereceu aos convivas, com grande sucesso. Com recurso  às pastilhas, (ehehehhehehehh....)  o César  recrutou mais em elemento para os Run 4 Fun, a Maria João, uma jovem sénior, amiga do Luís Boleto, que já vai para a sua 6ª maratona..........:). Um bom exemplo.....

E acabámos o almoço em grande confraternização, com cada um a regressar às suas casas, nós na companhia do simpático casal Patrícia e César para recuperar.........no resto do Domingo.

O grupo de almoçaristas
No próximo Domingo teremos um treino que promete: o dos Chafarizes organizado pelo dinâmico José Bagina, A não perder .......


PS

Faltam as fotos que a Manuela Cruz, o Paulo Fernandes (ambos, desta vez, em apoio da organização da prova) e  o José Carlos Melo, tiraram como de costume em alta qualidade.



TREINO DOS ELEVADORES


Boa tarde a todos,

Mais uma vez irá se realizar o famoso Treino dos Elevadores. Ponto de partida no sítio do costume Cimo do Parque Eduardo VII ao pé da bandeira Nacional.

Hora de partida 8.00 da manhã, no dia 13 de Janeiro de 2013,

Lá estaremos á vossa espera, para mais um treino ligeiro e bem disposto.

RunAbraços
Miguel Correia e Paulo Curto de Sousa

Na entrada do Castelo de S. Jorge - 8 janeiro 2012

No Chiado -- 8 janeiro 2012

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

VII GP Arrábida - Logística

A prova terá início às 10:00 e a caminhada às 10:05. Proponho que nos encontremos nos Olivais Sul, na Rua Cidade de Bolama, 17, às 8:30 para organizarmos "boleias" e podermos chegar a Setúba, por volta das 9:15 l e estacionar na calma, onde houver lugar.

Depois da prova e do duche, haverá almoço em Setúbal no "Baluarte do Sado". A Rita Felizol criou um evento no FB, no grupo "Atletas Run 4 Fun" onde quem quiser ir ao almoço, deverá confirmar presença.

Runabraços

Sintra a Correr

Caro(a) Atleta

Com a definição do calendário de provas oficial do Troféu “Sintra a Correr” para a presente época, fica assim aberto o período para aceitação de inscrições de novos atletas e revalidação de inscrições de atletas já registados.

Este período estende-se até ao final da época desportiva, sendo interrompido durante os 5 dias que antecedem cada prova de cada um dos troféus (Sintra, Cascais e Oeiras).

O processo de inscrição já é conhecido da grande maioria dos atletas, porém, não só sugerimos vivamente a consulta da opção “Como Inscrever?” do Menu Principal do site www.sintraacorrer.com, como também a consulta do novo Documento Orientador pois este sofreu algumas alterações, nomeadamente, com a introdução de novos escalões e do dorsal único.

O processo de revalidação de inscrições para atletas que estiveram registados na época passada continuará a ser feito através do envio da ficha de revalidação/inscrição (em anexo) devidamente preenchida com os dados do atleta, sem necessidade de ser acompanhada de qualquer documentação adicional.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Confraternização de Natal Run 4 Fun

Estamos no Natal! 

Dado que é uma época de reunião com aqueles de quem gostamos, o grupo de signatários sentiu a vontade de criar uma confraternização natalícia! Nesse sentido foi decidido pedir a participação de todos os R4F para a respectiva sugestão e colaboração, designadamente nos itens seguintes:

• Dia da semana (Sábado ou domingo, preferencialmente) 
• Momento (almoço ou jantar) 

Vamos avançando desde já algumas datas possíveis: 2 ou 15 de Dezembro e 6 de Janeiro, dias que nos parecem não colidir com nenhuma prova. Ficam no entanto em aberto todas as outras datas. 

Para aferir as participações, usem este link por favor (podem escolher mais que uma data).

http://doodle.com/3nz4az8rmvmrppg5 


Existe a opção de "não poder estar em nenhuma das datas", bastando para isso escreverem o vosso nome e clicar no respectivo botão.



Este link pode ser sempre consultado, quer seja para alterar ou visualizar as participações.

Existe um espaço para comentários.
 
Dado o adiantado do calendário, terão que ser concretizadas até 25 de Novembro 

A nossa proposta é, de acordo com as sugestões recebidas, chegar a uma data e a um organizador (ou grupo), dados que serão depois atempadamente comunicados a todos, a fim de saber o número de participantes. Agradecemos desde já sugestões de local/restaurante (à partida, na zona de Lisboa) e eventuais manifestações de interesse em ajudar na organização do evento! Estamos cientes que o momento e local encontrados não serão compatíveis com a agenda de todos. Optaremos pelas propostas mais votadas, na certeza de que todos compreendem as dificuldades de um empreendimento desta natureza. Contamos com a vossa presença para mais um convívio memorável deste grupo de amigos que correm! 

César Moreira 
Gerardo Atienza 
Joana Peralta 
Jorge Esteves 
Maria Antunes 
Mónica Migueis
Nuno Marques 
Nuno Tempera
Patrícia Calado 
Rui Ralha

Maratona Divina Pastora Valência


Porquê Valência? Talvez por influência de recordações, mas as imagens da prova ajudaram muito, e foi uma boa escolha esta cidade mediterrânica. O dispositivo logístico da prova está centrado na bonita e moderna Cidade da Ciências e das Artes construída recentemente sobre o antigo leito do rio Turia. Foi uma decisão estratégica muito bem sucedida, Valência desviou o rio que desde sempre passou pelo centro da cidade e no seu leito e margens estão hoje espaços de qualidade para exercício físico e lazer.

Na véspera, a ExpoDeporte no Museu das Ciências, estava bem composta com expositores e atividades, quase todos de Espanha. Após levantar o dorsal "Valiente" nº 2295, levantei a bolsa com a t-shirt "Correr es de valientes" no Hemisférico. De tarde, a Paella Party, em vez da tradicional massa, aqui era o prato tradicional da cozinha valenciana, quase todo arroz, e as clementinas valencianas.
Muito bem organizado, logística e divulgação, incluindo 1 revista de 16 páginas com as "Últimas instruções".

Prova praticamente plana (só se notam 2 túneis rodoviários), em Valência é fácil obter um percurso plano. Muito participada, esta Maratona é uma das maiores da Península Ibérica, com 9200 inscritos e quase 8000 finalistas. Cerca de 1500 participantes finhishers estrangeiros de 47 países, dos quais 29 portugueses.
Em paralelo decorria a prova de cadeiras de rodas e a corrida de 10 kms.
Particularidade organizativa: A Maratona e a prova de 10kms eram simultâneas, fazendo percursos próximos, mas os participantes nunca se misturavam. Ao longo do percurso, fora das zonas centrais, haviam poucos apoiantes, mas as zonas centrais estavam cheias de apoiantes, incluindo muitos estrangeiros que se deslocaram a Valência.
Felizmente, a meteo enganou-se. Previa todo o fim de semana de chuva. Esteve enevoado, mas não choveu quase nada.

Imediatamente antes da partida, assisti a uma coisa fora do vulgar: 1 minuto antes da Maratona, partiu a prova de cadeira de rodas. Passado algum tempo, começamos todos a correr. A organização percebeu que havia algo errado, e anunciou que não valia, era falsa partida geral. Pediu a todos para voltarem para trás para o ponto da partida, umas dezenas de metros.Se virem bem, fazer retroceder aquela gente toda foi uma coisa nada fácil, mas lá voltou ao normal. Passados uns 8 minutos, foi então a partida oficial das provas.

A minha corrida foi feita sem stress, dada a minha instabilidade física e ausência de treino (nas últimas semanas só treinei no Monte Trapalhão e fiz a Nazaré), fui a monitorizar o corpo com calma até ao km 10, depois moderado e sempre atento aos joelhos e pés até ao km 30.
Entretanto passamos pelo centro histórico, do antigo Reino de Valência.
A meio da prova, não gostei de cerca de 1/2 km de transito não cortado que fluía na mesma faixa, ao nosso lado.
Bons abastecimentos de 5 em 5 km, incluindo gel "GU" nos kms 20 e 30. Muitos pontos de animação. Seja com música, seja com percussões, percebi que boa parte dos grupos são das "Comissões Falleras" (da famosa festa tradicional valenciana).
Cerca do km 27, uma parte espetacular: Corremos por túneis rodoviários cheios de música, mais parecia uma discoteca. Na parte final da Maratona sentia-me muito bem. Seria aquilo que desse, mas já dava pra muito pouco.

Os últimos 2 kms a parte mais bonita do percurso: A quantidade de apoiantes, o moderno percurso no antigo leito do rio, pelo interior da Cidade das Artes e Ciências, com os lagos e as pessoas. A reta final no estrado de madeira montado para esta prova sobre o lago em frente ao Museu das Ciências até à Meta.
Depois as lembranças, cevejinha e água do mar (sim! água do mar para repor os sais...), haviam massagens mas muito concorridas e puffs p/ descansar. Encontrar companheiros portugueses.

E as recordações que ficam desta bela Maratona.

RunAbraços.

domingo, 18 de novembro de 2012

The Color Run - finalmente em Portugal



Caros Amigos,

Desde que conheci este "projecto", fiquei "FAN".

Penso que se encaixa na perfeição do que é a minha visão das corridas populares...em primeiro lugar a diversão, o convívio e a partilha...ou seja uma autentica festa.

Foi com muito prazer que verifiquei via várias publicações no FB, que já chegou a Portugal "The Color Run".

Esta festa irá decorrer pela primeira vez em Portugal durante o ano de 2013 e o local escolhido foi a bela cidade do Porto.

Ficamos a aguardar a data definitiva, bem como a abertura de inscrições.

Para os que quiserem conhecer um pouco mais do projecto, este é o link a seguir :

Color Run internacional

ou este :

Color Run Portugal


Runabraços

sábado, 17 de novembro de 2012

4º Treino noturno – Meia Maratona São João das Lampas


Caros Amigos,

Que noite fantástica.


Começo desde já por agradecer ao Fernando Andrade e a toda a equipa da organização da Meia Maratona de SJL, foram inexcedíveis no cuidado e atenção que nos deram.
Gente que recebe bem, que sabe receber bem e que gosta de receber bem.

À Associação Recreativa local, que facilitou as instalações e prestou o apoio logístico que permitiu que o bom se transformasse em óptimo.

E já agora, ao Sr. Presidente da Junta de Freguesia de SJL.
Não é habitual, numa prova, muito menos num treino, sermos agraciados pela presença do Presidente da Junta local, que nos agradeceu a presença, nos deu as boas e vindas e pasme-se...esteve toda a noite ao fogareiro a tratar dos grelhados.

Quando nos deparamos com eventos com este tipo de organização, não existe forma de agradecimento, cabe-nos apenas aparecer, tentar devolver a simpatia como somos tratados, ter a capacidade de valorizar ao máximo os mesmos e ajudar no que estiver ao alcance de cada um por forma a garantir que se possam ir mantendo.

Relativamente ao evento propriamente dito, estava agendada a saída para as 21h, junto ao local de partida da MMSJL e o objectivo era de completar o trajeto da nossa querida e conhecida MMSJL.

O Fernando Andrade, deu-nos as boas vindas, deu alguns conselhos, tirámos a foto de grupo, o Sr. Presidente da Junta deu o toque de partida e lá fomos nós...cerca de 200 “locos”...sim cerca de 200 (alguns de nós, talvez ainda mais “locos” já com 8Kms de aquecimento prévio nas pernas).

O São Pedro foi simpático e ajudou, com um ou outro aguaceiro pelo caminho, com uma temperatura agradável e com um vento que mal se fez sentir.

Como é hábito nestas treinos com uma grande dimensão de atletas, rapidamente o pelotão se foi partindo em pequenos grupos.
Estivemos sempre acompanhados, quer com um carro na frente do grupo, quer outro no final.
Pelo caminho fomos tendo o apoio permanente de uma carinha com águas e que nos ia indicando o trajecto, num ou noutro cruzamento que poderia criar dúvidas.

A rapaziada lá foi terminando, tomando um duche, mudando de roupa, conversando e confraternizando uns com os outros enquanto os menos rápidos lá iam também chegando.

Quando chegou o último...sim apenas após a chegada do último, passámos ao “salão de festas”.

Que grande banquete o Fernando e a Sua equipa nos prepararam...
Uma sopa quentinha fantástica, seguida de pão, febras e batatas fritas, tudo à farta.
A acompanhar, as bebidas habituais, com ou sem álcool, com ou sem gás, frescas ou naturais...nada faltou.

Como nestas coisas o espírito solidário está sempre presente, cada um levou o seu maior ou menor contributo para partilhar com os demais.

Uma vez mais e não quero deixar de repetir, a simpatia, a solidariedade, a animação, eram as palavras de ordem.

A festa seguiu noite dentro.
O Fernando “botou” discurso e o Sr. Presidente também.



Ainda tivemos tempo para a foto final de parte da armada R4F presente, na companhia do grande impulsionador e organizador da noite.
Faltam na foto alguns companheiros, que devido ao adiantado da hora e a compromissos pessoais já tinham saído.

Para finalizar estava guardado mais um momento muito especial.
A entrega do prémio de 4º classificado no escalão, referente à MMSJL2012, ao nosso companheiro João Veiga.
No dia da prova o João já não estava presente no momento da entrega dos prémios, aproveitámos e ontem criámos o merecido momento ao João.
Parabéns João, um troféu numa prova desta natureza não é para qualquer um.



Vou finalizar como acabei, agradecendo uma vez mais ao Fernando Andrade e a todos os demais envolvidos nesta organização e que de uma forma amável e muito simpática nos proporcionaram uma noite RUNTástica.

Noites destas apenas provam que quando queremos e colocamos toda a nossa dedicação, saber e paixão ao serviço do pretendido tudo se faz.

Runabraços 

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Correr para emagrecer? Comer para correr?

Caros amigos,

São muitas as vezes, em que em conversa com alguns corredores do club me dou conta de que muitos correm para poder comer e beber, tudo o que aparece à frente!

Eu acho sempre uma certa piada ao conceito, até certo ponto real, mas não muito correcto.
Para mim, por motivos profissionais e pelo que tenho estudado há vários anos, defendo que tanto o exercicio como a alimentação saudavel e regrada, são extremamente importantes para o controlo do peso e dos vários parametros de saúde. 

Recebi hoje um artigo que achei interessante partilhar convosco, numa tentativa de que este conceito comece a mudar, e uma vez que como se diz em bom português "santos da casa não fazem milagres"...

"O último «round» da disputa científica entre dieta e exercício físico (qual emagrece mais?) foi vencido pela mudança alimentar.

A actividade física até ajuda a perder uns quilos, mas quem está acima do peso, segundo o Ministério da Saúde brasileiro, precisa de «fechar a boca» para obter resultados, de acordo com pesquisas recentes.

Uma delas, publicada em Outubro último no Obesity Reviews, analisou os resultados de 15 trabalhos. Todos mediram o efeito de actividades físicas, como caminhada ou corrida, em pessoas que não fizeram mudanças na dieta.

As conclusões não animam. Na maioria dos estudos (que envolveram 657 pessoas e duraram de três a 64 semanas), a perda de peso foi menor do que a esperada.

«Algumas pessoas conseguem emagrecer bastante, mas, em geral, a prática de actividade física resulta numa perda de apenas dois ou três quilos», disse Timothy Church, um dos coordenadores do trabalho. Ele é médico do Centro Pennington de Pesquisa Biomédica, em Louisiana (EUA).

Se toda a actividade física causa queima energética e se para emagrecer basta ter um saldo negativo (gastar mais do que ingerir), por que é que a conta nem sempre fecha?

O trabalho de Church levanta algumas hipóteses. Segundo a principal delas, quem faz exercício acaba por compensar a perda de calorias comendo mais. Isso aconteceu em pelo menos dois artigos analisados.

«Não sabemos por que isso ocorre, estamos a estudar melhor agora», afirma.

Para o médico do exercício Marcelo Leitão, da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Desporto, é comum as pessoas sobrestimarem os efeitos da actividade física.

«As pessoas têm uma noção errada de que se fazem exercícios podem comer o que quiserem. Se fizer uma hora de actividade e depois beber uma cerveja, já recuperou o que perdeu.»

Para gastar 500 calorias (meta diária de quem quer perder meio quilo por semana) é preciso fazer uma hora de actividade de alto impacto, como uma aula de jump. O esforço pode ser «estragado» apenas com duas fatias de pizza.

«Uma hora de caminhada por dia muda indicadores de saúde, mas não necessariamente faz perder peso», acrescenta Leitão.

«É muito mais fácil cortar calorias do que gastar. As dietas, em geral, têm excesso de calorias», afirma Julio Tirapegui, bioquímico e investigador da Universidade de São Paulo.

Uma pessoa com excesso de peso pode consumir mais de 3.000 calorias por dia e um obeso chega a 5.000, segundo o médico argentino Máximo Ravenna, autor de «A Teia de Aranha Alimentar». «Não há como compensar isso com exercício. É preciso reduzir pelo menos 40% da ingestão de alimentos.»

Outro ponto a considerar é que o gasto de energia resultante do exercício não é exacto: varia segundo o condicionamento físico e as características pessoais (altura, peso, idade). Na dieta, dá para fazer as contas com precisão e cortar calorias."

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Nazaré – Localidade fantástica


Caros Amigos,

A Nazaré assistiu a mais uma meia maratona com a Sua designação.

Foi a 38º meia maratona da Nazaré, a rainha das nossas provas de estrada, que tem como madrinha a nossa “enorme” Rosa Mota (que infelizmente este ano não pode estar presente), e de longe a mais antiga meia maratona que se faz cá pelo burgo. 

Uma vez mais os R4F estiveram presentes com um contingente, não muito numeroso, mas de muita qualidade, quer atlética quer humana.


Alguns de nós optaram, seguindo a tradição de anos anteriores, pela estadia durante o fim de semana, aproveitando o agradável bem estar que esta localidade nos proporciona.

Foram dois dias muito agradáveis, em que a chuva a espaços nos deu algumas tréguas.

Eu sou sempre suspeito quando toca a exprimir-me sobre algumas provas, pois dou muito valor à tradição, à forma como enquanto “locos que coren” somos recebidos pelas localidades, organizações e público e igualmente valorizo muito o esforço que “os carolas” destas coisas, fazem ano após ano, para manter eventos desta grandiosidade em atividade.

As gentes desta terra são simpáticas e generosas, a organização está sempre ao mais alto nível (estou a comparar com o que se passa e paga relativamente a outras que por aí andam)...penso que a Nazaré, pelo que foi, pelo que é e representa merecia um evento com outra dimensão.
A localidade tem tudo o que é necessário para receber “locos” de qualquer parte do mundo, o clima joga a nosso favor e a idade é um posto que seria seguramente respeitada.
Com vontade e algum investimento adicional, acredito que  se podia fazer na Nazaré algo singular e único neste país, com retorno financeiro assegurado.
Mas enfim, são “contas de outro rosário”

Voltando ao que nos mais interessa.. o que a “alaranjada” armada R4F apresentou e viveu na Nazaré nestes 2 dias.


Grande e animada jantarada no sábado, onde aos R4F presentes (Camila, Cris, Franco, Jorge, Helena e Nuno), se juntaram alguns amigos (Carlos Lopes e Mirian e o André e Gena Cid) e familiares (a minha irmã e respectiva família).

Durante o passeio noturno, fomos encontrando alguns conhecidos companheiros de pelotão e o Carlos esteve permanentemente a ser “confrontado” com vozes amigas...muita gente conhece este nosso amigo.

Após uma bela noite de sono, acompanhada por uma “carga d’água simpática”, Domingo, lá estávamos junto à celebre “Conchanata” (uma gelataria que merece ser visitada), por volta das 10:00 tal como acordado.

A “rapaziada” foi chegando a bom ritmo, recebendo os Seus dorsais e no final, preparados para a passeata, lá nos dirigimos para a partida.


A corrida correu lindamente, foi só pena que a Cris ao Km 13, se tivesse ressentido de uma pequena lesão na virilha esquerda, o que nos levou a abrandar o ritmo e cruzar a meta em plena cavaqueira e na companhia fantástica do Carlos Lopes e da Miriam, que por infeliz casualidade também se lesionou e teve que acabar igualmente muito devagar e da Eugénia Vale, que nos apanhou já nos últimos Kms e fez questão de atravessar a meta connosco.
Muito obrigado aos 3, principalmente ao Carlos e à Mirian que abrandaram diversas vezes à nossa espera...resta saber onde para o “boi verde”!!! (privet joke).

Foi uma bela estreia da Cris, nesta mítica aventura, para a história ficarão as 2:08, mas passámos aos 11Kms um pouco abaixo da hora(o PBT de 1:57 esteve à vista, pelo menos até ao Km13).


O meu Amigo S. Pedro, ajudou um pouco, tivemos um céu quase limpo e um sol radioso em quase todo o trajeto, foi pena apenas o muito vento que se fez sentir principalmente no retorno.

Quero congratular-me e dar as boas vindas aos “retornados” de lesões, o nosso Zé Carlos e a nossa Fernanda Marques, cada um em Sua distância, estiveram fantásticos.
O Zé Carlos, nem pareceu que vinha de uma lesão, tal foi a velocidade e o estado ao final apresentados.

Dou também as boas vindas à Helena Telino, que pela mão do Jorge Pinheiro, se juntou a nós pela primeira vez...bela estreia na “Volta à Nazaré”.

O Carlos Lopes, ficou com o dorsal do Joaquim (que infelizmente não pode comparecer), alterou os dados de atleta, mas deu-nos o prazer de correr sob a “nossa bandeira”.

O António Cruz, fez um treino de 10Km antes da prova, mas não foi isso que o impediu de fazer uma excelente corrida.
Está em grande forma e vai “derreter alcatrão” em Lisboa.

O Miguel...o que dizer do Miguel, é daqueles atletas pelos quais os Kms e os anos não passam.
Só tenho pena que ele não pudesse ter ficado para a almoçarada.
Mais uma grande performance em mais uma participação nesta prova.
O Miguel é seguramente dos nossos atletas mais experientes e com mais “Kms nas pernas”, sempre a um grande nível.

Muito bem também, acabaram os nossos companheiros, João Pedro e Jorge Pinheiro, cada um com o Seu estilo, mas a demonstrarem que estão ambos em grande forma e preparados para fazerem uma fantástica maratona em Lisboa.
Acabaram, bem fresquinhos...é visível nas fotos.

O José Magalhães, a mostrar uma evolução de corrida para corrida
Ainda me lembro do Zé com objectivos para os 10Km à pouco mais de um ano, seguramente superiores aos tempos de passagem que faz hoje em dia aos 10Km nas distancias da meia maratona.
Este ano em Lisboa irá seguramente fazer um grande tempo na Maratona.

O Franco e o Filipe acabaram juntos e muito bem, bem abaixo da 1H50.
Era o objectivo do Filipe, a quem disse que se colasse ao Franco...não falhou, o Franco está um relógio e foi em ritmo de treino para a Maratona de Lisboa (o objectivo era fazermos 10Kms adicionalmente e após a meia, mas eu já não cheguei a horas).

O Serafim é uma máquina, não validei os tempos de passagem, mas fico sempre com a ideia, que seja qual for a distancia, o Serafim acaba sempre em crescendo.

E as nossas restantes meninas da meia? Simplesmente fantásticas.
Grandes provas da Camila e da Filipa, grandes performances em função das condições atmosféricas apresentadas (o vento contra fez-se sentir e muito em todo o retorno).
Fizeram cada uma à sua medida provas muito bem conseguidas e equilibradas.
A Camila, foi por muito pouco que não baixou das 2:00...
Numa próxima oportunidade e em condições normais, seguramente que o fará.

Seguramente que me está a faltar alguém a quem peço desde já desculpa...segui a ordem das fotos e deduzi os resultados em função das chegadas, é possível que a análise não esteja 100% correta, mas não tenho as informações completas.


Sugiro que cada um faça à posterior o Seu próprio relato.

Para finalizar...pois para finalizar, os que puderem ficar, não se arrependeram seguramente, tal a qualidade humana e gastronómica que se juntaram à mesa para a almoçarada final.

Foi realmente uma bela e fantástica jornada.

Se tudo correr bem e a vida assim o permitir em 2013, lá voltaremos.

Runabraço