quarta-feira, 17 de outubro de 2012

10 Milhas Pitorescas


No Império Romano o problema da ferrugem nas searas (alforra) era tão grave que existia uma divindade, ROBIGO, que as protegia destas moléstias.


Aruil. O nome vem de ruíle, que significa ferrugem, que por sua vez vem directamente do vocábulo latino ROBIGO. Esta região foi em tempos grande produtora de cereais, os quais eram atacados pela alforra que se desenvolvia devido a causas várias, uma das quais o elevado teor de hematite no solo. Quer dizer sítio onde as searas de cevada, trigo e centeio e os fenos para o gado eram atacados pela ferrugem. Aqui encontramos o local “eira velha”, reminiscência do seu passado cerealífero.


Foi aqui, em Aruil, que em 13 de Outubro de 2012, se realizou o treino “10 Milhas Pitorescas”. Depois de avanços e recuos, nas distâncias, nas datas e no público-alvo, lá se decidiu pelo formato final.
Dia bonito e bom para a prática da corrida, solarengo e com temperatura amena. O chão ligeiramente húmido para não levantar poeira mas suficiente seco para não encher as solas de lama. Com gente boa a participar e gente ainda melhor a ver-nos passar.

Armada Run 4 Fun
Partindo-se duma espécie de organização conjunta dos R4F com a SRDA, tentou-se juntar o melhor de dois mundos. Da parte dos R4F, em que estiveram presentes quase 20 elementos, contribuiu-se com o know-how acumulado de organizar e participar em treinos, incluindo os excelentes convívios e repastos finais, e da parte da SRDA a disponibilização das instalações, dos meios humanos de socorro ao desportista (ver o texto todo para compreender) e a boa vontade que a localidade tem para oferecer.

O briefing e declaração de boas vindas
Com o objectivo de promover a zona e a actividade física optou-se por duas distâncias: um treino de 10 milhas, que dito assim até parece mais curto que 16 quilómetros, e outro de 9 Kms (que afinal eram 8,7 Kms) que poderia ser feito a correr ou a caminhar, de modo a poder abranger um grande leque de participantes.

Guias dos diferentes percursos
Estiveram presentes cerca de 70 atletas que, após um pequeno briefing, apresentação dos guias – Hugo Silveira, Carlos Branco, Paulo Raposo, João Simões, Lídia Pazes e Luís Raposo, pela ordem que estão na foto – e declaração de boas vindas no campo de futebol de Aruil, se colocaram em marcha. Uns a correr, outros a caminhar, lá foram todos.

Hortas de Aruil
Passou-se pela sede da SRDA, Albogas, deu-se a volta por detrás do monte do Rebolo, subiu-se junto ao campo de futebol de Almargem, parque eólico de Almargem, capela de Aruil (onde se tirou uma foto de cada grupo) e desceu-se até ao campo de futebol onde nos voltamos a reunir. O grupo das 10 milhas, a seguir a Albogas deu uma volta maior visitando o parque eólico de Bolores, o marco concelhio na intersecção dos concelhos de Sintra, Mafra e Loures, entrou-se na localidade de Covas de Ferro e apanhou-se o percurso dos 9 Kms no monte do Rebolo.

Parque eólico de Bolores
O piso foi variado, desde alcatrão a terreno de horta, passando por estradão de terra batida e atravessamento de rios, houve um bocado de tudo. Também passámos por sítios cobertos de árvores e mato, e por outros descampados no cimo de montes com vistas fabulosas.

Marco geodésico de Bolores
Quando as pessoas são excelentes tudo se torna mais fácil, e foi o que aconteceu neste evento. Mas treino que é treino tem de ter qualquer coisa a incomodar e a nossa Margarida resolveu dar uma ajuda neste ponto. Mulher lutadora como é, resolveu testar a dureza das pedras da zona com a cabeça logo nos primeiros metros do treino. Felizmente, a pedra sobreviveu e encontra-se bem. E a Margarida lá continuou o seu treino pelo percurso mais longo, o das 10 milhas, com uma daquelas dores de cabeça que só uma valente pedra pode dar.

Parque eólico de Almargem - Aruil
Mas a Margarida não quis testar apenas a dureza do terreno. No sítio mais longe do ponto de partida (melhor que isto só nalgum sítio inacessível) começou a sentir com mais veemência o sentimento que a pedra lhe causou na cabeça e resolveu que devia ir directo aos balneários. E não é que em 5 minutos apareceu uma viatura da organização que a levou a ela, à Paula e à Patrícia? Claro que temos as nossas dúvidas se queriam testar a rapidez da ambulância improvisada, se já queriam ir acendendo os assadores para termos tudo pronto quando chegássemos.


E ainda tivemos o grupo das 10 milhas guiados pelo Hugo Silveira que achou que era pouco e resolveram dar uma volta maior. Ah, grandes atletas. Eles dizem que se perderam, mas o que eles queriam mesmo era correr! Da próxima vez temos de fazer 20 milhas só para este grupo.

Grupo dos 9 Kms, marcha

Grupo dos 9 Kms, corrida

Grupo das 10 milhas
Mas o melhor estava para vir. Após uma boa banhoca houve um belo repasto e um melhor convívio. Até o bar estava disponível para alguma aquisição de última hora, nem que fosse os cafés. Aqui queremos deixar um especial agradecimento para os membros da direcção da SRDA - Carlos Neves, Norberto, Zé Pedro e César – que pela sua boa disposição e incansável disponibilidade tornaram possível este evento, nos moldes em que foi feito.

Membros da direcção da SRDA presentes no evento
Entremeadas, entrecosto, febras, chouriço, alheira com ovos mexidos, patés, batata frita, bolo de chocolate, barril de cerveja, minis, pastéis de nata, morangos, melão, tarte de amêndoa, bavaroise, cheesecake, gelatinas e muitas mais iguarias, algumas das quais os nomes são difíceis de memorizar, fizeram parte deste treino.


Infelizmente, e para tristeza do José Carlos Melo, não houve nenhum porco rifado (vejam o que aconteceu na meia maratona da Figueira da Foz. Sim, que o José Carlos Melo já é um veterano em assuntos Aruilenses). Fica desde já a promessa que da próxima vez haverão animais vivos a serem rifados.


Concluindo: uma manhã bem passada na companhia de amigos. Há coisa melhor que isto?

4 comentários:

Nuno Sentieiro Marques disse...

Belo texto, excelente testemunho e grande organização.

Obrigado e parabéns Paulo.

Vou tentar não faltar à próxima.

Runabraços

Orlando Ferreira disse...

Excelente organização e participação em massa.
Como já tive oportunidade de escrever, por motivos profissionais não foi possível comparecer; estava equipado e com tudo pronto para que a qualquer momento fosse possível sair de casa e me juntar ao enorme convívio. Infelizmente tal não foi possível e agora ao ler os detalhes adicionais mais lamento a impossibilidade de estar presente.
Parabéns a todos.

Henrique disse...

Entusiasmante descrição, claramente para deixar água na boca a quem não teve oportunidade de participar. Parabéns e saudações desportivas.

João Ralha disse...

Parabéns Paulo Raposo, pela ideia, pela organização e pela excelente, criativa e bem humorada descrição de uma manhã muito bem passada.

Um belo dia de sol, com terrenos, dificuldades e paisagens variadas, entre as quais o Rio Tejo no enfiamento da ponte Vasco da Gama e, do outro lado do monte, o mar em todo o seu esplendor.

Um belo treino seguido de banho....com água quente...... E um saboroso repasto com iguarias variadas e bem confeccionadas.

Obrigado ao Paulo Raposo, aos guias,aos dirigentes e membros da SRDA e a todos os participantes particularmente os nossos companheiros Run 4 Fun, com destaque, na parte do churrasco, para a Fernandinha e a Manuela Cruz.

Runabraços.