domingo, 19 de agosto de 2012

Hamarmilak - Jamor

percurso das dez milhas

     Confesso que à hora marcada ainda me deu algum nervoso miudinho, ao ver aparecer tanta gente. Mas a boa disposição imperava e o pretexto para este treino era motivador - celebrar as cem milhas bascas (Ehunmilak) e os portugueses que bravamente as percorreram, ou pelo menos tentaram. Queria sobretudo que ninguém se magoasse, e encontrar um ritmo que permitisse que todos pudessem gozar o Jamor. Acho que em boa medida isso foi conseguido.


loucos que correm

     O Luís Matos Ferreira honrou-nos com a sua presença, e juntamente com outro super atleta como o José Carlos Santos provaram mais uma vez que na corrida em geral, e nos trilhos em especial, impera a humildade e o companheirismo independentemente da parte do pelotão em que corremos, algo que não deixa de me surpreender e motivar quando tenho kms para meter nas pernas.


aquecimento na pista de canoagem

    Começámos por umas voltinhas de aquecimento em plano, para o pelotão se habituar também a um ritmo moderado, e a boa disposição imperava. Muita conversa para pôr em dia.


primeiro cheirinho de trilhos e single tracks

    Quando iniciámos a subida à zona da Ermida da Boa Viagem, passando pela praça do Estádio do Jamor, naquela que seria a primeira volta por esta zona alta, a respiração de alguns atletas começou a ser mais intensa, e alguns terão pensado coisas menos bonitas da pessoa que escolheu o percurso. Mas a vegetação protegia do calor que começava a apertar, e vi bastantes sorrisos rasgados à minha volta. Acho que eram sorrisos, talvez precisasse de limpar os óculos. Foi altura de aproveitar a vista privilegiada da barra do Tejo, e de respirar ar bom.


sobe e desce


   Claro que pelo meio foi necessário reunir o pelotão com umas voltas de espera, nada que tivesse prejudicado o treino ou chateado ninguém, espero. Para mim era importante ter as pessoas juntas a desfrutar a corrida, e sem ninguém perdido na mata. Na descida da zona alta tivemos um cheirinho de descidas loucas em trilhos, feita de forma conservadora por muitos e que serviu de preparação para a segunda volta. Já tinha dito que ninguém se magoou? A sorte protege os audazes.


volta à pista de cross

     Para permitir algum rolamento e recuperação fomos de seguida à zona do cross do Jamor, perto do golf que deve estar quase a estrear. Pelo meio houve abastecimento de água no corredor do ténis. Altura para meter mais um bocadinho de conversa em dia, e no cross foram definidos dois percursos para quem quisesse mais ou menos sobe e desce. Esta parte foi um bocadinho mais penosa por causa do sol e do calor.


pelotão em carga

     Para terminar voltámos à zona alta, já com algumas naturais baixas porque apesar do ritmo moderado, o percurso não estava a ser propriamente plano. Tinha aqui um petisco guardado que é muito do meu agrado, e que temia que fizesse mossa. Uma valente subida que me costuma deixar com os bofes de fora e que só em dias bons consigo fazer a correr, mas que é para mim uma parte importante de qualquer treino se quero ganhar resistência e evoluir. Descer já não desço mal, e é onde retiro maior prazer nos trilhos. A descida técnica que repetimos foi a prova disso mesmo e vi muita gente a concordar comigo. Já tinha dito que ninguém se magoou? Deus não dorme.


tartan para descomprimir

     A manhã já ia longa por isso acabámos a dar uma volta de descompressão e recuperação no tartan do Jamor. A não ser os Temperas e os Césares destas vidas, que não podem ver piso daqueles sem largar a correr a 110%. Cada maluco com a sua pancada. Sabe sempre muito bem, depois dos pisos mais acidentados, rolar um bocadinho num tapete tão confortável.


radicais livres e eletrólitos

     Claro que a parte do fun se estendeu depois à petiscada, que não deixou de me surpreender pela qualidade e variedade. Talvez tenha recuperado umas calorias a mais do que as que tinha gasto, mas a troika não nos deixa estragar comida e por isso lá teve que ser.


(?)

    Alguns atletas acabaram em evidente esforço, mas de uma forma geral acho que os objectivos que tinha em mente foram atingidos. Desfrutar do Jamor e dos trilhos, e da companhia de pessoas que conheço ou não mas com quem partilho o gosto pela corrida. E pelo petisco, claro.

     Obrigado a todos por uma manhã bem passada, e preparem-se para outro treino destes em versão nocturna, ou pelo menos ao entardecer. Sim, que no Ehunmilak também se correu de noite. A parte das alucinações e privação do sono é que se calhar deixo de fora. Que me dizem?

     Abraço a todos,

     Miguel Serradas.



     P. S. - fotografias gentilmente palmadas ao super atleta e fantástico fotógrafo José Carlos Melo.

9 comentários:

João Ralha disse...

Excelente treino Miguel e o teu relato está a condizer em termos de qualidade da escrita e das fotos do nosso José Carlos Melo.

Foi uma bela manhã, terminada com um magnífico petisco. Aqui gostaria de realçar o bacalhau com grão da Paula Magalhães e as empadas da mulher do António Manuel (ou Manuel António, desculpa,se me enganei) e é claro os pãezinhos com queijo e fiambre da Manuela Cruz bem como os rissóis da Fernandinha e todos os restantes petiscos. Foi de tal maneira bom e farto que já não almoçei.

Parabéns pela tua iniciativa e que venha a nocturna.

Runabraços

Nuno Sentieiro Marques disse...

Obrigado Miguel.

Obrigado pela organização, pela iniciativa e pelo fantástico relato.

Nestas coisas o espirito das pessoas é fundamental...por muito bem organizado que tudo esteja, como foi o caso...se as pessoas não colaborarem nada feito.

Uma vez mais e como sempre, o grupo que se juntou ajudou todo à bela festa conseguida.

Mais uma fantástica e bonita manhã de convio e partilha de boa disposição.

Runabraços

Orlando Ferreira disse...

A descrição está extraordinária e já percebi que perdi muita coisa.
Tinha mesmo planeado participar e a restante família também iria... mas com as dores no joelho e não indo eu correr foi impossível não irmos para a praia.

Luis Matos Ferreira disse...

Miguel,

Faço minhas as palavras do João e do Nuno: excelente treino, excelente organização, excelente petisco, excelente relato, excelentes fotografias!

Pela parte que me toca, fico muito sensibilizado pela homenagem que me foi feita.

Venham as próximas iniciativas!

Abraço

José Carlos Melo disse...

Adorei!!

Foi mesmo um excelente treino. Muito bem organizado, , em excelente companhia:

- do organizador Miguel, do homenagiado Luís;

- dos companheiros R4F que nos encontramos frequentemente nos treinos;

- dos vários companheiros que nos encontramos em corridas e que nos que nos deram o prazer da sua presença num treino R4F;

- de vários corredores que não conhecia e que vieram descobrir a nossa forma de estar.

E claro, o petisco final, que foi a cereja em cima do bolo.

Um bem hajam.
RunAbraços.

ManuelaC disse...

Também para mim foi uma manhã muito bem passada! Foi extraordinária e fico reconhecida pelo companheirismo que imperava entre todos, pelo cuidado que senti porque não corria tanto como o grande pelotão(João Ralha), pelo incentivo que recebi para um pequeno esforço extra "-Mais um bocadinho... para ganhares resistência"(Cesar), pela humildade e amizade oferecida por quem corre bem mais que eu(Luis Matos Ferreira e não só...), pelo cubinho de marmelada para dar energia(Luis Moura), pelo apoio da Fernandinha e Carmen Greff que me acompanharam grande parte do percurso, pela excelente organização e preocupação para que tudo corresse bem do Miguel Serradas Duarte e pelo petisco final (Paula e não só...)
Que grupo extraordinário! Que manhã fantástica!
Grata por tudo!
Manuela Cruz

Ze Carlos disse...

Excelente organização Miguel, nesta merecida homenagem ao grande atleta que é o Luís. Grande ambiente entre os participantes com mais uma reportagem fotográfica de elevado nível (sinceramente não sei como é que o Zé Carlos Melo consegue correr e fotografar ao mesmo tempo :-)
E fantástico repasto final ao qual já não pude comparecer mas que pelas fotos deve ter sido inesquecível!

Grande abraço

Zé Carlos Santos

José Magalhães disse...

Muito bom o treino (ainda me doi as pernas). Obrigado pelo convite, pelo percurso, pelo cuidado nos detalhes "correr em trilhos não é fácil".
Magnifico relato, está lá tudo. Fantástica manhã na companhia de duas familias, a pessoal e a "dos locos que correm".
Obrigado

PS
João, o bacalhau é com broa (o do treino lunar ainda te está na memória). Este prato foi-nos servido há uns anos atrás num restaurante (já não existe) em Carregal do Sal. Existem várias manieras de confeccionar o bacalhau com broa, mas esta é a que nos gostamos.

Jorge Duarte Pinheiro disse...

Parabéns, Miguel, pela ideia e pelo resultado, bem materializado no texto!
Runabraços