domingo, 6 de maio de 2012

O Homem da Meia Marratona





Todos os dias de corrida são dias de festa para os Run4Fun, e hoje não foi diferente. Apesar se dividirem por três corridas, mais de vinte "corredores pelo gozo" se apresentaram logo pela manhã na Av. Luísa Todi para correr a Meia Maratona de Setúbal.

E todos os dias de corrida são sempre especiais para muitos de nós. Há sempre quem faça a sua estreia na distância ou o seu melhor tempo na mesma. Hoje houve, aliás, vários PBT's (Filipa Cabaço, Margarida Gonçalves, Paula Carvalho, César Moreira, Jorge Esteves, Orlando Ferreira e Paulo Raposo). Mas eu fui o único estreante.

Hoje, aliás, foi um dia duplamente especial para mim, pois a minha mãe completou a bonita idade de 80 anos com tanta ou mais energia com que eu corri a minha primeira meia maratona. Perto do dela, o meu não foi grande feito. Nem perto de idêntico feito que a grande maioria dos que descobriram o prazer da corrida há mais tempo já alcançaram. Tenho, aliás, verificado, que todos os que se iniciam nas corridas e levam a sério um qualquer plano de treinos conseguem com relativa facilidade aumentar progressivamente as distâncias e baixar os tempos. Independentemente da idade e da compleição física. Pelo menos até atingirem o "seu" limite.

A relativa banalidade do feito não diminui, no entanto, o valor que ele tem para mim no plano subjetivo, 17 meses e 26 quilos depois de ter atingido o que espero ter sido o ponto mais baixo da minha condição física, culminando anos de vida sedentária e descuidada. Sobretudo depois de uma sucessão de lesões musculares e de uma costela partida num estúpido acidente de bicicleta.

Desde que recomecei a correr, primeiro em Março, antes de partir a costela, e depois em Abril, tenho feito boas prestações nos treinos e nas provas. Foram os bons resultados das corridas do 25 de Abril e do 1 de Maio que me animaram a arriscar a meia, apesar de não ter conseguido fazer os treinos longos que a distância exigia. 

Senti, no entanto, a falta desses treinos longos,  que provavelmente me teriam dado uma melhor perceção do esforço exigido para além dos 15 km. Teria assim evitado o típico erro de principiante de arrancar muito "rápido" e de quebrar na parte final. 

Acompanhei o Paulo Raposo nos primeiros seis quilómetros, e apesar de me ter descolado dele mantive até ao km 13 um ritmo abaixo dos 5:40, que me daria um resultado final abaixo das duas horas. Obviamente ilusório. 

No regresso da Mitrena, e apesar do ânimo psicológico de ter atingido a metade da prova e ter iniciado o caminho de volta, comecei a sentir dificuldades. Ainda tive forças para apanhar o Vítor, que vinha em perda, mas logo a seguir quebrei. E no segundo viaduto já me arrastava, tendo sido apanhado (e ajudado) pela Isabel que me puxou durante alguns minutos. Apesar de me ter descolado dela, consegui com aquela ajuda preciosa restabelecer um ritmo que me permitiu aguentar até a cabeça - animada pelo passar dos quilómetros e o aproximar da meta - tomar conta das pernas e me levar até à Meta. Não sem a ajuda do César e do Jorge Pinheiro, que literalmente me carregaram ao colo no último quilómetro.

O final não podia ter sido melhor. Além de chegar ao fim(!), fiz o ótimo resultado de 2h4m20s. Acima das míticas duas horas, mas muito abaixo do que eu podia prever na minha estreia. 

Obrigado por isso a todos. Aos que me puxaram, incentivaram ou fotografaram. E a todos os que ao longo deste últimos meses me animaram, me incentivaram e me ajudaram a aprender a correr!

Runbeijos e runabraços


4 comentários:

Patrícia Calado disse...

Parabéns Cláudio!! Nem imagino a felicidade que deve ser acabar uma meia-maratona!! ;)

Eu vi-te antes da meta e vinhas muito fresquinho!!!

João Ralha disse...

Parabéns Cláudio,

Pelo desempenho e pelo excelente relato que nos fazes.

É um marco da nossa "história" atlética completar a 1ª Meia Maratona. E é um facto que, com objetivos definidos, um plano de treinos e determinação conseguimos atingir resultados antes, para nós, inimagináveis.

A seguir é melhorar e no futuro partir para outros objetivos.

Parabéns a todos os nossos companheiros que bateram os seus melhores tempos. E a todos os que participaram nesta simpática prova, bem organizada.

A seguir à corrida, um almoço muito animado onde pudemos trocar ideias, experiências e confraternizar.

Runabraços

Jorge Duarte Pinheiro disse...

Parabéns, Cláudio, pelo relato e pela evolução, cujo resultado ora se evidencia. Foi preciso muito querer e muita cabeça.
Parabéns a todos os que participaram e em especial aos que obtiveram bons tempos. Obrigado aos que não correram a Meia e que nos apoiaram.
Runabraços

Nuno Sentieiro Marques disse...

Muitos parabéns Cláudio.

Para chegarmos ao 10, temos que passar pelo 5, 6 , 7, 8 e 9 :).

Grande estreia.
Fantástico resultado para quem anda nestas aventuras à tão pouco tempo...agora, agora é sempre a melhorar :).

Runabraços