segunda-feira, 30 de abril de 2012

7ª. Edição da corrida do SLB-BENFICA


“Realizou-se neste Domingo, dia 29 de Abril de 2012, a 7ª. Edição da corrida do SLB-BENFICA, este ano com a particularidade de prestar a título póstumo, uma singela homenagem a um grande atleta, que foi António Leitão.

Apesar de muito justa, a homenagem peca por tardia, aliás é assim com todas e todos que abandonam o convívio com os seus familiares, amigos e companheiros de vida. Faço esta afirmação por entender que é em vida que se devem prestar os tributos, a todos aqueles que, com o seu labor dignificam as cores de Portugal.

Mas como diz o povo, mais vale tarde que nunca.

A corrida principal de 10 Km contou, com alguns milhares de atletas, ao que acrescem os participantes na caminhada/corrida dos 5 Km. No final a chuva e alguns percalços organizativos, descoloriu a mancha vermelha que inundou por algumas horas, as imediações e acessos ao estádio do SLB, entidade organizadora.”

Retirei a introdução de um texto escrito pelo nosso companheiro de corridas Albisio e ao qual não retiro ou adiciono uma virgula (não vale a pena inventar a roda e aproveitei a introdução já feita J ).

Relativamente à participação da “armada laranja”… uma vez mais fenomenal.

Infelizmente faltam muitos companheiros na foto de partida, e devido à chuva no final, não foi possível efetuar a habitual foto de família…como é natural, foi uma autentica debandada assim que apareceu a primeira aberta.

Para não correr o risco de me esquecer de ninguém não me vou atrever a colocar nomes…no FB estão expostas muitas fotos onde penso ser possível visualizar a grande maioria de “Laranjas” presentes.


Sobre a prova, não há muito a dizer.

Um percurso que de bonito, na minha opinião, apenas tem a passagem pelo estádio a meio da prova e o final com a meta junto à estátua do Eusébio.
É também um percurso difícil, nada propenso a grandes marcas.

Apenas quero deixar duas pequenas criticas à organização (que penso que melhorou em muito o problema de entrega/levantamento de dorsais que se verificou o ano passado):

- Parece que não precaveu convenientemente a última parte do percurso (cerca de 500m).
Ao contrário das edições de anos anteriores, o grupo dos 10Km e o grupo da marcha, “cruzaram-se e juntaram-se” para a parte final da corrida. Poderiam ter sido provocados alguns acidentes desagradáveis...estavam muitas crianças a participar na marcha e um simples choque poderia ter deixado mossas.

- O Controlo dos tempos e das passagens intermédias…entre partida e chegada, eu fiz 2 minutos e algo a menos. Não que seja importante, mas gostamos de ter a parte real de corrida controlada e devidamente cornometrada.
Mais grave que isso…vi muito boa gente que ao aperceber-se da falta de controlo em alguns pontos, atalhou e de que maneira muito caminho (não consigo entender o que ganham as pessoas com isto, mas não deixa de ser desagradável para os demais).
 

Como resumo e no que mais me interessa…foi uma manhã muito divertida e com a habitual diversão e partilha entre toda a “equipa laranja” e muitos outros membros do pelotão que já nos vão conhecendo e acabam por se ir juntando e partilhando da nossa companhia e sã camaradagem.
 

Até para o ano, assim o espero…com um ou outro ajuste que me parece importante que sejam levados em conta.

Runabraços

domingo, 29 de abril de 2012

Corrida do 1º de Maio

Os dorsais poderão ser levantados amanhã, 2ª feira, 30 de abril entre as 17:00 e as 19:00 horas, no Estádio 1º de Maio.

Eu irei lá levantá-los e estarei na 3ª feira, a partir das 9:15, na porta do estádio na Av. do Rio de janeiro. Não se esqueçam de levar os alfinetes.

Quem não se inscreveu na corrida como Run 4 Fun terá que ir levantar o dorsal ou então dizer em "comentários" o nº do dorsal que lhe foi atribuído para que o possa levantar. Na lista da organização, estão os seguintes atletas inscritos na nossa equipa:

51   - José Carlos Moreira de Melo
202 - Joaquim Carvalho Lopes
207 - Jorge Duarte Pinheiro
224 - Jorge Paulo
257 - Rui Ralha
259 - José Magalhães
260 - António Desidério
261 - Pedro Mendes
316 - João Ralha
317 - Hilário Torres
318 - Rúben Silva
346 - Raul Jorge Matos
347 - Rogério Paulo Matos
348 - Fernanda Borges
391 - Mónica Migueis
392 - José Bagina
447 - João Veiga
658 - Rui Moreira Oliveira
659 - Isabel Louro Oliveira
660 - Amélia Louro Gonçalves
661 - Carlos Alberto Gonçalves
757 - Luís David
758 - Sérgio Ribeiro
759 - João Fialho
839 - Paulo Raposo
840 - Nuno Simão
935 - Eduardo Correia
1200 - Gonçalo Lopes
1286 - Manuel Romano
1313 - Cláudio Monteiro


Runabraços

Treino Dominical - Vela Latina

Hoje tivemos um treino diferente. Reunimos um grupo de companheiros na Vela Latina, e fomos em direção ao Estádio Nacional, guiados pelo experiente Alfredo Falcão.

Estiveram a Fernanda Marques, que se encontrou connosco e seguiu o seu treino, a Luísa Ralha a Mónica Miguéis, Alfredo Falcão, César Moreira, Hilário Torres, João Ralha, Jorge Duarte Pinheiro, José Bagina, João Pedro Palmela e Rui Ralha, mais um amigo do Jorge.

Um total de 19 kms, (o Jorge fez mais uns quantos pois andou, novamente, a fazer "piscinas") com passagem na Fundação Champalimaud, depois junto ao "Open" de Ténis, umas voltas na pista de cross do Jamor, umas voltas, muito agradáveis na pista de tartan do centro de alto rendimento, mais umas voltas à pista de remo do Jamor e regresso até à Vela Latina onde existia uma fila enorme de turistas para visitarem a Torre de Belém.

Como dizia o Alfredo fizemos um treino turístico, uma ideia a repetir.

Runabraços

I Trail Arribas do Tejo


O dia começou bem cedo com a saída de Lisboa por volta das 6h30 uma vez que a viagem seria de aproximadamente 1h30 e a partida estava marcada para as 9h. Durante a viagem aproveitámos e ficámos a conhecer a origem dos nossos gostos pela corrida e também os nossos habituais treinos e participações em corridas.

Chegados ao local previsto para a entrega dos dorsais, que era um antigo armazém de resina, tudo decorreu dentro da normalidade e com muita simpatia. O ambiente, apesar de estar uma temperatura em pouco fria, era bastante agradável e via-se que o espírito de quem estava presente era de puro divertimento.

Em conversa com a organização, ficámos a saber que a prova esteve quase para ser cancelada nos últimos dias por questões burocráticas mas que felizmente tudo se resolveu. Em relação à altímetria e percurso, também soubemos que poderia ser "ligeiramente" diferente do apresentado. Sendo esta uma prova de participação gratuita e organizada com a (muito) boa vontade de alguns, estava previsto o Carlos Sá fazer "um reconhecimento" do percurso e efectuar essas recolhas, no entanto devido ao estado em que ficou após a (excelente) participação na Maratona do Deserto tal não foi possível.

Estando tudo prontos em termos de controlo (rigoroso) dos participantes, fomos depois encaminhados para o local de partida que se situava na estação de caminhos-de-ferro Alvega-Ortiga.

Os primeiros quilómetros foram feitos em terreno de estrada e já havia quem "dizia mal" quando se iniciou realmente o percurso de trail com as habituais subidas e descidas. Logo ao princípio quase me perdia porque estava a tentar seguir um grupo de uns 10 atletas e nem me preocupei em procurar as habituais fitas indicadoras de direcção. O que valeu foi que o meu desvio foi muito curto porque entretanto os que seguiam mais à frente nesse grupo se aperceberam da falta das fitas.

Uma parte considerável da primeira metade percurso foi feita na margem do rio Tejo o que torna sempre bem mais agradável a progressão. As paisagens eram lindas e o percurso estava bem sinalizado e sem dificuldades de maior. Além da passagem pela praia fluvial do Alamal, havia inclusivamente uma parte feita em "passadeira de madeira" com alguns degraus à mistura mas muito, muito agradável e bonito.



Já perto dos 12Kms, no cimo do castelo de Belver estava o 2º abastecimento (que incluía sólidos) e a vista deslumbrante sobre o Tejo era magnífica.

Depois desse abastecimento arranquei sozinho e após cerca de 1Km, desci por um caminho errado só tendo dado conta disso cerca de 400m depois e com o regresso a ser bem penoso uma vez que
era uma subida bem íngreme. Foram aproximadamente 5m "perdidos" e mais uma subida nas pernas.
Voltado ao caminho correcto, o percurso tornou-se diferente e foram várias as subidas íngremes que fiz a andar uma vez que o percurso era bem mais duro. Passámos por locais lindos, incluindo algumas pontes, e com vistas deslumbrantes; como o piso não tinha grande dificuldade deu para apreciar bem a paisagem. 




O facto e não se saber ao certo quanto falta e que tipo de percurso iremos "apanhar" condiciona sempre o ritmo mas quando o terreno era propicio, lá dava umas "arrancadas" o que permitiu passar vários atletas perto do Km 25. Por exemplo, no 4º e último abastecimento haviam dito que só havia mais uma subida e depois seria sempre a descer... mas a realidade foi bem diferente.


À chegada ao armazém, o ambiente era muito acolhedor e estavam disponíveis líquidos e sólidos em quantidade bem generosa.
Já com todos os RUN4FUN reunidos, e mesmo sem termos ido ao merecido banho, passámos à parte de degustação... uma bela sopa, uma sandes e fruta.
 
O ponto alto da participação da armada laranja foi a subida ao pódio da Ana Groznik para receber o prémio relativo ao brilhante 2º lugar da classificação feminina.
Salientar também que durante o percurso foram vários os atletas que iam perguntando pela Ana... já ganhou uma notoriedade espantosa no mundo do trail.


O saldo foi deveras positivo e no regresso a casa, uma vez mais a conversa foi bem agradável com a partilha de experiências pessoais e profissionais... muito bom mesmo.

Infelizmente por motivos de ordem pessoal de última hora o Teodoro não pode estar presente.

Links para fotos disponíveis pela organização e para a produção do Jorge Cancela:

sexta-feira, 27 de abril de 2012

Corrida das Fogueiras 2012 - Centralização das inscrições

Caros Amigos,
Como já vem sendo hábito, seguramente que os Run 4 Fun estarão em peso a participar nesta mitica corrida.

Por questões de centralização de inscrições, tal como na corrida dos Sinos e a pedido do João Ralha, estou totalmente disponível para fazer a gestão das mesmas.

Assim sendo, para quem pretender, envie-me apenas um email (nmarques@totalstor.com) com as informações básicas para poder efectuar a inscrição: nº BI ou CC, data nascimento, e-mail, telemóvel, localidade residência e tamanho camisola (são Asics).

O custo da inscrição para os 15 km, são 5 € e para os 6 km são 3 €.

Responderei ao email com a referência de pagamento via MB.

Ou seja, a nível operacional, farei exactamente o mesmo que fiz para a corrida dos Sinos.

Qualquer dúvida disponham.
Runabraços,
Nuno

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Corrida do 25 de abril - 35ª Corrida da Liberdade

Uma grande corrida com dezenas de companheiros e mais de um milhar de corredores num bom ambiente para correr. A chuva "molha-tolos" até acabou por ser agradável.

De saudar o regresso às corridas de alguns companheiros recentemente recuperados de lesões, como o Franco Wudich, o Cláudio Monteiro, os irmãos Rogério e Raúl Matos, o reencontro com outros que já não corriam há algum tempo, como o Rui Silva, um grande conjunto de corredoras Run 4 Fun, muito bonitas...como sempre, dos maiores que temos tido em provas.  Lembro-me da  Camila, Carmen, Énia, Fernanda, Filipa, Isabel, Luísa, Mónica. É sempre um risco estar a listar pois posso-me esquecer de alguém. Se for o caso, desculpas...... :) . E é claro, a Maria Antunes, a fazer reportagem fotográfica,  na meta.

Ainda, a participação, pela 1ª vez com a nossa camisola, do Paulo Raposo o nosso companheiro nº211, a corrida do Rui Raposo com o jovem sobrinho Guilherme Candelária que lhe ganhou uns quantos minutos, a reportagem fotográfica que aguardamos do nosso formidável Zé Carlos Melo, o esforço do Paulo Ribeiro que incentivado pelo Jorge Esteves conseguiu um bom tempo......apesar de alguns quilitos a mais.........

Um abraço para o António Pedro Mata que lá estava na Av. da República, com a  nossa camisola, a incentivar os atletas. Boa recuperação, António Pedro.

No início e no final, o mais importante de tudo, um convívio muito agradável entre os nossos companheiros extensivo a muitos outros "locos" (esta é para ti, Nuno S Marques!! :)) que correm.

Runabraços

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Maratona de Madrid e outras maratonas espanholas (Sevilha, Barcelona)

No final de 2011, ao ler um artigo da Revista de Atletismo sobre as principais maratonas da península ibérica, deu-me a ideia de fazer algumas Maratonas no país vizinho. Após ter participado em 2012 nestas 3 das maiores maratonas ibéricas, deixo um breve comentário do que observei enquanto corredor de pelotão, relativamente a algumas diferenças.

* Sevilha (>4.300 finishers):

- Preço de inscrição com a melhor relação custo-benefício. 2 pastas party bem servidas (uma na véspera e outra no final), camisola técnica, calções, meias e toalha.
- As melhores condições logísticas concentradas no interior do estádio de Sevilha, guarda roupa bem organizado e banho no final. Mas teve uma enorme fila para distribuição dos dorsais.
- Tem o percurso mais plano. Mas a paisagem do percurso é menos motivante, exceto ao longo do rio e no estádio.
- Início e fim no estádio olímpico, particularmente motivante no final, tanto na entrada do estádio pelo túnel como na volta final.
- Não permite deslocação subterrânea de apoiantes por metro.

* Barcelona (>16.000 finishers, a maior Maratona Ibérica):

- Corrida de pequeno almoço na véspera no parque de Montjuic e no estádio olímpico. Espetáculo visual noturno de véspera, integrado no programa.
- A pasta party mais fraca. A melhor feira de desporto e mais completa. A menor fila na distribuição dos dorsais.
- Muito apoio popular e o mais animado ao longo do percurso com bandas e festas. Empolgante na zona da Torre Agbar mas principalmente no centro histórico (Plaça Catalunya, Catedral e Ramblas).
- Os abastecimentos mais completos durante o percurso e no fim da prova.
- O último terço do percurso é a parte mais agradável, ao longo da margem mediterrânica e no centro da cidade.

* Madrid (10.000 finishers):

- A mais difícil, seja em termos dos 600 m de altitude da cidade de Madrid, como nas subidas da prova que embora pouco acentuadas são muito longas, seja na parte inicial como na parte final da prova após o km 35 (ao terminarmos o percurso na Casa de Campo, vemos o Palácio Real bem lá no alto e percebemos o declive desta prova);
- Início e fim da prova em locais distintos, significativamente afastados um do outro.
- O guarda-roupa: Quem queria usar o guarda-roupa, tinha de deixar a roupa no local da chegada, e deslocar-se para a partida (passaram por mim vários corredores que corriam com o saco do guarda-roupa na mão devido a esta falha organizativa);
- Apoio de muitos elementos da organização, deslocando-se em patins ao longo de todo o percurso, constituindo um apoio importante ao corredor com sprays e vaselina.
- A que tem maior quantidade de apoio popular, com a distribuíção mais uniforme ao longo do percurso.
- Animação com várias bandas de rock ao longo do percurso.
- Guia útil para os apoiantes acompanharem a prova deslocando-se pelo metro.
- Os abastecimentos menos completos ao longo do percurso. Boa zona de apoio ao corredor no fim da prova. E animada.
- O percurso mais bonito e variado, percorrendo o interior de parques e a Casa de Campo.
- A medalha mais bonita.

Gostei particularmente das Maratonas de Barcelona e Madrid.

O percurso da Maratona do Porto é em minha opinião mais bonito do que qualquer destas 3 provas, ao longo da marginal atlântica do Porto e nas margens ribeirinhas de Porto e Gaia apresentam ao corredor uma bela paisagem.

Face a todas estas provas, a Maratona de Lisboa fica bem abaixo. E a cidade de Lisboa bem merece uma Maratona melhor.


O RUN 4 FUN NA MARATONA DE MADRID:

Quanto à Maratona de Madrid deste último Domingo, Muitos Parabéns ao contingente Run 4 Fun que se deslocou à capital espanhola para participar na Maratona, para os 10 kms, apoiar os nossos atletas e disfrutar do ambiente e desta grande Maratona.

Ao Gonçalo Melo, estrente na Maratona com um grande tempo na sua estreia (3:51). Ao João Pedro Palmela (3:43), Nuno Tempera (3:49) e Nuno Marques (4:13) pela conclusão de mais uma Maratona. E esta não era nada fácil, apesar da boa temperatura e do ambiente nas "calles".

À Filipa Cabaça, Cristina Caldeira, Carmen Greff, Maria Antunes, Paulo Ribeiro e Rui Ralha nos 10ms e no final a incentivarem e acompanharem os kms finais.

Bem como como aos restantes atletas Portugueses na prova e aos apoiantes Lusitanos em grande número nas ruas de Madrid. Muitos dos quais eu acompanhei na deslocação e estadia organizada pelo "Mundo da Corrida".

Por fim, uma palavra para a grande emotividade espanhola. O cidadão comum a incentivar os corredores com gritos de Venga! Animo! Campeón! que entram no ouvido e dão um ânimo para o atleta se motivar.
Coisa pouco frequente por cá.

Olé!
RunAbraços.

terça-feira, 17 de abril de 2012

9ª Maratona


Mais uma maratona concluída! A segunda das big five.
Berlim, Boston...se seguir a ordem alfabética a seguir Chicago, se não o que prevejo é em Novembro NY.
Prova muito bem organizada numa cidade que até agora, das que já estive é a que mais vive a maratona com tudo pensado ao pormenor desde a feira, entrega de dorsais, uma organização irrepreensível.

Num dia muito quente com 31 graus, (desde 1976 que já não se verificava tal temperatura no dia da prova) um ambiente fantástico a começar pelos autocarros que transportam o pessoal desde back bay(final da prova) onde estavámos hospedados (back bay hotel, recomendo vivamente), até à runners village onde começa a prova com 3 partidas, 10:00;10:20 e 10:40am.
Nunca tinha visto o percurso todo, 26,2 milhas com um publico aos gritos a dar água, gelados, bolos caseiros, gelo, mangueiras com água para os corredores se refrescarem.
É realmente uma festa!

Ninguém se pode queixar pois a organização não falhou , havia abastecimentos quase de km em km, tendas dos bombeiros para passarmos com chuveiros, as bocas de incêndio abertas para nos refrescarmos novamente, posso dizer que estive todo o tempo da prova encharcado e não consigo calcular a quantidade de líquidos que bebi.

Encontrei um grupo de portugueses que correm com a camisola de Stress, eu era o único com a “laranjinha”.
Soube que acabaram todos também com tempos muito além do que é normal para eles, e, houve um que ao km 32 desistiu, sentiu-se mal e dirigiu-se a uma tenda da cruz vermelha que o levou para o hotel.

Foi a minha 9ª maratona, de certeza a mais quente e acabei em 04:10.
Todas diferentes mas com um prazer enorme em tê-las concluído! Isso ninguém me tira.
Para terminar os empregados do hotel dirigiram-se a mim para dar os parabéns e à porta estavam a dar garrafas de água para quem passava e precisava.
Recomendo.

segunda-feira, 16 de abril de 2012

Barcelona 42,195.3,10.4,30 - A minha maratona



Barcelona 42,195.3,10.4,30

A minha maratona.

Nos últimos três anos tenho participado numa maratona internacional em conjunto com um grupo de amigos, em 2011 decidimos que a maratona a correr em 2012 seria a de Barcelona. Um dos elementos trata de toda a logística organiza a viagem e faz a inscrição na prova, o que facilita um pouco a tarefa dos outros elementos do grupo.

Quando se faz a inscrição nestas provas é necessário definir à partida o nosso tempo objectivo, assim na primeira reunião que realizamos onde cada um deveria dar o seu tempo eu dei 3h10’. Objectivo ambicioso dado que o meu melhor tempo era 3h23’, mas achei que teria de ser assim já que iria ter 3 meses de treino específico para a maratona, melhor seria tirar o máximo proveito.

Definido o objectivo tinha de reunir as condições necessárias para a realização do mesmo, em primeiro lugar o plano de treinos. Esta foi a parte mais fácil pois tenho tido a sorte de ter como treinador o Pedro Pessoa, que têm realizado todos os meus planos de treino de acordo com as provas que me proponho participar. A partir de Janeiro começamos com o treino específico para a maratona que se iria realizar em 25 de Março, dava os tais 3 meses de treino. O esqueleto base era o habitual treino 6/7 vezes por semana, séries curtas (de 200 a 800 m) à quarta-feira, séries longas (1,000 a 3,000 m) ao sábado e treino longo ao Domingo, em termos de volume uma variação entre 80 a 120 km por semana.

O principal problema era o treino em si, pois normalmente treino sozinho por dificuldades de horário e também de encontrar o grupo certo, dada a diferença de ritmos de corrida. Assim para colmatar a solidão do treino resolvi utilizar o “facebook”, iniciando aí a publicação de pequenos relatos com o andamento dos meus treinos, o que de alguma forma me obrigava a manter focado e não desanimar. Fui escrevendo tudo o que me ia na alma momentos melhores e piores, o “feedback” que ia recebendo foi muito importante para mim pois sentia que de alguma forma estava acompanhado. A importância de estar integrando em dois grupos foi aqui muito importante, o Run4Fun, é impossível alguém sentir-se sozinho pertencendo a este grupo e o grupo do Pedro com atletas de vários níveis, que de alguma forma conseguem treinar em conjunto à 4ª feira na pista da Sobreda.

Definido o objectivo, reunidas as competências e os meios, iniciado o treino, havia que realizar algum controlo da evolução do mesmo. Foram utilizados três treinos de ritmo 12/15/15 km à segunda-feira, de modo a controlar a resposta ao ritmo maratona. Os treinos foram muito positivos, servindo não só para testar o ritmo como para ir aumentando a confiança. A viragem seria com o treino longo de 32 km, no ano anterior tinha-me lesionado neste treino ficando impedido de participar na maratona de Sevilha de 2011, desta vez as coisas correram melhor e agora era gerir o resto dos treinos até ao dia da prova.

Dia 23 de Março viagem para Barcelona, a vontade de correr era enorme apesar de sentir que nem tudo estava bem era necessário um último esforço. Dia 24 feira da maratona para levantar o dorsal, lá encontrei o Francisco, o Carlos e o Nuno muito animados tinham vindo do Breakfast-Run, trocamos os cumprimentos habituais e parece que o ânimo tinha voltado.

Dia 25 Março, chegamos ao grande dia, saída do hotel bem cedo por volta das 7.00hrs a prova começava às 8.30hrs caminhada a pé até a zona da partida, cerca de 1,5 km que se fizeram com muita alegria, com a paragem obrigatória para o café. A zona da partida tem uma organização fabulosa, pela primeira vez deixei a minha roupa guardada e fui aquecer, 10/15 minutos fantástico, sentia-me bem apesar de cansado com as noites mal dormidas, tentei interiorizar falta completar 42,195 km do plano de treinos não posso falhar agora. Assim foi fui para a partida, mais uma excelente surpresa ouvir Freddy Mercury & Montserrat Caballé cantarem "Barcelona" foi um momento maravilhoso, esta prova surpreendeu-me sempre pela positiva.
Corri a prova como gosto a controlar sempre o andamento, na casa dos 4’30’’/km para conseguir o objectivo final, houve alturas em que tive de reduzir outras de acelerar e lá fui andando até ao km 40 tinha 3h de prova e senti está feito agora é controlar até a meta e evitar qualquer problema. Foi a primeira vez que cortei a meta muito emocionado, a chorar, tinha conseguido o que me tinha proposto agradecia a Deus ter-me proporcionado este momento. A determinada altura do percurso existem 500/600 metros em que só passam 2 atletas de cada vez, fantástico, o público todo em cima de nós sempre a incentivar fez-me lembrar as etapas da Volta a França com os ciclistas a chegar ao cimo da montanha e o público mesmo em cima a aplaudir, foi algo indiscritível.

Fico o meu relato, algo longo, mas o meu jeito para a escrita não é dos melhores.

Próxima maratona Estocolmo 2 de Junho de 2012, sem objectivos definidos à partida com muito fun para uma fantástica run.

sábado, 14 de abril de 2012

116ª Maratona de Boston


Todas as maratonas têm a sua história e isso é quase um cliché, mas Boston é de facto a mais emblemática de todas, para mim.
Para começar as temperaturas esperadas para o dia da prova são de 31ºC o que é de facto muito alto e a organização têm estado a enviar mails constantes a alertar o pessoal para o protector solar, pelos cuidados por forma a evitar a desidratação, etc.
No que toca à feira quando fui levantar o dorsal, bem ...incrivel além dos produtos que estão em exposição de uma diversidade enorme, também ilustres são aqueles que as visitam, conforme podem ver na foto. É de facto arrepiante estar com aquelas pessoas a que me habituei a admirar pela força e persistência que todos podemos ver no you tube. Para além disso também lá estava o Dean Karnazes, figura que dispensa apresentações para quem anda nisto das corridas. Mais noticias depois da corrida.
Run abraços
EC

quinta-feira, 12 de abril de 2012

Parcerias com entidades

Já existia um separador para este assunto no nosso blogue. Chegou a hora de concretizar a 1ª parceria entre o nosso clube e uma entidade que pode proporcionar serviços úteis para os nossos membros, com condições diferenciadas.

A razão de ser desta parceria são as boas recomendações de membros do nosso clube relativamente à qualidade do serviço que receberam, no caso do GFD, no tratamento de lesões. Será este o princípio básico que iremos seguir em eventuais parcerias futuras.

No separador "Parcerias", estarão as informações necessárias de contato.

Runabraços

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Sábado de Aleluia - Um dia especial entre desporto e convívio R4F


Caros Amigos,

Depois de alguns comentários no FB altamente e profundamente inspirados, até tenho receio de apresentar este relato.

Obviamente que um dia tão especial, como foi o do passado sábado, merece um relato de alto nível, como tal peço que nos vossos comentários, dêem algum sumo às linhas que aqui deixo.

Eu corro e divirto-me no seio dos R4F à pouco mais de ano e meio.
Tenho passado por momentos especiais e únicos, em torno de um espírito que não se consegue explicar…apenas sentir.

Está criado um grupo de pessoas, fantásticas, bem formadas, amigas, generosas, divertidas…enfim, faltam-me adjectivos para qualificar o quanto de especial é este grupo de pessoas, que pode ser definido também com a expressão do já antigo spot publicitário “todos diferentes, todos iguais”.

Sábado de Aleluia de 2012 foi o exemplo disso mesmo.

Sem querer ser de todo arrogante, antes pelo contrário, na minha humilde opinião passámos em conjunto um dia único, onde tudo correu muito bem e que servirá seguramente para mais tarde recordar, apenas e só pelas boas e divertidas recordações que nos deixou.

Após termos tido conhecimento de mais um infeliz cancelamento de uma prova histórica do atletismo popular Português “O Grande Prémio da Páscoa”, inserido nas festas da primavera da bela vila de Constância.
Os R4F, aproveitaram e de “uma paulada, deram cabo de vários coelhos”…ora se não vejamos:

Recordámos e homenageámos a referida prova, fazendo o Seu percurso a correr (a ideia era partir à hora habitual, mas os atrasados do costume, provocaram uma saída tardia :-) ).
Rolámos em ritmo de passeio durante os 5Kms do trajecto, sempre acompanhados de reportagem fotográfica (obrigado Manuel António).



Para aumentar a intensidade da brincadeira, após o trajecto habitual, subimos em direcção a Martinchel (alguns caminharam…a subida era puxadinha) e depois…depois meus amigos, a descida até à vista magnífica do Castelo do Bode.
Parámos, apreciámos e continuámos o nosso passeio na margem contrária do Rio Zêzere, até ao “cais de embarque”.

“Cais de embarque”, que não era mais que um amontoado de mato verde e pedras, onde iniciámos a segunda (ou terceira…como lhe quiserem chamar) aventura do dia.
Entrámos “cais a dentro”, pelo qual deslizámos com as respectivas “canoa e pagaias” até meio atabalhoadamente conseguirmos ficar, na maioria dos casos aos pares, sentados na canoa e a deslizar rio abaixo.

Ficou evidente a maior ou menor perícia de cada um dos marinheiros, uns navegando mais a direito, outros tipo “zigue-Zague” (uma nova técnica muito utilizada em algumas filas de transito das grandes cidades), outros pura e simplesmente por falta de visão encalharam na margem, em rochas ou mesmo contra outras embarcações e houve quem inclusivamente não resistisse e mergulhasse nas águas gélidas do Zêzere :-).
Acima de tudo, penso que foi uma experiencia “Espantasticodivertida”

Na chegada a Constância, ficou claro que alguns de nós estavam a precisar de um banho quente ou algo similar.
Enquanto a maioria se deslocou até às instalações do parque de campismo local para tomar o referido banho, um grumo mais pequeno, denominado “equipa da grelha” foi andando para o Casal do Sicário, em Riachos.


Aqui chegados iniciamos a parte final e mais “dura” do nosso dia de aventuras.
Em local com fantásticas condições e com tudo muito bem arranjado e preparado, iniciámos o nosso grande “piquenicão”… onde nem pela falta do Tony se deu, tal foi a animação.

Escusado será dizer que a “equipa da grelha” aumentou substancialmente, sem tirar qualidade aos petiscos que iam chegando à mesa, a partir do momento em que os grelhados começaram a sair.

Boa carne (excelentes os lombinhos de porco preto com que o Alfredo nos decidiu presentear), e muito bem grelhada, uma canjinha quentinha de entrada, que caiu a matar, bom pão e bom queijo e uma variedade de sobremesas e frutas que nem num casamento abastado conseguiríamos encontrar.

E depois meus amigos….depois é aquilo que somos e que faz de nós um grupo de pessoas, que não é melhor nem pior…é diferente.
Diálogo, diversão, paródia, partilha, boa disposição, enfim, aquele espírito que cada um de nós sente quando está envolvido por este grupo de amigos e que é da responsabilidade de cada um conseguir manter.


Resta-me agradecer em nome dos “Animadores de Constância”, às quase 70 pessoas (entre RunFunners, familiares e amigos) que num sábado de Aleluia, se juntaram a nós e disponibilizaram o Seu bem mais precioso (o tempo) para construir em conjunto o que foi um dia inesquecível.
Bem-hajam.

Runabraços
“Os animadores de Constância”
Franco
Gerardo
NunoM
NunoT

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Constância - Convívio Run 4 Fun - Last call

Cara(o) Amiga(o),

O dia do nosso convívio é já depois de amanhã. Tudo está a postos prontos para receber cerca de 50 participantes neste convívio Run 4 Fun.

Antes de mais, Parabéns e Obrigado por estares presente.

Resta dar as recomendações finais :

- Ponto de encontro à saída de Lisboa, para quem quer partilhar boleias:
  • Hora: 8:15 - Parque das Nações - Zona Norte, onde começamos os nossos treinos e onde se fez a distribuição da nova camisola.
- Ponto de Encontro em Constância: Parque de estacionamento junto ao Rio em Constância:
  • Hora : 10:00

Constância fica a cerca de 140Km de Lisboa…sempre auto-estrada. Em velocidade normal deveremos pensar em 1:20 a 1:30 de viagem.

Agenda :

  • Hora: 10:15 - Inicio da Corrida rio acima em direcção ao Castelo de Bode pela Margem esquerda do Rio Zêzere e volta pela margem direita até à zona de saída dos kayaks. São cerca de 13k.

Haverá apenas uma carrinha de apoio que transporta as canoas.Vamos em auto-suficiência.Ritmo na ordem dos 6:00 / 6:15 o Km.

Teremos duas pessoas à frente e duas atrás para gerir/informar o transito…a estrada é apertada, teremos que ir com cuidado (pelo menos na parte Constância-Bode.

  • Hora: 12:00 - Descida do rio em kayak de volta a Constância

São kayaks de dois lugares e o equipamento é composto por, capacete, pagaia e colete, com acompanhamento técnico. Custo : 12,5€s por pessoa

Talvez um protector solar não seja má ideia….
Quanto ao calçado, aconselhamos que levem um tipo de calçado que possa ir à água para trocar no final da corrida.

Em Constância teremos, tudo indica, balneários para mudar de roupa.

Para quem vai apenas fazer canoagem, arranjaremos uma forma de transporte que servirá também para colocar sacos/mochilas para mudas de roupa, corrida - canoagem, para quem assim o entender.

  • Hora: 14:30 - Inicio do Churrasco no Casal do Sicário, em Riachos.

De Constância a Riachos teremos de levar os nossos automóveis.

O Casal do Sicário, é um espaço para casamentos, baptizados e festas e estará totalmente disponível, em exclusivo para o grupo. Temos estacionamento no interior do espaço.

Por forma de controlo de custos, a ideia é fazer um mega piquenique (mas sem o Tony Carreira…já tinha compromissos). Teremos localmente as bebidas, pão, batatas fritas de pacote, ingredientes para fazer a salada e carne para grelhar, frango, vaca, enchidos… (existe grelhador no local).

Haverá seguramente voluntária(o)s quem se disponibilizem para arranjar a salada da mesma forma que vai existir uma equipa de "grelhadores oficiais".

Fica ao cuidado de cada família levar as bebidas refrigerantes ou batatas de pacote ou sobremesa (não vale a pena entrar em grandes loucuras para evitar desperdícios).

Os custos, com os comes (carne e pão) e bebes (cerveja) e a limpeza do espaço bem como a presença de uma pessoa para dar o devido apoio, serão divididos pelos adultos presentes.

Runabraços e até…Constância.

Links úteis

Corrida :

http://maps.google.pt/maps?f=d&source=s_d&saddr=Const%C3%A2ncia&daddr=Acesso+Particular&geocode=FYBdWgIdOsOA_ykpldguCmUYDTFGsLr5JD_Nqw%3BFaY7WwId2LKA_w&abauth=f4e618ea:nufRBSd4j169R8a3NMOCsAKgLaA&aq=0&oq=Castelo+do+bode&vps=4&ei=Vqd9T5SPKYau8AOPzbyqAw&jsv=404b&sll=39.530129,-8.359566&sspn=0.073615,0.154324&vpsrc=0&hl=pt-PT&dirflg=w&mra=ls&num=10

Constância– Riachos :

http://maps.google.pt/maps/ms?msid=217810402609910972217.0004bcef2489f24af6332&authuser=0&msa=19&vps=2&hl=pt-PT&ie=UTF8

Clima :

http://www.meteo.pt/pt/cidadeprev10dias.jsp?localID=14&cidadeID=233


A equipa de animadores:

Gerardo Atienza, Nuno Marques, Franco Wudich e Nuno Tempera

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Returning to Trilhos de Almourol

Last year I ran Mini Trilhos de Almourol, it was my first trail. Although I was totally exhausted already after the "mini" distance, when I later saw photos from the event I regretted not seeing the whole route and I made a promise to do this year the bigger distance. But I have to confess, this Sunday morning before the start, I honestly regretted being registered for 42 km, it is a scary distance! I guess I would be even more afraid of a street marathon which is probably physically easier for being more flat, but it must be mentally tiring and monotonous - well, I will never know for sure unless I do it one day, which is not very likely...

After the first two or three kilometers I stopped asking myself why on Earth I am doing this - I was too absorbed with technical demands of the terrain and fascinated by amazing views and natural beauty everywhere. No words to describe it! The event was perfectly organized, the organizers have an impossible task to make any improvements in the future, everything to the last detail was thought out and taken care of, all the needed support was given at all necessary points of the trail, and before and after running itself, and all this support was served with humbling kindness and good spirit. No other option but to promise to return next year again!

But doing 42 km was also just as tough as I was afraid it would be. Four kilometers before the end suddenly I was paralyzed by cramps. I was rolling in pain on the floor, two runners stopped and tried to stretch my leg, they were so nice and considerate and organized for me somehow a pinch of salt from another runner - which helped immediately. I was so touched and humbled by this help and attention from co-runners, completely unknown and my best friends at that moment. I am sure I did not thank them enough. They must have been tired at the 38th kilometer, but they did not think twice and stopped immediately to help me.

Not sure if it was for the salt I consumed, or for the break I got from "resting" on the ground, or for the strong wish to finish, or simply for the adrenaline rush - but right after this cramping episode I felt completely refreshed and ran the last four kilometers without feeling tired at all. Strangely, I even felt much better than in the beginning five hours before. And it was absolutely fantastic to cross the finish line, seeing Ralha couple, João arranging a chair for me and Luísa bringing my bag from the car - I felt treated as a queen. After the shower it was so nice to sit down and eat and chat with other run4funners, waiting for the rest of the group to finish, and getting a ride back to Lisbon - already looking forward to repeating loucuras like that...

It is true that I run alone, because I also practically always train alone and I am not really used otherwise. But it is so good to belong to Run4Fun, everyone being so good-hearted and with a positive spirit. I can't stop thinking how more fun and relaxed and easy these running events are for me now. Dear all, I really appreciate it, more than I can express in any language, and I will have to find a way to thank in action and not just words, but for now I can only say OBRIGADA :-)

Ana G.


terça-feira, 3 de abril de 2012

E mais umas fotografias de Almourol












Se quiserem ver imagens duras de sangue, suor, lágrimas e até algum...amor (á prática dos trails, claro), não percam estas extraordinárias fotos de nós (e de outros) nesse emocionante trail de Almourol, do dia das mentiras de 2012.

Vários records pulverizados (a mais longa corrida em trails, o maior tempo a correr, o maior numero de coca-colas bebidas em reabastecimentos) e um espírito de corpo de atletas sempre juntos!

A tropa! A paisagem! O atravessar de rios e riachos! Cordas e pedras! Flores e troncos nos caminhos!

E castelos na palma das mãos...sim, que a poesia também toca nos corações destes bravos...

A não perder!

Lisboa International Triathlon - Half-Ironman

No dia 5 de Maio vai ter lugar no Parque das Nações o Lisboa International Triathlon, na distância Half-Ironman.

O Run4Fun vai estar presente com pelo menos com 3 atletas: O Luís Boleto, o Marco Gouveia e eu, que depois de muitas indecisões e considerações, lá avançámos os 3 em conjunto para esta aventura. Vão ser 1,9 Km a nadar à volta do Oceanário (2 voltas), 90 Km de bicicleta entra a Expo e o IC2 (4 voltas) e 21,1 Km a correr numa das nossas zonas de treino de eleição (4 voltas).
Este era um dos meus objectivos para este ano, o ano em que faço 40 anos! Desde Outubro de 2010, logo depois da Maratona de Berlim, que o meu joelho direito não me deixa voltar às corridas. Fui inclusivamente operado no ano passado a 28 de Abril, exactamente na véspera deste evento onde por exemplo o João Paulo Góis fez a parte da prova (corrida) na modalidade de estafetas Corporate. Na manhã de dia 29, quando acordei numa das camas da CUF com o joelho desfigurado e "roído de inveja" (da boa) por não poder estar a acompanhar o Góis, prometi a mim mesmo que dalí a um ano teria que estar em forma para me lançar não a um segmento, mas à prova na sua globalidade.

Não tem sido fácil, o joelho não está a 100% e não sei se alguma vez vai voltar a estar...Tenho treinado muito a natação e o ciclismo, já a corrida está muita mal preparada e embora ainda tenho 4 semanas, estou com muito receio que o joelho me venha a limitar ou mesmo a...é melhor nem pensar nisso.

Sei que o Luís e o Marco também têm estado a preparar muito bem o ciclismo e neste próximo fim-de-semana vamos treinar em conjunto um bocadinho das três disciplinas, pelo que pedimos desde já desculpa por não acompanhar o resto do grupo a Constança.

Contamos sinceramente com o Vosso apoio no Sábado, dia 5 de Maio, é que bem vamos precisar!!!

30ª. Corrida dos Sinos - Mafra 2012, 1 de Abril

30ª. Corrida dos Sinos - Grande Participação dos RUN 4 FUN

Uma vez mais e repetindo a tradição de anos anteriores, uma Colorida e digna participação dos Run 4 Fun, num dia abençoado pela chuva, em mais uma das provas emblemáticas deste País que corre.

A Corrida dos Sinos (15000 metros) contou com a participação final de 1289 atletas e 82 equipas.

Realizou-se ainda a habitual caminhada dos Sininhos (6000 metros), sem fins competitivos e com a sempre animada participação de jovens dos 0 aos 100 anos.

Desta vez e a pedido de “várias famílias” fiz um requerimento especial ao “meu amigo” São Pedro, que me ouviu e nos presenteou com umas pequenas borrifadelas de água, que nos permitiram correr sob um agradável, húmido e fresco ambiente.

Foi mais uma manhã memorável por terras de Mafra.

De referir o feliz retorno ao nosso convívio atlético do João Fialho, após uma lesão longa e aborrecida e uma “forte constipação agripalhada” que muito o afectou.
Atravessou um período duro e difícil e que espero, finalmente esteja ultrapassado… a Sua presença faz sempre falta à nossa “armada laranja”.

Outra boa noticia, foi a confirmação da recuperação total do Orlando. Provou que está a voltar à sua grande forma com uma fantástica prestação.

O Jorge Pinheiro, a demonstrar que está a atravessar um belo momento de forma…esteve imparável.

O Eduardo, de uma forma tranquila lá fez os 15Km mantendo o permanente ritmo de relógio…parece que não é nada com ele.

O Albisio, aos poucos e na nossa companhia, vai voltando à Sua forma…temos aqui atleta, garantidamente.
Foi a segunda corrida connosco, além de grande atleta é também uma óptima companhia e grande ser humano.

O Franco e o João, chegaram com calma, mas ficou claro que resolveram vir em ritmo de treino a testar o estado do João.
Chegaram fresquinhos e aparentemente preparados para fazer mais 15Km.

Em grande estiveram as nossas meninas.

Qualquer uma delas melhorou o Seu PBT aos 15Km.

A Cris retirou quase 16min ao tempo que trazia da corrida das Fogueiras, que era a sua melhor prestação na distância, tive o prazer de fazer o último Km com ela e constatar que acabou muito bem e que se tivesse tido uma “lebre a puxar” poderia ter ainda feito melhor.

A Mónica muito bem apoiada pelo Zé, conseguiu também atingir o Seu PBT e do que vi, acabou igualmente muito bem e fresquinha.

Relembrar que estas duas meninas tinham a semana passada feito a estreia na distância da meia maratona.
Parece-me que qualquer uma delas tem capacidades para evoluir substancialmente as Suas performances, quer a nível de tempos quer a nível de distâncias.

Na festa das Fogueirinhas, tivemos presentes a Família Caldeira com os 4 elementos, a Margarida, a Fernandinha Costa e a Cristina Mendonça.
O Tó Zé, a Celeste, a Fernandinha e a Cristina, acompanharam com alguma dificuldade a velocidade imposta pelos mais novos, Zé Miguel, Isabel e Margarida.
Neste caso ficou claro que o futuro dos R4F está mais que garantido

Nem tudo foram boas notícias.

O Raul Jorge Matos, a contas com uma aborrecida dor/lesão, teve que cancelar a Sua presença na corrida dos Sinos, mas ainda se encheu de coragem e “atirou-se sem medos” aos 6Kms dos Sininhos.
Rápidas melhoras Raul.

Infelizmente a Carmen, o Paulo e a Fernanda Marques, não se puderam juntar a nós…sentimos a Vossa falta, mas correram connosco nos nossos pensamentos.

Deixei para o final, as observações ao nosso grande companheiro e grande amigo Francisco.
Despediu-se de nós por alguns tempos.
Obrigações profissionais, levam-no até terras de Angola, onde espero que tudo corra pelo melhor e tenha muito sucesso (e já agora que possa continuar a treinar).
Foi dos elementos R4F que mais evoluiu nestes últimos meses e dos quais que mais prazer tive em privar.
Foi um prazer muito grande ter tido o Francisco como companheiro de alguns treinos e algumas corridas.
É um ser humano fantástico que nos vai deixar muitas saudades.

Fica prometida uma subida especial à Serra assim que nos venhas visitar (penso que está previsto para Maio), como tal, arranja maneira de manteres a forma :-).

No final, lá recebemos os nossos “Sinos” e a sempre simpática recepção das gentes de Mafra…a recta da meta em pleno estádio é sempre um momento muito agradável.

Parte do grupo fez ainda a segunda parte da prova…a Corrida ao Leitão, pelas zonas de Negrais.
Infelizmente alguns de nós não puderam estar presentes, mas dos relatos que me chegaram, foi uma corrida onde vários PBTs foram igualmente batidos e em que a animação esteve sempre presente.

Deixo aqui um pequeno resumo dos resultados oficiais, o tempo oficial deverá ser ajustado devido ao facto de não haver controlo de “chip” à partida…no meu caso mais de 1min e no da Cris quase 2min!!!!

Até Constância…ou até à próxima.
Runabraços

domingo, 1 de abril de 2012

Os melhores ténis para corrida e ginásio são...

Artigo do Yahoo, o maior portal internet do mundo, e com base numa sondagem realizada aos leitores.

Interessante. Recomendo.

 http://shopping.yahoo.com/articles/yshoppingarticles/854/best-rated-athletic-shoes/

Born to Run...morreu "cavalo branco"

http://www.linkedin.com/in/paulomarcos

Morreu M.True, mais conhecido por "cavalo branco" e descrito  no livro "Nascidos para correr"/Born to run

 http://sports.yahoo.com/top/news?slug=ap-missingrunner

http://sports.yahoo.com/top/news?slug=ap-missingrunner

Eu corri uma maratona!

Há momentos mágicos na vida que ficam marcados para sempre!! Ouvir Freddy Mercury & Montserrat Caballé cantarem "Barcelona" na partida para a minha primeira maratona, onde 19.455 pessoas se preparavam para o mesmo objectivo, é um desses momentos únicos e inesqueciveis. Outro momento único e inesquecivel é, sem dúvida, a chegada apoteótica juntamente com o meu filho Francisco, que fez comigo os últimos 7Km, e ver a minha mulher Marta e a minha filha Madalena ali na reta final e tudo isto ao som dos Survivor - Eye Of The Tiger! É mágico, único e inesquecível...
Para viver tudo isto foram precisas semanas e semanas de treino intenso com o apoio incondicional de toda a Família e com a ajuda sempre presente de todos os amigos deste nosso grupo através do companheirismo e das palavras sempre amigas de motivação e incentivo nos momentos mais importantes.
Tudo começou com a parte mais fácil, a decisão de correr uma maratona! Depois a inscrição e a escolha do plano de treinos (myasics). O mais complicado estava para vir. Foram 20 semanas, 820,1Km e mais de 74 horas sempre a correr para estar pronto para este dia...para aqueles 42,195Km!!
Na vespera do grande dia, fiz um treino ligeiro com o Nuno Dias de Almeida e o José Carlos Melo. Sempre divertidos e muito bem dispostos lá fizemos quase 10Km com direito a entrada no estádio olimpico de Barcelona.
A tarde e noite foram de passeio por Barcelona, às compras, claro! Foram algumas horas, rua a cima rua abaixo, naquele ritmo tipo "loja sim, loja sim"...Enfim, acabou por ser um dia bem passado como seria de esperar numa cidade fantástica.
A passagem para a hora de Verão antecipou tudo uma hora. O dia começou cedo! A ansiedade estava lá, mas a consciência de que tinha feito o que devia para merecer estar ali também . Entretanto na vespera consegui alterar a minha zona de partida e assim sair um pouco mais à frente. O "Barcelona" dá o sinal de partida e aí vamos nós...
 É impressionante como 19.455 pessoas correm sem se atrapalharem umas às outras. Comecei bem. A estrada era larga, o que permitia uma saida bem planeada. Arranquei rápido - eu sei que não devia - é incontrolavél..."começar a matar e acabar a morrer" (Nuno Sentieiro Marques). Os tempos são ilustrativos!

Ao Km12 senti uma dor no joelho esquerdo, junto à rotula. Passados uns metros senti outra vez, mas não dei valor. Acabou por desaparecer!! E ao Km13 lá estava o meu filho de maquina em punho para registar aquele momento. Estava em grande forma...mas ia muito rápido para quem tinha de fazer tantos kilometros.
O tempo passou, os kilometros foram sendo percorridos passando pelas principais zonas de Barcelona sempre com um público muito animado e motivador...sempre a gritar por todos os corredores anónimos que passavam. Ia concentrado na corrida, sabia que o K35 estava a chegar e que o meu filho lá estaria para me acompanhar na parte mais dura da prova, já que nunca tinha ido para além dos 34K a correr. Era tudo desconhecido. Como dizia Muhammad Ali "the will must be stronger than the skill"
Na zona de abastecimentos do Km35 lá estava o Francisco pronto para esse desafio de fazer os últimos 7Km de uma maratona a acompanhar o pai. Levava o dorsal do Luis Correia, que infelizmente não pode estar em Barcelona, e o publico passou a gritar "vinga Luis...vinga Francisco". Nesta altura eu já estava a "pagar" o desgaste inicial e já não conseguia correr a uma velocidade constante. Ao Km37 começaram a aparecer umas caibras na perna direita e depois na esquerda. Ia fazendo alongamentos quando já não conseguia correr...assim que melhorava lá corria até que começámos a subir para a praça de Espanha, sempre com o público anónimo a gritar "vinga Luis...vinga Francisco"
Finalmente, a meta estava ali...A Marta e a Madalena estavam lá a ver-nos chegar! Eye Of The Tiger acompanho-nos até ao fim...e conseguimos correr uma maratona em 3:52:24 (objectivo terminar abaixo das 4horas - cumprido). Dos 19.455, fiquei nos primeiros 50% que terminaram a prova: 8.124
Estava esgotado...deixei lá todas as minhas energias, todo o meu esforço...doia-me tudo, até aqueles musculos que não sabia que tinha, mas tudo foi compensado com a felicidade do momento da chegada.
Cumpri o meu objectivo. Consegui superar um desafio enorme. Estava feito!!!
A todos os que me apoiaram, motivaram e me inspiraram ao longo de todo este caminho...
MUITO OBRIGADO!

3º Trilhos de Almourol - A prova


Mais um grande dia desportivo, com excelente tempo para a prática da nossa modalidade. Sem Sol, sem vento, sem chuva, com uma excelente temperatura numa boa organização do CLAC, a quem damos os nossos parabéns.

Apenas destoou a má disposição do "vassoura" dos Mini-Trilhos. Pessoas com presa e mal dispostas não servem para a simpática e muito útil função de "vassoura".

Excelentes resultados, a começar na Maria Antunes que ficou em 4º lugar na caminhada logo a seguir às especialistas da caminhada nórdica. Até já a querem "contratar".

Nos Mini-trilhos, o grande Zé Carlos Melo em grande forma, seguido pelo César a recuperar muito bem e pelo Alfredo Falcão. De salientar o fato de que tivemos 5 atletas a fazer o seu máximo em distância, mais de 25 km: Filipa Cabaça, Paula Carvalho, Gerardo Atienza, Rute Fernandes e Rita Felizol, com o Gerardo a representar-nos, galhardamente, numa maioria esmagadora das nossas atletas.

Nos Trilhos a Ana Grosnik, mais uma vez, deixou os nossos companheiros a "milhas". Foi seguida pelo Miguel San-Payo a recuperar de algumas mazelas nas últimas semanas, pelo Paulo Jorge, em preparação para a Madeira e pela excelente disposição dos "quatro magníficos", Jorge Cancela, Jorge Esteves, Jorge Paulo e Teodoro Trindade a acabarem juntos e com grande "FUN".

Depois de um simpático almoço, regressámos a casa com o prazer de termos participado numa corrida para mais tarde recordar.

Runabraços

Maratona de Barcelona 2012




Desta vez foi a aventura aconteceu em Barcelona, a cidade dos arquitetos inquietos onde cada edifício merece um olhar atento…

Aproveitei para fazer uma viagem em Família que tem sempre outro sabor, principalmente na meta. Deixo aqui algumas fotografias.

Quando em Dezembro de 2011 decidi por esta prova, foi pela possibilidade de fazer turismo com a família e poder passear a minha camisola laranja pelos 42K na cidade fantástica.

É de facto outra perspetiva viajar na condição de Maratonista.

Foi num espirito muito R4F, que nos encontrámos para o Breakfast Run no Sábado e que deixo algumas fotos de um memorável treino na companhia do estreante Francisco Sanches Osório e do imparável José Carlos Melo.
Treino com direito a volta no estádio Olímpico de Barcelona e a réplica da corrida Olímpica de 1984 nos últimos 5Kms desses Jogos. Espetaculares fotografias cedidas pelo JCM.

No dia da prova, a emoção foi muita ao partir entre os cerca de 19.000 Maratonistas numa praça cheia de adrenalina ao ritmo do hino de Barcelona…

O Francisco arrancou para a sua estreia determinado a terminar abaixo das 4h e com muito afinco conseguiu 3h52m, numa estreia em que brilhantemente terminou à frente de mais de metade dos corredores.
Com o apoio do Francisco filho, fotógrafo ao Km13 e corredor a partir do km 35 até aos últimos metros, foi uma estreia em grande.

Já o ultra rápido Carlos terminou a prova com uns fabulosos 3h14m a 4’37’’, apenas mais 2 seg. do seu PBT mas numa prova certamente mais dura que em Sevilha, provando que este atleta não para de nos surpreender. Sempre muito à frente.

Foi a minha 4ª Maratona desde que me iniciei em Madrid há 343 dias, em 17 de Abril de 2011.
Madrid foi completada com muitos erros e inexperiência e com o registo de 4h06m a 5’51’’Km, desde daí tenho tentado aprender com erros meus e de outros…
Principalmente através do registo e comparação dos dados recolhidos bem como a
partilha dos mais experientes.
Esta prova levou-me 3h24m35s a 4’48’’Km e com 157bpm, traduzidos em menos 42 minutos, comparativamente de um ano para cá. Os 4 minutos passam a ser a minha zona de tolerância.

Consegui melhorar e superar-me em 10m16s em relação ao anterior PBT Amesterdão 3h34m e acredito que só é possível com planeamento… desta vez o target eram os 300 minutos tendo ficado novamente a 4 minutos.

Arranquei em 4692º da geral tendo vindo a recuperar até à posição final de 3163º em 16205
atletas que a completaram, que em termos relativos traduz 19% da classificação geral.

O atraso na partida e alguma dificuldade atrás de muitos corredores mais lentos nos kms iniciais, acabou por ditar o desvio dos 4 min do final da prova.
Planeava passar a MM entre 1h36m e passei com 1h40m.
Depois aos 32Km veio o calor e até aos 40k foi sempre a cair… no final voltei a acelerar.
Algumas fotos
E recebi este apoio:
Como resumo da minha curta experiência:
Aprendi que na generalidade tenho sempre uma ligeira quebra no ritmo entre os km34 e 40 e depois tendencialmente recupero. Exceto em Madrid que estourei e acabei a andar e correr…
Relativamente à intensidade cardíaca, apesar de correr mais depressa tem melhorado sendo que Barcelona foi percorrida a 157bpm cerca de 82%, o que me dá uma esperança de melhoria na próxima.

Voltando ainda aos ritmos, á analise destes dois quadros permite concluir que estou a arrancar muito devagar e que é nos primeiros 2/3 de prova que está o potencial da proxima evolução.

Julgo que quanto ao método de treino, a intensidade é o fator mais importante, seguido da experiência acumulada e por último o da carga.

Esta prova foi a que menos treinei (considerando um período de 12 semanas antecedentes) mas num ritmo mais intenso e focado em zonas de ritmo de acordo com o de prova.
Demonstra claramente que interessa não a quantidade mas a intensidade de treino que mais condiciona o resultado final.
Correr maratonas e os R4F alteraram a minha vida, bem como a forma como faço turismo, esta foi a 3º internacional.
Venham mais, porque o treino já começou para a próxima.

Agradecimentos à minha fabulosa família pelo apoio incondicional, ao Francisco e toda família Sanches Osório pela simpatia e ao grande Carlos Melo pelo companheirismo.

Já vai longa a escrita e deixo apenas um pequeno filme que resume este fantástico fim-de- semana.

RunAbraços,
NDA