quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

23ª Maratona de Marrakech


No passado mês de Janeiro , comemorei o 20º aniversário de casamento, (pouco comum nos dias de hoje), decidimos para assinalar a data, fazer uma curta viagem de fim de semana , procurámos diversos destinos perto e “caímos” em Marrakech.
Ao chegar ao aeroporto de Menara , na sexta feira dia 27, vimos um placar a publicitar a 23º Maratona de Marrakech, aproximei-me (podia estar a ver mal) e era mesmo verdade - no domingo dia 29, perguntei à Sandra se já sabia, se era alguma partida, respondeu e jurou que não sabia, nem queríamos acreditar...

Como ainda estou a recuperar da lesão no omoplata que se designa por “escápula-alada”, já não treino com assiduidade há cerca de dois meses.

Comecei a pensar no assunto, (por sorte decidimos levar o equipamento simples, a pensar fazer um treino normal ), depois achei que não iria desperdiçar uma maratona internacional, ainda por cima começava e acabava na avenida onde estávamos hospedados.

Tentei convencer a Sandra , a fazer a maratona ou a meia que começava meia hora antes, ela ainda ponderou, cheguei-lhe a dizer que fazíamos sempre juntos numa de longão, ela que pensasse nos colegas do R4F que nesse mesmo dia iriam estar em Sintra, uns a fazer 17, outros 34 kms, mas quando chegou à hora da inscrição optou pelo sol na piscina e não se inscreveu em nenhuma.
Bem, ainda estive a pensar se havia de ir ou não, sem treino, sem géis, sem vaselina nem pensos para os mamilos, magnesona, pasta party (o que é isso?) nada de nada de acessórios que estamos habituados e que, em qualquer outra maratona prevista achamos fundamental para um bom desempenho.
Rapidamente decidi, inscrevi-me a menos de 15 horas e tentei nem sequer pensar no assunto mas como sabem não é fácil.
Domingo, dia 29 de Janeiro de 2012 com sol, cerca de 4 graus e após um ligeiro pequeno almoço dirigi-me para a partida onde estava aquele ambiente fantástico antes da partida de qualquer maratona, com muitos europeus e também muitos africanos, terminaram 558 homens e 95 mulheres.

A maratona começa e acaba na parte nova da cidade com avenidas muito compridas e largas, passa por zonas feias e pobres, outras desertas só com palmeiras e camelos , atravessa uma zona residencial de alto nível turístico, com diversos campos de golfe e resorts .

Os abastecimentos não faltaram de 5 em 5 kms , só água/esponjas com água e os géis que estamos habituados eram substituídos por tâmaras e passas que não comi (só de pensar nas mãos que as colocaram dentro dos sacos).

O publico era pouco mas serviu para animar, na zona mais pobre os miúdos tentavam correr ao nosso lado, alguns descalços outros com aqueles sapatos típicos deles, para pedir a garrafa de água que tinha na mão ou alguma moeda, mas, de 500 em 500 metros havia um policia ou um tropa que lá dizia alguma coisa em árabe e eles saíam imediatamente da pista.

O tempo não foi bom mas o objectivo era participar e acabar a oitava maratona, nestas condições não é fácil e também foi a única em que tive que parar por três vezes, a primeira para tirar uma pedrinha que entrou para dentro do pé esquerdo , a segunda para tirar fotografias com os camelos e a terceira para ajudar um homem que teve uma cãimbra mesmo à minha frente e atirou--se para o chão, lembrei-me logo do Mata em Lisboa .
A poluição é horrível com milhares de motoretas a passarem de um lado para o outro com três e quatro pessoas, etc...etc... E assim terminei em 04:14:55 .

As maratonas que fiz estão todas bem presentes na minha memória, todas diferentes, mas para mim, esta vou equipará-la à minha primeira (Carlos Lopes) porque foi uma experiência totalmente nova e aprendi duas coisas, a primeira, nunca mais faço nenhuma viagem sem ver se vai haver alguma maratona e a segunda é para se fazer uma maratona não é necessário todas aqueles acessórios, ténis especiais; meias xpto........... mas,

Apenas:
Força mental de participar
Divertir-me à grande
E
Acabar BEM.

14 comentários:

Nuno Tempera disse...

Parabens a ambos. Espectacular descrição.

Luis Correia disse...

Fantástico Eduardo.

Jorge Esteves disse...

Parabéns a duplicar: pelo aniversário de casamento e pela maratona!

Para quem não treina desde Dezembro o tempo foi muito bom.

Runabraços

Ndda disse...

Parabéns a dobrar Eduardo.

Isso é espirito de aventureiro, uma Maratona em Marrocos sem marcação prévia.

Parabéns pelo feito e boa recuperação.

RunAbraço,

Joao Fialho disse...

Muitos parabéns Eduardo e Sandra.
Que grande espírito!

Realço as tuas palavras sobre o que é preciso para uma Maratona:
"Força mental de participar
Divertir-me à grande!"


Isto sim é Run 4 Fun!

Nuno Sentieiro Marques disse...

Grande Eduardo,
Runtástico.

Parabéns a ambos pelo belo aniversário (20 anos!!!! ninguém diria...estão muito bem conservados).
Muitas felicidades é o que vos desejo.

Relativamente à maratona...bom a história é outra, mas eu no Teu lugar teria feito o mesmo.
Imagino que tenha sido uma grande aventura e uma bela e inesperada experiencia.
Parabéns pelo relato, está óptimo.

Mantenham este espirito, enquanto conseguirem e puderem (que seja durante muitos e bons anos).

Runabraços

João Ralha disse...

Parabéns ao casal Correia pelos, nos dias de hoje não muito vulgar, 20 anos de casamento.

E, Eduardo, estás mesmo nas calmas a fazer maratonas. Oito maratonas em menos de 3 anos, é obra.

A este ritmo ainda chegas às 30 antes dos 50. E estou confiante que não falta muito para a Sandra fazer a 1ª maratona.

Runabraços

Manuel Romano disse...

Muitos parabéns pelo aniversário de casamento! Será que não foste tu que pregas-te uma partida? Um abraço.

Luis Matos Ferreira disse...

Eduardo, é mesmo esse o espírito! Para fazer uma maratona o essencial é estar presente de corpo e de alma.

Partilhar uma vida com outra pessoa é uma maratona ainda mais longa. Muitos parabéns a ambos por essa longevidade.

Runabraços

Francisco Sanches Osório disse...

Eduardo,
Parabens aos dois por esses 20 anos...uma bela caminhada!
Obrigado pelo relato sempre inspirador!
Abraços

Teodoro Trindade disse...

Parabéns, fantástica aventura.

E ainda dizem que tudo é monótono num casamento longo. Mentiras.

Obrigado pela partilha.
Abraço.

Jorge Duarte Pinheiro disse...

Muitos parabéns pela Maratona Surpresa! Não terá sido mesmo prenda do casamento?
Runabraço

Alfredo Falcão disse...

Só um grande conjunto de corredores consegue ter tanta sorte, parabéns Eduardo e Sandra!

Orlando Ferreira disse...

Duplamente de parabéns.