domingo, 23 de outubro de 2011

Meia-Maratona de Amsterdam, os laranjas na terra dos laranjas.

Nada melhor do que atingir os objectivos num país onde a cor nacional é o laranja – é uma referência directa ao nome do principado de Orange (laranja), e conseguimos: Nuno Almeida na maratona e eu na meia-maratona, os laranjas do R4F.
                                Franco Wudich e Nuno Dias Almeida na feira em Sporthalen Zuid


A organização da prova foi um exemplo que deveria ser seguido pelas organizações das competições em Portugal. A cada ano temos notado que o número de participantes nas Meias-Maratonas tem aumentado substancialmente, o que não deixa de ser muito bom, mas para isto, há de se melhorar a organização para a largada. Em Amsterdam, já ao levantar o dorsal, notamos que estão todos organizados por numeração e cores e ao chegar a largada, os blocos são identificados pelas cores:
- Start section 1 (orange): startnumber 15.000 - 17.999
- Start section 2 Business Run (white): startnumber 18.000 - 19.499
- Start section 3 (blue): startnumber 19.500 - 22.499
- Start section 4 (yellow): startnumber 22.500 - 25.499
- Start section 5 (green): startnumber 25.500 - 28.999
- Start section 6 (pink): startnumber 29.000 - 32.499



Eu, minha esposa e meu amigo, a levantar os dorsais ( nº 19584 e 19585 )

Estes blocos são consoantes aos tempos em que os participantes pretendem cumprir durante a prova. O mais interessante é que vamos avançando conforme os primeiros blocos vão largando, e ao chegar a uns 50m do início da corrida, já se ouve os alto-falantes a anunciarem quanto tempo falta para o nosso bloco iniciar e a contagem regressiva. A vantagem deste tipo de largada para mim foi que consegui fazer um aquecimento prévio minutos antes da largada, com a orientação do meu sobrinho holandês, que é instrutor de corridas. Aprendi que não se deve fazer alongamentos antes das corridas. Fizemos 2 voltas numa rua ao pé da largada e depois alguns exercícios específicos de aquecimento.


O dia estava perfeito para correr, coisa rara em Amsterdam: em pleno outubro sol ( céu sem nuvens ) e temperatura em torno de 15 a 19 graus. Nos primeiros Km's ainda fizemos por zonas urbanas da cidade, e a primeira coisa que me chamou a atenção foi logo no início ver escrito no chão "Go Tio Nuno" , logo imaginei, quando tinha encontrado o Nuno Dias Almeida na feira, ele me disse que a irmã dele morava bem perto da largada e logo associei aquela mensagem a ele. São detalhes tão importantes durante uma prova, principalmente psicológico, este apoio da família. Este mesmo apoio que o NDA recebeu, eu tive com a participação do meu sobrinho, que logo no início estabeleceu um ritmo constante a corrida e fui acompanhando ele durante todo o percurso. Para ele, era apenas um treino, para mim o motivo pelo qual eu comecei a treinar este ano.


Tive o prazer de me acompanharem até Amsterdam, minha esposa, meu grande amigo Eduardo Souza, que foi a pessoa decisiva que me fez entrar neste mundo das corridas e minha amiga Katia. Meu amigo Eduardo foi quem me desafiou no início do ano a participar desta meia-maratona, mas infelizmente, durante a metade do ano ele teve problemas no joelho e foi a "faca", mas não deixou de me acompanhar em Amsterdam. Mesmo em recuperação, ele largou connosco e correu os 5 Km ao nosso lado, um exemplo de motivação e superação. Minha esposa e nossa amiga, percorreram as ruas de Amsterdam para fotografar-nos durante a corrida. No primeiro ponto, quando vi minha esposa, fui ao encontro dela para dar-lhe um beijo, consegui mas quando retornei a corrida, tropecei em umas das grades de separação e fui ao chão! Só ouvi o público exclamar: óooh..., mas consegui me recompor e continuar a corrida.
          Franco & Lars Wudich - 2º ponto de passagem ( fotografado pela minha amiga Katia e minha esposa )
                                      
Os pontos de abastecimentos estavam muito bem colocados e nunca senti falta como senti na Meia de Portugal no final da prova. A acrescentar que também era distribuído uma esponja com água para refrescarmos e limparmos o suor. O mais marcante para mim foi quando num determinado ponto da corrida, numa zona urbana, duas meninas tinham colocado uma mesinha a frente da casa delas e estavam a oferecer também água e esponjas! ao passar observei que uma delas ainda ia até a rua buscar a esponja que um corredor deitou fora no chão. 


Nos últimos 2 Km, pretendia aumentar o meu ritmo para conseguir um melhor tempo, mas acabei por reservar esta força final para quando entrasse no Estádio Olímpico, o ponto alto da corrida, com todo aquele público a aplaudir aos participantes, e quando lá entrei senti os pêlos dos braços arrepiarem-se ( pele de galinha como dizem cá ), foi realmente emocionante. Chegamos juntos na meta meu sobrinho e eu, com as mãos dadas e com a sensação de dever cumprido, família bem representada.
                             Lars Wudich, Franco Wudich e meu grande amigo Eduardo Souza


Neste sábado passado, fui a Serra de Sintra, desta vez a passear  e junto a peninha, desci do carro e agradeci aquela que me ajudou a conquistar este grande objectivo do ano: "a Serra de Sintra".


Gostaria também de agradecer ao João Fialho, Nuno Sentieiro e Nuno Almeida e a toda esta família dos Run4Fun em que hoje também faço parte, por terem me apoiado e incentivado. 




"Eu sou parte de uma equipe. Então, quando venço, não sou eu apenas quem vence. De certa forma, termino o trabalho de um grupo enorme de pessoas."
--Ayrton Senna



Danke jullie allemaal. 

9 comentários:

Alfredo Falcão disse...

Franco parabéns por um relato tão vivo, já me estava a imaginar na prova, deve ter sido uma experiência fantástica ... quem sabe no ano que vem!

RunAbraços

Ndda disse...

Parabéns pelo post Franco, valeu a pena esperar por esta crónica muito emotiva.

Deixo aqui uma nota de relativamente é tua evolução que é a todos os níveis notável e com essa marca na 2ª Meia e em tão curto espaço de tempo, podes almejar a algo maior.
Para o ano estamos lá a partir às 9:30h da manha!

Queria deixar um obrigado á minhas referências e dizer-te que este Grupo é mesmo assim, gratuitamente se pratica a solidariedade e o reconhecimento mutuo nas provas e treinos em que nos cruzamos.

Como diria um Holandês:

- RunKnuffelen, NDA

46 disse...

Parabéns Franco pelo excelente resultado e também pela tua emotiva crónica.

AC

Cris Wudich disse...

Manoooo!!!! Me emocionei ao ler este teu documentário!!! Parabéns!!! Beijão, abração, mana Cris

Nuno Sentieiro Marques disse...

Amigo Franco,

Parabéns pelo relato...Emocionante.

Parabéns pelo resultado e evolução...Fantástico.

Parabéns pelo esforço, trabalho e treino, sempre com grande entusiasmo...Grande dedicação.

Obrigado pela referencia que me fazes mas o esforço...Foi Todo Teu.

Obrigado pela companhia e presença permanente nas nossas belas subidas...Sempre com boa disposição.

Como diz o NunoDDA, quem tem a sorte de poder pertencer a um grupo como este, rapidamente percebe que o verdadeiro significado de equipa, diversão, amizade, companheirismo...etc, etc, etc, estão permanentemante presentes entre nós.

Runabraços

João Ralha disse...

Franco,

Demoraste algum tempo mas a qualidade do teu relato está na relação direta do tempo. Altíssima qualidade.

Parabéns pela tua prova e pela magnífica lição de amizade e companheirismo.

Mais uma vez, é tão fácil aprender com quem faz bem. Esperemos que alguns dos (maus) organizadores de Meias em Portugal (exemplo, Ponte 25 de Abril) leiam esta tua excelente descrição de como organizar bem uma prova.

Runabraços

Joao Fialho disse...

Caro amigo, tive pena de não poder compartilhar contigo esta Meia-Maratona.
Porém pude te acompanhar nos treinos que fazias sempre com esta prova no objectivo.
Recebi a notícia do teu tempo com um misto de satisfação e de naturalidade.

Preparação, planeamento, treino, força de vontade, esforço. mas acima de tudo determinação, muita determinação foram os ingredientes do teu sucesso.

Tenho a certeza que agora após atingires os teus objectivos fixarás novos e a motivação irá surgir novamente.

Teodoro Trindade disse...

Muitos parabéns Franco, belo relato e excelente prova.
Não tenho dúvidas que foi uma jornada memoravel. Quando assim é deve-se sempre tentar repetir.

RunAbraço.

Jorge Duarte Pinheiro disse...

Muitos parabéns, Franco. Grande progresso! E, francamente (Wudich), nestes dias (Almeida), Amesterdão assume-se, assim, tanto na meia como na maratona inteira, como uma das melhores provas para aqueles que querem dar o seu "pézinho" de corrida fora de território português.
Entretanto vou treinar...o modo de dizer "RunKnuffelen" e não só