domingo, 2 de outubro de 2011

1ª Corrida da Água (Monsanto - Parque do Calhau)



Três corredores do Run 4 Fun (Jorge Duarte Pinheiro, Alfredo Falcão e Nuno Dias de Almeida) um pouco antes do início da 1ª Corrida da Água, que se realizou em Lisboa no dia 2 de Outubro de 2011.

Esta corrida de 10 km incluiu o troço mais conhecido e mais visível do Aqueduto das Águas Livres.


É visível, não é?

O caminho público por cima do Aqueduto esteve fechado em 1853 por causa do Diogo Alves, que tinha o hábito irritante de atirar (para baixo) as pessoas que andavam por ali.

Mas a corrida parecia ser já segura, dado que o Senhor Diogo Alves morreu entretanto, no século XIX, com a honra de ter sido o último condenado à morte em Portugal.



Segura não era, no entanto, a facilidade do percurso. Além disso, estava calor.

A partida, prevista para as 10h00, foi "apitada" quase às 10h10. Será que as restrições orçamentais impediram o uso da tradicional pistola?

Não houve tempo para investigar. A corrida era mesmo corrida. Não havia grandes obstáculos humanos à progressão inicial. E Monsanto ajudou com uma imediata subida de cerca de 2 km. Ninguém se queixou, ninguém mostrou ter saudades dos frequentes inícios de corrida a passo.

Um km, dois km, três, quatro. A Corrida da Água só tinha água ao quinto km.

E todos estavam "sedentos" de correr no Aqueduto.
Só que tiveram de enfrentar ainda as terríveis subidas urbanas posteriores ao km 7.

Finalmente:

Não estava lá, já se sabia, o Diogo Alves. Apenas uns turistas simpáticos em contra-mão; e uma bela vista.

Diz-se algures que este troço do Aqueduto tem 941 metros de comprimento. Acredito. E acrescento: o caminho não tem grande largura. Um corredor ao lado de outro deve, pois, manter um certo controlo dos braços.

O km 9 estava marcado na parte final do Aqueduto. E o resto foi terra batida.

Nuno Dias de Almeida fez menos de 42 minutos, o que constitui a sua melhor marca pessoal na distância de 10 km; Jorge Duarte Pinheiro e Alfredo Falcão apanharam-no na meta, em diferentes momentos, mas ambos com menos de 50 minutos.

Era a altura de beber água. E a altura de concluir que a Corrida da Água foi aquela que menos água nos deu (uma garrafa pequena aos 5km, outra aos 10,05km).

Lembrei-me então de que alguém (Pedro Almeida Vieira) escreveu um romance intitulado "Nove Mil Passos". Não é sobre corrida. É sobre a sede que se sentia em Lisboa, antes da construção do Aqueduto.

Apesar de tudo, os que participaram nesta Corrida sobreviveram e dizem: "Voltaremos lá, mesmo que não nos dêem uma única garrafinha de água!"

9 comentários:

Nuno Sentieiro Marques disse...

Belo relato Jorge.

Pelos vistos estivemos muito bem representados também hoje por monsanto.

E em Sintra houve quem andasse também serra acima.

Grande armada, parabéns a todos os R4F que hoje com o calor que estava se lançaram a estas saudaveis loucuras.

Runabraços

Ndda disse...

Fanstástico Jorge!
O artigo supera a bastante corrida de hoje, com um pouco de história á mistura…
De realçar a enorme vontade e determinação do Autor em recolher a unica fotografia de grupo e propor a troca de pilhas para a máquina que levou.
Erámos poucos mas unidos os de laranja.
RunAbraços,

Alfredo Falcão disse...

Ohhhh vinha eu lançado para contar o episódio das pilhas e o Nuno antecipou-se ... nas corridas é a mesma coisa ele chega à minha frente. Nuno parabéns pelo teu PBT numa prova que parecia ter um inicio facil mas que tinha um fim com uma dificuldade que mais que compensava o inicio. Gostei da prova. Fui cansado de treinos a mais para mim, uma noite mal dormida e uma indisposição que me iam levando a ter que ficar em casa mas mesmo assim fiquei satisfeito com os meus 50 minutos menos uns segundos.

Jorge Esteves disse...

Parabéns a todos! Fazer PBT com o calor que esteve hoje é obra!
Runabraços

Francisco Sanches Osório disse...

Jorge, obrigado pela reportagem da grande representação!
Um abraco aos três runners!

João Ralha disse...

Grande relato histórico-literário-atlético, próprio de um erudito como o Jorge Duarte Pinheiro. Está muito bom....

Para a próxima tirem uma foto em cima do Aqueduto. É claro que para isso não podem pensar em PBT´s. É um local único, com uma vista fantástica, que deve ser apreciada....com calma. Neste caso, ainda por cima, como era a 1ª corrida., seria sempre PBT.....ehehheheheh.

Parabéns Nuno pelo PBT, nos 10k. Num dia de calor, num percurso difícil. Não tarda está a chegar perto dos 40 min. Estás a ficar no pico de forma, pronto para Amsterdão.

Runabraços

Luis Matos Ferreira disse...

Com a genica que vocês iam, se o Diogo alves se dignasse a aparecer, quem o atirava do aqueduto abaixo eram vocês :)

Joao Fialho disse...

Obrigado Jorge pelo magnífico relato.

Grande tempo Nuno. Estás de regresso às grandes marcas!

E logo numa prova com tantas adversidades de percurso e com um Verão que teima em ficar e a não dar lugar ao Outono!

Teodoro Trindade disse...

Obrigado pelo excelente relato, e "pilhas à parte" muitos parabéns aos três dignos representantes R4F.

Grande jornada a deste fim de semana, estamos em (quase) todas.